ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Girolando: produção de leite, características e história

POR STEPHANIE ALVES GONSALES

PRODUÇÃO DE LEITE

EM 11/03/2021

3 MIN DE LEITURA

5
12

Atualizado em 28/05/2021

Os primeiros relatos sobre a raça Girolando surgiram entre as décadas de 1940 e 1950, no Vale da Paraíba, estado de São Paulo. A história conta que a raça teve origem quando um touro da raça Gir invadiu uma propriedade vizinha e cobriu algumas vacas da raça Holandesa.

Assim que foram nascendo, os criadores perceberam que os animais resultantes desse cruzamento eram diferentes do habitual. Mesmo com as diferenças e o estranhamento a princípio, conforme o tempo passava, foram identificando características de qualidade nesses animais, como a precocidade, rusticidade e a boa produção de leite.

A raça é o resultado do cruzamento entre animais da raça Holandesa com o Gir, e possui vários graus de pureza de sangue. O que se busca nos acasalamentos, é uma combinação de 5/8 Holandês e 3/8 Gir, tendo como objetivo a padronização racial, chamado de Puro Sintético (PS) da Raça Girolando

 

Características da raça Girolando

Por ser uma raça que se originou no Brasil e devido ao parentesco com a raça Gir, sua adaptabilidade é uma característica marcante e sua rusticidade permite que ele seja criado nos mais variados climas tropicais. A raça desenvolveu uma capacidade de auto regulação do calor corporal, o que permite que se adeque em qualquer ambiente.

Além disso, características como conformação muscular, hábito de pastejo e capacidade ruminal são destaque e concedem a essa raça a possibilidade de se adaptar e ter boa produtividade em todas as estações do ano.

As características fisiológicas e morfológicas das fêmeas da raça Girolando permitem uma produção de leite excelente, característica advinda da genética da Raça Holandesa. A vida produtiva se inicia normalmente aos 36 meses de idade (idade à 1ª cria), o pico de produção de leite chega até os 10 anos, e produz satisfatoriamente até aos 15 anos.

Pontos como o tamanho das tetas, capacidade de conversão alimentar alta, eficiência reprodutiva, capacidade de suporte de úbere, entre outros, atribuem à raça um desempenho satisfatório. As crias possuem uma ótima velocidade de crescimento, atribuídos à habilidade materna, à herança genética, à rusticidade e à precocidade.  

Já os machos são destinados à reprodução, devido ao alto índice de seleção dos rebanhos e o valor genético agregado desses animais. Porém, animais machos da raça Gir conseguem desempenhar um ótimo resultado para produção de carne, devido a sua adaptabilidade, resistência a doenças, velocidade de ganho de peso e capacidade de aproveitamento de pastagens, sendo facilmente comparado à animais cruzados em mesmo sistema de criação.

Experimentos realizados mostram um ganho médio superior a 1Kg/dia, dando ao Girolando a vantagem de poder ser utilizado para ambas as finalidades.

A docilidade do Girolando é um ponto que também deve ser destacado, pois facilita o manejo dos animais.

A grande diversidade de clima, manejos e sistema de produção caracterizam o Brasil, e a capacidade de adaptação do Girolando é um ponto positivo diante desse cenário. Dessa maneira, fica claro o porquê da raça ser responsável por 80% do leite produzido no Brasil.

 

Quantos litros de leite uma vaca Girolando produz?

Segundo a Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), uma pesquisa realizada em 2018 mostrou que a produção de leite média de vacas Girolando no período médio de lactação de 305 dias, foi de 5.041 litros.

Uma vaca da raça Girolando atingiu 100 mil quilos de produção leiteira em oito lactações. A fêmea Promessa Barbante BAC acumulou 100.618,87 kg de leite em 2592 dias, após última pesagem realizada em novembro de 2019 pela Associação Brasileira dos Criadores de Girolando.

Dessa forma, se torna a quinta vaca da raça a produzir mais de 100 mil quilos, somente quatro fêmeas já tinham superado a marca.

Têm alguma história ou experiência com a raça? Compartilhe com a gente! 

Deixe seu like e seu comentário, isso nos ajuda a saber que conteúdos são mais interessantes para você. Quer escrever para nós? Clique aqui e veja como!

STEPHANIE ALVES GONSALES

Zootecnista formada pela Universidade Estadual de Maringá e pós-graduada em Gestão do Agronegócio, Assistente de Conteúdo MilkPoint.

5

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

CELSO GONSALES

MARÍLIA - SÃO PAULO

EM 11/03/2021

parabéns parabéns
CAMILLA KANASHIRO

EM 11/03/2021

Muito interessante essa raça!
DANIELA FARIA

INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS

EM 11/03/2021

Ótimas informações
LUIZ FERNANDO ROCHA ALMEIDA

JUIZ DE FORA - MINAS GERAIS - INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS

EM 11/03/2021

Muito bom
RITA DE CASSIA

EM 11/03/2021

ótimo texto, parabéns!
MilkPoint AgriPoint