FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Alimentação de novilhas: Ração Total ou top-dressing?

POR CARLOS EDUARDO OLTRAMARI

E CARLA MARIS MACHADO BITTAR

CARLA BITTAR

EM 27/06/2011

3 MIN DE LEITURA

14
0
A produção de leite brasileira vem crescendo consideravelmente nos últimos anos. No entanto, juntamente com esse aumento, vem a necessidade de profissionalização do setor, onde descuidos básicos "dentro da porteira" podem colocar em cheque todo sistema de produção. Nesse sentido, o objetivo deste radar técnico é apresentar métodos de manejo alimentar que possam tornar mais eficiente a criação de novilhas leiteiras.

O manejo alimentar inadequado de novilhas pode afetar consideravelmente seu crescimento e produção de leite futura, elevando ainda mais os custos para o produtor. O oferecimento do alimento à novilha pode ser feito de várias formas, porém, nem todos proporcionam uma ingestão equilibrada dos nutrientes, de acordo com a formulação previamente estabelecida. Nesse sentido, uma tecnologia já consagrada na alimentação de vacas adultas, especialmente em sistemas de produção especializados, diz respeito à ração total ou ração completa. Tal técnica tem como premissa básica misturar todos os ingredientes da dieta (volumosos, concentrados e minerais e vitaminas, por exemplo) objetivando fazer com que os animais ingiram as quantidades desejadas de cada nutriente. Outra forma de alimentar os animais é distribuir o alimento concentrado sobre o volumoso, sem realizar a mistura, também conhecido como top-dressing. Porém, essa técnica permite que os animais selecionem determinados alimentos (geralmente os concentrados), podendo causar um desbalanço na dieta e conseqüente prejuízo no desempenho.

Resultados de pesquisas recentes demonstraram que quando novilhas têm a opção de escolher entre alimentos concentrados e volumosos ofertados separadamente, primeiramente consomem grandes quantidades de concentrado para somente depois ingerirem o volumoso. Dessa forma, o fornecimento de ração total pode evitar o consumo desproporcional dos ingredientes da dieta, possibilitando ingestão equilibrada de nutrientes ao longo do dia. Além disso, quando novilhas são criadas em baias coletivas, pode haver um consumo irregular dos alimentos quando fornecidos de forma separada, ou seja, animais dominantes irão consumir mais concentrado que os dominados, podendo ocorrer diversos distúrbios metabólicos, como a acidose ruminal.

Visando elucidar possíveis questionamentos referentes à influência do método de fornecimento dos alimentos no comportamento e desempenho de novilhas da raça Holandesa, pesquisadores canadenses utilizaram 32 animais com peso médio inicial de 165kg, que foram divididos em 8 baias de 4 animais recebendo a mesma proporção de ingredientes (65% de feno e 35% de concentrado com a mesma formulação), porém de duas formas diferentes: ração total (todos os ingredientes misturados antes do fornecimento) e concentrado sobre o volumoso (top-dressing) (sem misturar).

Os pesquisadores concluíram que animais que receberam ração total apresentaram menor disputa pela área do cocho, especialmente nos horários de pico de alimentação (por volta das 7, 12 e 19 horas), refletindo em períodos de alimentação bem distribuídos ao longo do dia. Por outro lado, os animais que receberam o concentrado sobre o volumoso tiveram mais casos de disputas pelo alimento concentrado (mais de 17 casos de disputa por dia - 2 vezes mais que nos animais que receberam ração total). Nesse caso, animais dominantes consumiram maior quantidade de concentrado que os dominados, resultando em ganho de peso desproporcional do lote, problemas na fermentação ruminal (acidose), laminites e outros distúrbios metabólicos ocasionados pelo consumo de grande quantidade de concentrado em um curto espaço de tempo (Tabela 1).

Tabela 1. Dados de ingestão e comportamento de novilhas leiteiras em crescimento1.



Mesmo não havendo diferenças significativas entre os tratamentos para ingestão de matéria seca e ganho de peso diário, é importante lembrar que os animais alimentados com ração total selecionaram menos os alimentos (consumiram maior quantidade de partículas médias e longas da dieta - principalmente a porção volumosa), refletindo em maior consumo total de FDN e fezes mais duras.

Por fim, pode-se concluir que a utilização de ração total para novilhas leiteiras pode promover um consumo de alimento mais regular durante o dia, minimizar as sobras de ingredientes da dieta (especialmente volumoso) e disputa por espaço no cocho e ainda diminuir a incidência de diarréia ocasionada pela ingestão de grandes quantidades de concentrado.

Referência:
GRETER, A. M.; LESLIE, K. E.; MASON, G. J.; McBRIDE, B. W.; DeVRIES, B. W. Effect of feed delivery method on the behavior and growth of dairy heifers. Journal of Dairy Science, v.93, p.1668-1676, 2010.

CARLOS EDUARDO OLTRAMARI

CARLA MARIS MACHADO BITTAR

Prof. Do Depto. de Zootecnia, ESALQ/USP

14

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

ÁLLAMO FARIAS DE OLIVEIRA

NATAL - RIO GRANDE DO NORTE - ESTUDANTE

EM 16/12/2011

Explicações muito claras e satisfatórias, Carla. Entendi perfeitamente. Sempre compreendi  a importância da ração total para o manejo nutricional dos bovinos leiteiros. Inclusive foi tema de alguns estudos acadêmicos importantes, como dissertações de pós-graduação: http://www.ufrrj.br/posgrad/cpz/dissertacoes_teses/92_Atualizar.pdf<BR
Somente não havia percebido a questão da possibilidade de seletividade da ração, mesmo conseguindo um bom nível de homogeneidade da mistura. Obrigado pelas informações.
CARLA MARIS MACHADO BITTAR

PIRACICABA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 16/12/2011

Államo,

A sobra no cocho é normalmente fixada entre 5 e 10% do oferecido. Eta é uma prática que tem como objetivo não limitar o consumo de alimento pelos animais e diminuir a competição no cocho. Isso é ainda mais importante no caso de novilhas, uma vez que pode existir diferença no tamanho dos animais que compoem um lote. Um aspecto importante é que embora exista sobra, a composição da sobra não tem semelhança com o oferecido, do ponto de vista de composição nutricional, uma vez que os animais selecionam o que tem de melhor no oferecido. Assim, não haveria desperdício de concentrado com a utilização de ração completa. Além disso, o fornecimento de ração completa traz todos os benefícios discutidos anteriormente, que otimizam o manejo nutricional e consequentemente o desempenho dos animais.

Quanto aos funcionários desmotivados, procure adoptar ações que motivem os funcionários e criem nos mesmo comprometimento com os trabalhos diários.

Abs.,

Carla.
ÁLLAMO FARIAS DE OLIVEIRA

NATAL - RIO GRANDE DO NORTE - ESTUDANTE

EM 15/12/2011

Acredito que as duas principais razões de a maioria das propriedades não adotar a ração total em seus tratos seriam:

a) Funcionários desmotivados/preguiçosos (misturar a ração seria um trabalho a mais para eles);

b) Desperdício de ração (como é sempre recomendado que hajam sobras mínimas no cocho, o concentrado - que é a parte mais cara da dieta - iria ser desperdiçado também).
Como poderíamos otimizar esses fatores?
CARLA MARIS MACHADO BITTAR

PIRACICABA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 06/08/2011

Elijá,

Obrigada! É mais ou menos por aí. Como comentou o João Paulo, do Blog Porteira adentro, utilizando-se de equipamento simples como gadanhos, podemos conseguir boas misturas.

Abs.,

Carla.
CARLA MARIS MACHADO BITTAR

PIRACICABA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 06/08/2011

Caro Salmo,

Existem poucos dados sobre os efeitos da alimentação da vaca prenhe no desempenho futuro de sua cria. No entanto, estes trabalhos já mostram que vacas prenhes mal alimentadas podem sim ter crias com baixo potencial de crescimento de produção. Estes efeitos vão desde menor absorção de imunoglobulinas até maior deposiçãod de tecido adiposo, mesmo em animais criados dentro das recomendações. Este será provavelmente o tema do próximo radar técnico, com base nos trabalhos apresentados na reunião anual da American dairy Science Associatian que ocorreu em julho.

Abs.,

Carla.
SALMO B QUEIROZ

UBERABA - MINAS GERAIS - ESTUDANTE

EM 04/08/2011

Olá Carla Maris Machado Bittar

Quando animais em desenvolvimento, com aptidão leiteira de alta produção são mal alimentadas (só pastagem de baixa qualidade), as suas futuras crias poderão sofrer alguma interferência na sua produtividade leiteira futura? Mas desde que essas crias passem por todo um manejo alimentar correto.

Obrigado
ELIJÁ DE ARANDAS PIMENTEL

BOM CONSELHO - PERNAMBUCO - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 04/08/2011

Muito bom o artigo e que mostra as potencialidades do sistema de dieta total e que o importante para o sucesso nessa fase é o manejo adequado e a divisão dos lotes, mesmo que tenhamos a estrutura do amigo da fazenda Sesmaria podemos garantir o sucesso dessa fase com práticas simples como a homogenização dos lotes parabéns !!
GUILHERME ALVES DE MELLO FRANCO

JUIZ DE FORA - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 04/07/2011

Prezada Carla: Tudo depende da oportunidade. Ainda que o manejo seja muito bem efetivado, melhor ainda se houver a distribuição do alimento em cochos individuais. Nós tivemos a sorte de assumir uma fazenda em que tais implementos já haviam sido materializados, pela ação inovadora de meu avô, e temos tido muito sucesso na criação de bezerras holandêsas, com primeiras parições acontecendo entre 23 e 24 meses de vida. Veja as fotos postadas em minha página do My Point.

Um abraço,

GUILHERME ALVES DE MELLO FRANCO

FAZENDA SESMARIA - OLARIA - MG

=A ELITE DO LEITE=

MAIS DE CINQUENTA ANOS PRODUZINDO QUALIDADE
JOÃO PAULO V. ALVES DOS SANTOS

LENÇÓIS PAULISTA - SÃO PAULO - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 01/07/2011

Carla, tudo bem?!

Muito bem escolhido o tema. O mesmo é importante, principalmente pelo fato do "top dressing" ser a realidade da grande maioria das fazendas no Brasil que fazem fornecem concentrado (ração) adicionado à volumoso suplementar.

Nas fazendas que trabalho e/ou já trabalhei, sempre recomendei a "incorporação" ou "mistura", mesmo que manualmente ou com ferramentas (gadanhos/forcas), com excelentes resultados. No caso da presente pesquisa citada, o desempenho foi semelhante (ganho de peso). No entanto, sob a minha orientação, aqueles que foram capazes de incorporar a proposta da mistura obtiveram resultado, principalmente no caso de vacas em produção. O concentrado por cima de volumoso para vacas em lactação sempre resulta em consumos de MS bem variáveis, proporcional à esperada oscilação do pH do rúmen (  ácido = menor consumo; - ácido = elevação de consumo).

A avaliação de novilhas, ressalto, a meu ver, é mais complicada e complexa pois em muitos manejos envolve situações de ganho compensatório. Em outras palavras, muitas vezes o ajuste na quantidade oferecida de concentrado/cab/dia e teores do mesmo corrigido para um determinado volumoso, implica em maiores impactos do que a forma de fornecimento. Em outras palavras, mesmo que a formulação não seja a mais adequada se a disponibilidade de MS for corrigida obtemos resultados. Com vacas em produção tudo é diferente: acertou =   leite, errou = reflexo imediato de queda de produção.

Vai a sugestão: encontrar dados de pesquisa semelhante com animais produzindo. Acredito que revelará dados importantes para orientação de manejo de muitos produtores.

Abração!

CARLA MARIS MACHADO BITTAR

PIRACICABA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 29/06/2011

Caro Guilherme,

quando o manejo geral e alimentar são bem feitos, não existe a necessidade de cochos individuais. Quando formamos lotes homegêneos em termos de peso e altura dos animais, conseguimos diminuir bastante problemas de dominância. Além de lotes homogêneos é importante que o comprimento de cocho seja adequado para o número de animais no lote e a quantidade de alimento fornecida também atenda os animais.

Att.,

Carla.
CARLA MARIS MACHADO BITTAR

PIRACICABA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 29/06/2011

Caro Renato,

Para o adequado consumo da dieta formulada a ração completa é mais indicada, uma vez diminui o poder de seleção de alimentos pelos animais. É importante lembrar que independente da meta de ganho de peso para o animal, a dieta formulada deve ser aquela ingerida pelo animal, o que nem sempre ocorre quando o concentrado é fornecido separadamente. As taxas apresentadas pelo trabalho são altas mesmo, inclusive maiores do que a literatura sugere para animais Holandeses em sistema de confinamento total. O ideal é trabalhar em torno de 750-800g/d, principalmente na fase que antecede a puberdade.

Att.,

Carla.
GUILHERME ALVES DE MELLO FRANCO

JUIZ DE FORA - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 28/06/2011

Prezados Carlos Eduardo e Carla: Parabéns pelo artigo. Entendo que o ideal, que é o que aplicamos na Fazenda Sesmaria, é a alimentação em cocho individual, para que haja o consumo eficiente de alimentos, sem qualquer disputa entre os indivíduos. Não concordamos com o "top-dressing", porque, tal como vocês, concluímos que a seletividade do alimento recairá, com constância, sobre o concentrado, deixando o conjunto volumoso de lado, em prejuízo da dieta total programada. Isto, também, acontece com as vacas.


Um abraço,








GUILHERME ALVES DE MELLO FRANCO


FAZENDA SESMARIA - OLARIA - MG
RENATO SIMÕES ESTIMA

PITANGUEIRAS - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 27/06/2011

Prezados,

Os resultados do trabalho apresentados demonstram ganhos de peso de 1,25 a 1,27 kg/dia (próximos aos resultados obtidos em gado de corte), costumamos trabalhar novilhas leiteiras para ganhos de 0,7 a 0,8 kg/dia objetivando atingir peso vivo de 350 kg aos 15 meses, o que permite trabalharmos com dietas de menor densidade energética e consequente menores teores de amido e açúcares e maiores teores de fibra efetiva, sendo assim, devemos investir no TMR ou podemos manter o top-dressing.

Abraços

Renato Estima
JOSÉ HUMBERTO ALVES DOS SANTOS

AREIÓPOLIS - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 27/06/2011

Muito bom!

Não sabia que topdressing é volumoso com concentrado por cima.
MilkPoint AgriPoint