ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Fornecimento limitado de alimento para novilhas de reposição: potencial estratégia de manejo alimentar

POR CARLA MARIS MACHADO BITTAR

CARLA BITTAR

EM 22/07/2008

10 MIN DE LEITURA

3
0
Os objetivos dos programas de manejo de animais de reposição são de criar novilhas com baixos custos econômicos e ambientais, sem comprometer o desempenho lactacional futuro destes animais. Para alcançar estes objetivos, novilhas são comumente alimentadas com dietas com alta inclusão de forragem, o que atende a baixa exigência em energia de novilhas de reposição (NRC, 2001).

Alimentar novilhas com baixa energia (alta fibra) também auxilia minimizar o super-condicionamento na época do parto, o que também pode prejudicar o desempenho dos animais (Hoffman et al., 1996). O custo total com alimentação e a eficiência alimentar são, no entanto, normalmente negligenciados com novilhas sendo alimentadas com dietas contendo predominantemente forragens com alto teor de fibra.

Historicamente a pesquisa tem focado na alimentação de novilhas com dietas com alto teor de energia para reduzir a idade ao primeiro parto, de forma a diminuir o período de criação e, conseqüentemente o custo com alimentação. Embora esta estratégia tenha potencial para levar a um mais rápido retorno do investimento, a redução na idade ao primeiro parto normalmente resulta em redução na produção de leite.

Outra estratégia para reduzir o custo com alimentação de novilhas é fornecer dietas com alta energia e limitar a quantidade fornecida, controlando o ganho de peso diário (GPD) o que pode resultar em idade ao primeiro parto e escore condição corporal similares àqueles observados com o fornecimento de dietas com alta forragem.

O fornecimento limitado tem potencial para reduzir o custo com alimentação, aumentar a eficiência alimentar e reduzir a excreção fecal, enquanto mantém o período de criação, o que tem sido difícil alterar sem efeitos negativos na produção e saúde dos animais. Hoffman (2008) revisou questões biológicas e comportamentais associadas com o fornecimento limitado de alimentos para novilhas de reposição.

Pesquisa com fornecimento pseudo-limitado

O fornecimento limitado não é uma prática recente ou nova. Estratégias de fornecimento limitado têm sido empregadas com sucesso na produção de ruminantes e tem sido utilizada como metodologia em diversas pesquisas. Entretanto, nestes trabalhos, o fornecimento limitado não é a hipótese central do estudo, sendo normalmente somente uma metodologia para investigar uma hipótese relacionada. Os autores têm classificado estes projetos como pesquisas com fornecimento pseudo-limitado.

Lammmers et al. (1999) utilizou o fornecimento limitado como um método para controlar o GPD de novilhas pré-púberes com o objetivo de investigar os efeitos das taxas de crescimento na fase pré-púbere sobre o desempenho lactacional. Diferentes taxas de crescimento foram alcançadas através do fornecimento de diferentes quantidades de matéria seca (MS) de uma única dieta (16% PB e 2,66 Mcal/kg de energia metabolizável). O GPD pré-púbere foi 0,69 e 0,99 kg/d, para o fornecimento limitado e controle, respectivamente.

Novilhas alimentadas para crescerem 0,69 kg/d produziram 7,1% mais leite que novilhas alimentadas a vontade (0,99 GPD), o que foi atribuído a diferenças no desenvolvimento mamário e, portanto a hipótese central do trabalho. Os autores não observaram efeito negativo do fornecimento limitado no peso vivo (PV), peso dos bezerros ou índice de distocia.

Pesquisadores de Dakota do Norte apresentaram a hipótese de que a restrição de energia da dieta, seguida de realimentação, estimula a rápida ou maior expressão de tecido mamário, resultando em aumento na produção de leite. O trabalho destes pesquisadores demonstrou alteração na sinalização hormonal, aumento na expressão genética de tecido mamário e resultou em aumento de até 15% na produção de leite.

Assim como Lammers et al. (1999), estes pesquisadores utilizaram o fornecimento limitado para obter o tratamento com restrição energética e a realimentação. Novilhas no tratamento controle tiveram acesso livre a uma dieta contento 12% PB e 2,35 Macl/kg de EM, enquanto novilhas no esquema de restrição-realimentação foram limitadas a 70% da mesma dieta durante a fase de restrição.

A limitação do consumo a 70% da dieta controle resultou em aumento na eficiência alimentar. As hipóteses e o delineamento destes experimentos tinham como objetivo investigar a restrição energética, o que resultou em respostas positivas em termos de produção de leite. A restrição energética, entretanto, foi facilitada pelo fornecimento limitado e não pela diluição da energia da dieta.

Existem outros exemplos na literatura de estudos que utilizaram alguma forma de fornecimento limitado em experimentos para investigar hipóteses alternativas. Embora nenhuma ligação direta possa ser feita entre resultados experimentais e a o fornecimento limitado per se, a metodologia de limitação empregada nestes estudos não resultaram em nenhum efeito negativo na produção de leite. Em todos os experimentos descritos acima, a produção de leite foi numericamente maior, independentemente da hipótese estudada, para novilhas que foram alimentadas de forma restrita.

Pesquisa com fornecimento limitado como hipótese central

Com dito anteriormente, o fornecimento limitado não é uma prática nova e tem sido empregada em diversos trabalhos como método para execução experimental delineada para estudo de outra hipótese. Da mesma forma, pode-se dizer que certas formas de fornecimento limitado para novilhas são empregadas por produtores de leite em diversas ocasiões. Recentemente, tem sido reconhecido que os métodos de limitação empregados em pesquisa parecem ter uma maior aplicação prática.

O fornecimento limitado tem sido utilizado em experimentos como um método para controlar a taxa de crescimento, reduzir consumo de energia, aumentar eficiência alimentar ou aumentar o desempenho lactacional. Esses são exatamente os mesmos objetivos que tem a criação de novilhas de reposição em sistemas de produção comerciais. Como resultado, dois experimentos recentes foram conduzidos avaliando o fornecimento limitado como hipótese central de forma a explorar aplicações desta prática.

Na universidade de Wisconsin, um sistema simples de fornecimento limitado para novilhas prenhes foi estudado (Hoffman et al., 2007). As novilhas foram alimentadas com dietas contendo 67,5, 70 ou 73,9% de NDT (Tabela 1), mas as novilhas alimentadas com dietas contendo 70 e 73,9% NDT foram limitadas a 90 e 80% de seu consumo potencial. O estudo foi delineado para resultar em consumo iso-calórico e iso-nitrogenado.

O fornecimento limitado resultou em novilhas sendo alimentadas com menor quantidade de MS/d, mas a mesma quantidade diária de calorias. Não foram observadas diferenças no tamanho ou escore de condição corporal das novilhas após 11 dias de avaliação. O tratamento com limitação de fornecimento, entretanto, resultou em aumento de 25% na eficiência alimentar e menor excreção de esterco.

Não foram observados efeitos do fornecimento limitado no peso vivo dos bezerros ou no índice de distocia. Assim como nos experimentos com fornecimento pseudo-limitado, observou-se uma tendência numérica para aumento na produção de leite, mas o real desempenho lactacional foi similar para novilhas no tratamento controle ou de fornecimento limitado.

Tabela 1. Resumo de resultados do estudo da Universidade de Wisconsin (Hoffman et al., 2007).


Um segundo estudo com fornecimento limitado como hipótese central foi conduzido na Universidade da Pensilvânia (Zanton and Heinrichs, 2007). Este estudo foi conduzido com novilhas pesando 125 kg, com novilhas alimentadas de forma limitada durante todo o período pré-púbere (245 dias). Um resumo dos resultados desta pesquisa está apresentado na Tabela 2. O fornecimento limitado de dietas contendo 25% de forragem quando comparado com o fornecimento ad libitum de dietas contendo 75% de forragem não resultou em diferenças no ganho de peso diário ou no crescimento esquelético das novilhas.

As novilhas alcançaram a puberdade na mesma idade e apresentaram desempenho reprodutivo similar. As novilhas pariram na mesma idade, mas aquelas com fornecimento restrito apresentaram peso vivo numericamente e perderam mais peso após o parto. Assim como em outros trabalhos, novilhas com fornecimento limitado apresentaram produção de leite numericamente maior, mas com composição similar.

Tabela 2. Resumo de resultados do estudo da Universidade da Pensilvânia (Zanton and Heinrichs, 2007).


É importante reconhecer as peculiaridades de cada um destes estudos. No estudo de Wisconsin as novilhas tiveram fornecimento restrito após a puberdade, enquanto as novilhas no experimento da Universidade da Pensilvânia tiveram consumo limitado durante o período pré-púbere. As duas estratégias de fornecimento limitado resultaram em desempenho animal similar. Entretanto, até hoje, não existem dados referentes ao efeito do fornecimento limitado durante todo o período de criação de novilhas de reposição.

Fornecimento limitado - alterações no comportamento de novilhas

Algumas alterações no comportamento de novilhas podem ocorrer em resposta ao fornecimento limitado de alimento. No estudo conduzido na Universidade de Wisconsin, vários aspectos de comportamentais foram avaliados (Tabela 3). Primeiro, as novilhas vocalizaram por um pequeno tempo por aproximadamente uma semana no início do estudo, com a vocalização diminuindo após este período.

A vocalização é limitada principalmente ao período que antecede o fornecimento do alimento. Adicionalmente, o tempo de alimentação é logicamente reduzido quando as novilhas recebem quantidades limitadas de alimento, mas os animais parecem compensar o menor tempo de alimentação permanecendo mais tempo em pé, o que reduz então o tempo em que o animal passa deitado. Apesar de alterações de comportamento ser observadas em resposta ao fornecimento limitado, estas mudanças foram muito sutis e manejáveis.


Tabela 3. Comportamento de novilhas em sistema de fornecimento limitado de alimento (Hoffman et al., 2007).


Alterações no comportamento de novilhas alimentadas com quantidades restritas a 80-90% do consume ad libitum são sutis, não sendo observado nenhum comportamento mais marcante. Entretanto, enquanto as novilhas se alimentavam, empurravam o alimento de forma eficiente para frente do cocho utilizando seu focinho. Quando o alimento foi fornecido em cochos planos, uma maior quantidade de alimento era empurrada para área fora do alcance dos animais.

Se as novilhas não alcançavam saciedade ou enchimento, tentavam agressivamente alcançar o alimento que haviam empurrado pra fora de seu alcance. Este comportamento de tentar alcançar o alimento faz com que o animal mude sua postura de forma a se projetar à frente. Os efeitos deste comportamento nos cascos de novilhas não são conhecidos. No entanto, este comportamento foi corrigido simplesmente pelo aumento na freqüência com que o tratador empurrava o alimento para a área de alcance.

Uma outra alteração de comportamento não documentada é que novilhas parecem se acomodar ao fornecimento limitado e que as alterações no comportamento alimentar duram um pequeno período de tempo quando esta estratégia de alimentação é descontinuada. Após o período experimental do estudo de Wisconsin, as novilhas passaram a receber uma dieta com alta fibra e sem restrição de quantidade. Durante um pequeno período de tempo estes animais apresentaram hábito alimentar como se estivessem sendo fornecidas quantidades limitadas de alimento.

Adequado tamanho de cocho é necessário para garantir que todas as novilhas tenham completo acesso ao alimento uma vez que quando é fornecido somente 80% do seu potencial de consumo, os animais irão consumir todo alimento em um período de 2 a 3 horas. A falta de um cocho adequado pode resultar em deslocamento de animais mais submissos na hierarquia social do lote e resultar em variações no ganho de peso dos animais deste lote.

No trabalho de Wisconsin foi observado um aumento no coeficiente de variação do ganho de peso dos animais quando as novilhas estavam em sistema de fornecimento limitado. No entanto, esta variação não foi significativa quando novilhas de 450 kg tiveram acesso a um cocho com 60 cm/novilha. O menor tamanho de cocho possível por novilha sob diferentes cenários de alimentação ainda é desconhecido. Finalmente, o esquema de fornecimento limitado de alimento não pode ser utilizado em instalações que requerem o uso de cama como palha e serragem, uma vez que as novilhas invariavelmente apresentam consumo deste material.

Conclusões e considerações

1. O fornecimento de quantidades limitadas de alimento, além de reduzir a necessidade de alimento na propriedade e o trabalho para seu fornecimento, reduz a excreção de esterco, e aumenta a eficiência alimentar de novilhas de reposição.

2. Não existem trabalhos de pesquisa indicando que o fornecimento limitado tem efeito negativo na saúde vacas ou novilhas, ou ainda no seu desempenho futuro destes animais.

3. A hipótese de que o fornecimento limitado pode aumentar a produção de leite, mas através de mecanismos ainda desconhecidos, pode ser levantada.

4. O fornecimento limitado de alimento resulta em pequenas alterações no comportamento de novilhas de forma que o manejo deve ser alterado considerando-se tais mudanças.

5. O fornecimento limitado não pode ser implementado quando o espaço de cocho é limitado ou quando o sistema de instalação requer a utilização de cama.


Referências

Hoffman, P.C., N.M. Brehm, S.G. Price, and A. Prill-Adams. 1996. Effect of accelerated postpubertal growth and early calving on lactation performance of primiparous Holstein heifers. J. Dairy Sci. 79:2024-2031.

Hoffman, P.C., C.R. Simson, and M. Wattiaux. 2007. Limit feeding of gravid Holstein heifers: Effects on growth, manure nutrient excretion, and subsequent lactation performance. J. Dairy Sci. 90:946-954.

Hoffman, P.C. The Potential to Limit Feed Dairy Replacement Heifers. Tri-State Dairy Nutrition Conference, 2008.

Lammers, B.P., A.J. Heinrichs, and R.S. Kensinger. 1999. The effects of accelerated growth rates and estrogen implants in prepubertal Holstein heifers on estimates of mammary development and subsequent reproduction and milk production. J. Dairy Sci. 82:1753-1764.

Zanton, G.I., and A.J. Heinrichs. 2007. The effects of controlled feeding a high forage or high concentrate ration on heifer growth and first lactation milk production. J. Dairy. Sci. 90:3388-3396.

CARLA MARIS MACHADO BITTAR

Prof. Do Depto. de Zootecnia, ESALQ/USP

3

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

PAULO R. F. MÜHLBACH

PORTO ALEGRE - RIO GRANDE DO SUL - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 23/07/2008

Cumprimento a articulista pela abordagem de um tema que não vem merecendo a devida atenção na prática da produção leiteira. Todavia, é preciso considerar que os dados apresentados são todos norte-americanos, onde, de modo geral, a qualidade das forrageiras é marcadamente superior a das nossas forrageiras tropicais, que por vezes apresentam teor de FDN de até 85%.

Isto já pode ser depreendido da Tabela 1, em que, na dieta controle, com apenas 5,7% de concentrado, o teor de FDN total é de somente 47,3%, ou seja, o teor de FDN do volumoso é de uns 46%. De modo geral, nem as nossas silagens de milho costumam ter um teor tão baixo de FDN.

Assim, ao meu ver, é preciso de certa cautela quando se transpõe para as nossas condições a recomendação de uma certa limitação na alimentação de novilhas, sob pela de não se chegar a um resultado satisfatório.
Deste modo, sem invalidar o mérito e o conteúdo do artigo, nosso produtor deverá considerar como referencial primordial o ganho médio diário de peso de suas novilhas.
JOÃO KURTZ AMANTINO

PASSO NOVO - RIO GRANDE DO SUL - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 22/07/2008

Dra Carla Maris Bittar

Parabéns pelo artigo e citações de pesquisas.
Sou leiteiro novo e aprendiz e sempre me causou muita estranheza e discussões as afirmativas de que só teríamos uma boa vaca de leite se o seu ganho de peso fosse constante e uniforme, desprezando uma das melhores características do bovino - Ganho Compensatório - descrito e muito utilizado em gado de corte.

Possuo um lote de búfalos que utilizo como roçadores e melhoradores do campo e uma das suas maiores qualidades é o fantástico ganho de peso que ocorre após um período de pouco pasto (e ruim) quando estão roçando (arrasando) potreiros e recebem boa alimentação e em quantidade.
Lavou minha alma.

João Kurtz Amantino
Passo Fundo/RS

ALEXANDRE KRUTZMANN

MARECHAL CÂNDIDO RONDON - PARANÁ - ESTUDANTE

EM 22/07/2008

Sem dúvida um ótimo artigo!
MilkPoint AgriPoint