FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Influência do sucedâneo com composição semelhante ao leite integral sobre o desempenho de bezerras

POR CARLA MARIS MACHADO BITTAR

E JACKELINE THAIS DA SILVA

CARLA BITTAR

EM 17/01/2013

5 MIN DE LEITURA

13
0
Uma fonte apropriada e ampla de nutrientes através da dieta líquida (leite ou sucedâneo) é essencial para o desempenho e bem estar de bezerros. Convencionalmente, os bezerros são separados da mãe logo após o nascimento e recebem quantidade restrita, 10% do peso vivo, de dieta líquida durante toda a fase de aleitamento. Crescimento lento e comportamento depressivo em bezerros, sob manejo convencional, são características atribuídas à falta de nutrientes na dieta líquida. Para tentar diminuir esses sintomas, foram realizados estudos que mostraram bons resultados aumentando a freqüência e a quantidade de alimentação como o sistema intensivo.

No sistema de aleitamento intensivo, geralmente o leite integral é substituído por sucedâneo lácteo (18 a 20% de proteína bruta e 10 a 15% de gordura). No entanto, mesmo com taxa de fornecimento semelhante, os animais que recebem leite integral ingerem maior quantidade de proteína e gordura que bezerros alimentados com sucedâneo. A baixa fonte de nutrientes é um dos principais fatores limitantes do crescimento em bezerros que recebem sucedâneo, comparado a animais que recebem o leite integral. Preocupados com esse baixo desempenho dos bezerros recebendo sucedâneo, foi realizado um estudo com a hipótese de que fornecer um sucedâneo com composição bruta semelhante ao leite integral possa permitir que o crescimento e o desempenho dos bezerros sejam semelhantes ao de animais que recebem leite integral. O objetivo do estudo foi comparar o crescimento, desempenho e saúde de bezerros alimentados com leite integral ou sucedâneo lácteo com composição bruta semelhante ao leite integral.

Foram utilizadas 20 bezerras da raça Holandês, divididas em dois tratamentos:

A) Leite integral
B) Sucedâneo lácteo com a composição semelhante ao leite integral

Os animais foram alocados em baias individuais com livre acesso a água e receberam 1,8L/refeição da dieta líquida quatro vezes por dia (8:00, 11:00, 18:00 e 20:00), totalizando 7,2L/d nos primeiros 25 dias de idade, sendo reduzida a freqüência de fornecimento para 3 vezes por dia (dia 26 ao 30, 5,4L/d), 2 vezes por dia nos próximos 14 dias (dia 31 ao 45, 3,6L/d), e uma vez por dia nos últimos 5 dias antes do desaleitamento. Este manejo de diminuição da freqüência de alimentação e, neste caso, do volume total fornecido por dia, foi adotado de forma a estimular o consumo de concentrado inicial pelas bezerras, fator muito importante para o adequado desaleitamento dos animais. O consumo, crescimento e ganho de peso dos animais foram monitorados até 70 dias de idade das bezerras.

Tabela 1. Peso vivo, ganho de peso e crescimento corporal de bezerras da raça Holandês recebendo leite integral ou sucedâneo lácteo


O peso vivo dos bezerros alimentados com leite integral foi significativamente maior que dos animais que receberam o sucedâneo no período pré (P<0,03) e pós-desaleitamento (P<0,02). Do mesmo modo, as medidas de crescimento esquelético das bezerras que receberam o leite integral foram maiores que dos animais que receberam o sucedâneo lácteo. O consumo de concentrado inicial e feno entre os dois grupos do experimento foram semelhantes. Quanto à saúde dos animais, não houve diferença entre o tipo de dieta líquida fornecida; os dias com diarreia, temperatura retal e taxa respiratória foram semelhantes entres os animais independente da dieta líquida.

O maior ganho de peso das bezerras alimentadas com leite integral comparado aos animais que receberam o sucedâneo formulado para apresentar composição semelhante ao leite integral pode estar atribuído a melhor biodisponibilidade de proteína e energia do leite em relação ao sucedâneo lácteo. Muitos estudos mostram que os principais fatores responsáveis pelo baixo desempenho de bezerros recebendo sucedâneo lácteo estão relacionados ao uso de fontes de proteínas danificadas pelo calor e baixa disponibilidade de aminoácidos.

Neste estudo, o sucedâneo foi formulado para fornecer quantidade semelhante de energia, gordura, lactose, e proteína que o leite integral. Entretanto, a qualidade, principalmente da proteína, pode não ter sido semelhante. A disponibilidade de proteína ideal, caseína, e constituintes de energia, lactose e gordura, além de minerais e outros fatores de crescimento provavelmente resultaram em maior ganho de peso para os animais alimentados com leite. Nesse estudo, a inclusão de proteína vegetal (soja e trigo) no sucedâneo provavelmente diminuiu o crescimento dos bezerros pela limitação de alguns aminoácidos essenciais. A composição em aminoácidos do sucedâneo não foi determinada, entretanto, a baixa fonte de lisina e metionina, os dois principais aminoácidos limitantes do crescimento podem ter diminuído a taxa de crescimento de bezerros alimentados com o sucedâneo comparado ao leite integral.

Neste estudo foi concluído que mesmo formulando o sucedâneo para ser semelhante ao leite integral, o fornecimento do mesmo não permitiu desempenho semelhante. A inclusão de proteína vegetal (proteína de soja e proteína de trigo) no sucedâneo diminui o crescimento de bezerros provavelmente pela limitação de algumas fontes de aminoácidos essenciais.


LEE,H.J.;KHAN, M.A.; LEE, W.S.; YANG, S.H.; KIM,S.B.; KI,K.S.; KIM,H.S.; HA,J.K.;CHOI,Y.J. influence of equalizing the gross composition of milk replacer to that of whole milk on the performance of Holtein calves. Journal of Animal Science, v.87, p.1129-1137, 2009.

Comentários

Muitos trabalhos mostram desempenhos semelhantes e às vezes até melhores quando se fornece sucedâneo em comparação ao leite. Infelizmente ainda é prática comum no Brasil o fornecimento de leite descarte, normalmente com alta carga bacteriana e grande variação na composição nutricional. Nestes sistemas a troca de leite descarte por sucedâneo tem trazido mudanças positivas, reduzindo drasticamente as taxas de mortalidade e morbidade dos bezerros, além de aumento no ganho de peso dos animais. Estas mudanças tem efeitos importantes na planilha de custo, pois além de reduzir a perda de animais, reduz também o gasto com medicamentos e com mão de obra que passa mais tempo manipulando e tratando de animais doentes. No entanto, em sistemas onde se fornece leite integral nem sempre o desempenho é semelhante aquele observado com o fornecimento de sucedâneo, principalmente em função da composição do mesmo ou do programa de alimentação adotado. Quando se trabalha com programa de alimentação intensivo, a quantidade e a qualidade da proteína da maior parte dos sucedâneos nacionais estão aquém da exigência do animal para desempenho semelhante ao que seria observado com o fornecimento de leite integral. Algumas tentativas de ajuste da composição para aumento do teor de proteína e gordura dos sucedâneos, além do ajuste da qualidade e disponibilidade da fração protéica, mais especificamente dos aminoácidos, tem sido realizados.
 

CARLA MARIS MACHADO BITTAR

Prof. Do Depto. de Zootecnia, ESALQ/USP

JACKELINE THAIS DA SILVA

13

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

FABIANO LOPES BUENO

CURITIBA - PARANÁ - INDÚSTRIA DE INSUMOS PARA A PRODUÇÃO

EM 20/03/2014

Cara Prof. Carla

Há uma definição dos níveis adequados de lisina e metionina para bezerras em fase de aleitamento?

Desde já agradeço a atenção e parabenizo pelo artigo.

Fabiano Bueno.
MARIANA POMPEO DE CAMARGO GALLO

PIRACICABA - SÃO PAULO

EM 20/03/2014

Gostaria de convidá-los a participar do Curso Online" Aleitamento de bezerras com sucedâneos lácteos".



O curso terá início em 29/04 e a instrutora Carla M. M. Bittar, irá esclarecer os principais aspectos relacionados ao uso de sucedâneo para aleitamento de bezerras, além de tirar dúvidas através do fórum de perguntas e conferência online.



Para mais informações ou realizar sua inscrição acesse nossa página de cursos: http://www.agripoint.com.br/curso/aleitamento-bezerras/



Ou mande um e-mail para: cursos@agripoint.com.br
GABRIEL RENÓ DE OLIVEIRA

VIÇOSA - MINAS GERAIS - ESTUDANTE

EM 20/02/2013

Carla, ótimo estudo, realmente é oque encontramos muitas vezes nas propriedades.



Agora minha dúvida é sobre esse leite integral sem ser de descarte, no seu comentário ao final do artigo, você evidencia que infelizmente hoje muitas fazendas utilizam leite descarte para fornecer para as Bezerras, há por exemplo um artigo postado pelo Marcos Veiga aqui mesmo no MilkPoint, mostrando que não ha diferença entre animais alimentados com leite de descarte. ( Artigo Leite de descarte: deve ser fornecido para bezerras? :  http://www.milkpoint.com.br/mypoint/6239/p_leite_de_descarte_deve_ser_fornecido_para_bezerras_4530.aspx).



Gostaria de saber entaõ, sua opinião sobre fornecer leite de descarte OU esse sucedâneo com propriedades proximas ao leite integral.



Muito Obrigado!
CARLA MARIS MACHADO BITTAR

PIRACICABA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 30/01/2013

Alexandre,

este trabalho foi conduzido por equipe americana e não por nós.

A redução do fornecimento da dieta líquida tem como objetivo estimular o consumo de concentrado de forma a preparar o rúmen do animal para ser desaleitado. Como a exigência do animal aumenta com a idade, como você mesmo disse, ao reduzirmos gradativamente o fornecimento da dieta líquida o animal consome mais concentrado, tendo seu rúmen desenvolvido.

Estamos em processo de instalação de um aleitador aqui na Esalq. Em breve estará funcionando a todo vapor!

Abs.,

Carla
CARLA MARIS MACHADO BITTAR

PIRACICABA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 30/01/2013

Ramon,

tudo vai depender de custo de produção do litro e valor de venda. Os trabalhos internacionais mostram grandes aumentos na produção, o que mais do que paga o investimento. Alguns outros benefícios são bezerras mais saudáveis e portanto menor custo com medicamentos e mão de obra envolvida com tratamentos.

Abs.,

Carla
CARLA MARIS MACHADO BITTAR

PIRACICABA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 30/01/2013

Michel,

Esta alternativa é mais interessante para fortificar um sucedâneo e não o leite integral. Importantíssimo fazer cálculo do custo desta prátia pois muitas vezes acaba saindo mais caro do que fornecer o próprio leite. lembrando que não estou falando de leite descarte! tem um artigo publicado aqui no radar que mostra como fazer as correções para ajustar a composição do leite.

Abs.,

Carla
CARLA MARIS MACHADO BITTAR

PIRACICABA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 30/01/2013

Marius,

Neste trabalho publicado os pesquisadores acompanharam os animais somente durante a fase inicial. Muitos trabalhos já mostram que para se obter os tão falados aumentos na produção de leite de vacas que quando bezerras receberam altos volumes de dieta líquida, precisamos fornecer sucedâneo com pelo menos 24% de proteína.

Abs.,

Carla
CARLA MARIS MACHADO BITTAR

PIRACICABA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 30/01/2013

Caro Rapahel,

A silagem de colostro tem composição bem diferente daquela do leite. Durante a fermentação boa parte da proteína verdadeira é transformada em nitrogênio não proteico, o que reduz bastante a qualidade do produto.

Att.,

Carla
ALEXANDRE GALLUCCI TOLOI

BAURU - SÃO PAULO - INDÚSTRIA DE INSUMOS PARA A PRODUÇÃO

EM 22/01/2013

Carla e Jackeline, parabens pelo trabalho.


alguns questionamentos?


qual a quantidade de animais que tiveram problemas de diarreia nos primeiros 25 dias , em ambos os tratamentos?


porque fora reduzido o volume de leite oferecido aos animais dos 26  aos 30 dias 5,4 lts e depois 31 aos 45 dias para 3,6lts - visto que os animais aumentam o volume de leite consumido e tambem a necessidades dos mesmos de acordo com os dias de vida e tamanho dos mesmos.


voces pensam em realizar trabalhos com sistemas de aleitamento automatico onde pode se oferecer o volume demandado por idade e potencial individual dos animais?
RAMON GUIMARÃES

ARAÇATUBA - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 18/01/2013

OLÁ CARLA E JACKELINE, BOA TARDE!



PARABÉNS PELA MATÉRIA!



GOSTARIA DE LEVANTAR DUAS QUESTÕES:



DEVIDO O CUSTO DO ALEITAMENTO COM LEITE INTEGRAL, ATÉ QUE PONTO É COMPENSADOR ESTE TIPO DE TRATO? EM QUESTÕES FINANCEIRAS ESTE DESEMPENHO SUPERIOR É MESMO VANTAJOSO?



FORTE ABRAÇO!
MICHEL KAZANOWSKI

QUEDAS DO IGUAÇU - PARANÁ - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 17/01/2013

Prezada Carla,



Quanto a opção de utilizar sucedâneo misturado ao leite integral, reforçando assim a quantidade de nutrientes ingeridos na dieta liquida. Há produtos comerciais disponíveis especificamente para este tipo de tratamento e produz resultados muito bons fazendo com que bezerras holandesas ultrapassem os 100kg de PV a desmama aos 70 dias.

Quais os cuidados e limitações referentes a este tratamento?



Abraço



Michel Kazanowski
MARIUS CORNÉLIS BRONKHORST

ARAPOTI - PARANÁ - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 17/01/2013

Prezada Carla


Otimo trabalho,só seria muito e muito importante saber qual a diferença no desempenho destes animais na primeira lactação tendo na cria e recria o mesmo tratamento.


obrigada


Marius
RAPHAEL

ITAPEVA - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE GADO DE CORTE

EM 17/01/2013

Bom dia, gostaria de saber se aquele trabalho do Rio Grande do Sul, ministrado por uma doutora da Embrapa se nao me falhe a memoria sobre o colostro sendo administrado aos bezerros e bezerras pode ser adaptado a esse estudo por sinal muito bem detalhado tb...
MilkPoint AgriPoint