FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Sistema de higienização CIP em indústria de leite

POR LÍVIA RODRIGUES SALCEDO

INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS

EM 21/10/2014

3 MIN DE LEITURA

24
3
Em uma indústria de leite, a higienização é tecnicamente um processo que objetiva a redução ou até a eliminação de perigos, principalmente biológicos, após o processamento do leite ou de seus derivados. Os equipamentos e utensílios envolvidos no beneficiamento, bem como o ambiente em geral, constituem de uma alta carga de resíduos com alto valor nutritivo, advindos da própria matéria prima, se tornando assim um excelente meio de multiplicação de microrganismos.

Dentro da indústria, o leite percorre internamente tubulações de material sanitário que vão desde a ordenha ou plataforma de recebimento da matéria prima até o seu envase. Portanto, deve haver um sistema específico de higienização interna dessa tubulação.

Como higienizar as tubulações internamente?

A higienização dessas tubulações é realizada através da circulação interna e em circuito fechado de substâncias detergentes e soluções de enxágue a qual é conhecida como sistema CIP (Clean in place). Neste caso, as soluções de limpeza devem ser transportadas a partir do tanque de limpeza para as demais partes do equipamento que entram em contato com o leite. Deve-se assegurar que as soluções entrem em contato por tempo suficiente e com ação física mínima para uma limpeza adequada.

Quais são as etapas da limpeza CIP?

Esse sistema de higienização consiste em diversos ciclos de lavagens que abrangem todos os equipamentos envolvidos no processamento e envase do alimento fluído. O ciclo mais básico e comum se baseia em: enxágue, banho com agente alcalino, banho com agente ácido, enxágue final.

Quais sanitizantes são utilizados no sistema CIP?

A limpeza é normalmente feita por substâncias ácidas e/ou cáusticas com enxague final feito com água.
 
É um sistema manual ou automático?

Pode ser manual, intermediário ou automático.

Quando se trata de automatização a segurança é maior. Isso porque se inclui um sistema inteligente que passa por constantes ajustes a fim de manter em equilíbrio o tempo do procedimento de higienização bem como a temperatura, volume, diluição, velocidade e drenagem das soluções químicas, garantindo assim a eficiência e segurança do processo como um todo.

Tais ajustes objetivam regular a velocidade e o fluxo das soluções de limpeza de acordo com o componente do sistema de ordenha, em função do diâmetro. Em sistemas mais modernos usa-se a injeção de ar para produzir um fluxo lento que permite maior tempo de contato com as superfícies internas a serem limpas.



Características físicas do sistema CIP:


Para que um procedimento CIP seja eficaz, o equipamento deve ser projetado em forma que todas as superfícies sejam acessíveis à solução de detergente não havendo assim o acúmulo de incrustações dentro de tubulações (Figura 2. Fonte: Tetrapak).


Quaisquer espaço que aprisione a água residual e a mesma não drene facilmente pode proporcionar um meio de rápida multiplicação de bactérias e causar um sério risco de contaminação do produto.

Em relação ao material dos equipamentos envolvidos no processo, como o aço inoxidável e plásticos elastômeros, deve ser de tal qualidade que não transmitam qualquer odor ou sabor ao produto. Eles devem também ser capazes de suportar o contato com detergentes e desinfetantes nas temperaturas de limpeza.

Conforme o tamanho do laticínio, os sistemas CIP de higienização podem ser projetados de forma centralizada ou descentralizada. No primeiro caso, é interessante em pequenas indústrias onde há grande proximidade entre a central de diluição e as tubulações mais periféricas. Já no sistema CIP descentralizado, as linhas de comunicação entre a central de diluição CIP e os circuitos periféricos são bem mais longas. Assim, para otimizar o sistema de higienização, o ideal é planejar sistemas de ordenha que sejam simples ou menores, pois quanto mais extensa a tubulação por onde passa o leite maior é a dificuldade de limpeza. A distância da unidade final para a sala de leite deve ser mínima para reduzir o volume de soluções de limpeza, perdas de calor e dificuldades de controlar a circulação das soluções.

Conclusão

Procedimentos operacionais padronizados com uma boa higienização favorecem no custo da produção e na qualidade do produto oferecido para os consumidores. O ideal é que o projeto do sistema de higienização seja realizado concomitantemente ao projeto da construção da indústria de modo a favorecer e otimizar o sistema de limpeza posteriormente. Por fim, a regulagem do sistema de forma constante e precisa possibilita maior segurança e eficácia do processo.
 

ARTIGO EXCLUSIVO | Este artigo é de uso exclusivo do MilkPoint, não sendo permitida sua cópia e/ou réplica sem prévia autorização do portal e do(s) autor(es) do artigo.

LÍVIA RODRIGUES SALCEDO

24

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

LEONARDO ORNELLAS FAQUINI FAQUINI

FRANCISCO BELTRÃO - PARANÁ - INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS

EM 04/02/2020

Excelente Artigo Técnico. Sugestão de sinalizar as Opções de Detergentes e Sanitizantes, em relação a Aplicabilidade e Função, para cada Fluxograma de Processos e Pertinente ao Tipo das Operações: Fermentados & Sobremesas, Queijos, Manteigas & Cremes, Concentrados & Desidratados, Leites Fluidos Assepticos.
CLAUDIVANIA RIBEIRO

EM 05/04/2019

Sérgio parabéns pelo artigo, tem nos ajudado muito, uma dúvida quando faço a limpeza dos tanques e mesas em laticinio faço da seguinte maneira: passo água para tirar os resto de soro, lavo com detergente próprio, enxaguo com bastante água e passo o ácido diluido em água, depois enxaguo novamente, posso ficar sem enxaguar depois que passo o ácido? pois está sendo diluido em água.
FABIANA MENDES

EM 21/02/2019

Sérgio PARABÉNS PELO ARTIGO SOU UM OPERADOR NA ÁREA DE CIP. E GOSTARIA DE APROFUNDAR MAIS OS MEUS CONHECIMENTOS VC PODE ME INDICAR UM CURSO BÁSICO PRA ÁREA?
SERGIO ROBERTO ALEXANDRE AMOROSO

SÃO PAULO - SÃO PAULO - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 21/02/2019

Fabiana, boa tarde!
Muito obrigado.
Sugiro o livro: HIGIENIZAÇÃO NA INDUSTRIA DE ALIMENTOS.
Autor: Nélio José de Andrade
Boa sorte.
MARCOS MARTINS GOMES

EM 06/02/2019

Sérgio PARABÉNS PELO ARTIGO SOU UM OPERADOR NA ÁREA DE CIP. E GOSTARIA DE APROFUNDAR MAIS OS MEUS CONHECIMENTOS VC PODE ME INDICAR UM CURSO BÁSICO PRA ÁREA?
SERGIO ROBERTO ALEXANDRE AMOROSO

SÃO PAULO - SÃO PAULO - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 21/02/2019

Marcos, muito obrigado.
Sugiro o livro: HIGIENIZAÇÃO NA INDUSTRIA DE ALIMENTOS.
Autor: Nélio José de Andrade.
Sucesso para você.
JEAN DE PINHO MENDES

PARNAÍBA - PIAUÍ - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 26/12/2018

Sérgio, Boa noite.
Parabéns pelo artigo.
Me ajudou bastante.
Estou finalizando a construção de uma queijaria. Gostaria de saber alguns detalhes.
A queijaria foi construida a uma distância de 60m da sala de ordenha, conforme orientação dia órgãos sanitários.
A produção diária é de 1500l.
Qual o diâmetro da tubulação?
Existe uma indicação de potência da bomba de transferência?
Poderia fazer a limpeza cip da tubulação é da ordenha juntos?
Abraço. Boas festas!
SERGIO ROBERTO ALEXANDRE AMOROSO

SÃO PAULO - SÃO PAULO - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 21/02/2019

Jean, para distâncias dessa dimensão (60 m), o ideal é utilizar diâmetro de tubulação de aço inoxidável de 2 a 2.5 polegadas e vazão de bomba centrífuga sanitária de aproximadamente 5 m3/hora. Sugiro separar os processos de limpeza, afinal, em cada fase há diferentes espessuras de sujidade, portanto, para cada circuito, adotar concentrações de soluções de limpeza específica, para garantir a qualidade da limpeza e não ter prejuízos com químicos, água e energia elétrica. Persista e não desista.
MICHELLE MACIEL

CASTANHAL - PARÁ - FRIGORÍFICOS

EM 28/11/2018

Sérgio, boa tarde
Existe um valor de referência em litros do produto? Por exemplo: Uma higienização a cada 10.000 litros de leite.

Michelle Maciel
SERGIO ROBERTO ALEXANDRE AMOROSO

SÃO PAULO - SÃO PAULO - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 03/12/2018

Oi Michelle, boa tarde!

Sucesso nos seus negócios.

Há alguns indicadores de higienização por equipamento, como segue:

1 - Carro-tanque: higienizar toda vez que descarregar o produto;
2 - Tubulações de transferência do produto: uma vez ao dia;
3 - Silos de armazenamento de produto: Uma vez ao dia;
4 - Pasteurizadores: a cada ciclo de pasteurização (lote). Pode ser a cada três, quatro, cinco ou mais horas, dependerá muito da qualidade da sua matéria prima;
5 - Máquinas de envase: diariamente, imediatamente após o final da produção.

Se você tiver alguma dúvida específica, estou à disposição.

Boa sorte.
EM RESPOSTA A SERGIO ROBERTO ALEXANDRE AMOROSO
MICHELLE MACIEL

CASTANHAL - PARÁ - FRIGORÍFICOS

EM 03/12/2018

Obrigada, pela atenção!! :)

Michelle Maciel
SERGIO ROBERTO ALEXANDRE AMOROSO

SÃO PAULO - SÃO PAULO - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 06/01/2017

Moniely, bom dia!



O sistema CIP é ideal para equipamentos pasteurizadores.



Dúvidas?



O equipamento pasteurizador em referência é a placas?

Possui uma padronizadora ou clarificadora acoplada nesse processo?

O processo de pasteurização é para leite, creme de leite, suco ou outros?

A qualidade da matéria prima recebida é controlada? Isso define a concentração dos químicos na limpeza e horas trabalhadas do equipamento.



Vamos nos falando...





EDEVIL ALCOVA

SÃO PAULO - SÃO PAULO

EM 25/09/2016

Livia boa noite,



Muito boa a sua apresentação sobre a higienização por CIP.



Gostaria se possível me encaminhar fabricantes destes Sistemas de limpeza CIP.



Segue contato do meu email:



edevilalcova@bol.com.br



Grato.



At



Engº Edevil Alcova
MARCUS

SALTO - SÃO PAULO - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 19/05/2016

Boa tarde Lívia,



Muito boa matéria, parabéns.



Algumas normas americanas descrevem que a reutilização de águas residuais não são muito indicadas, pelo fato que o CIP é para limpar e eliminar possibilidades de contaminação, e se em uma batelada você realiza o CIP e reutiliza para o enxague da próxima, você poderá estar passando de uma batelada para outra algumas bactérias e assim consequentemente contaminando próximos lotes. Bom, para a indústria farmacêutica pelo menos é descartado essa hipótese de reuso.

Agora, a quantidade de produtos químicos que usará para o CIP, poderá ser determinado pelo setor de qualidade de cada empresa. A utilização de muito produto de limpeza poderá afetar o eletropolimento da tubulação, deixando-a áspera, assim criando pontos de aglutinação de produto por fim bactérias!!



Abraços a todos, e novamente parabéns.
SERGIO ROBERTO ALEXANDRE AMOROSO

SÃO PAULO - SÃO PAULO - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 05/04/2016

Oi Angelize, boa tarde!



Contato:



Sérgio Amoroso / Consultor Técnico

E-mail: sergio.amoroso@terra.com.br

Tel.: (11) 99136-8823 ( Vivo )



À disposição.
ANGELIZE BRAUN GALVÃO

BURI - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 04/04/2016

Por gentileza Sergio, quais seus contatos para serviços de consultoria?
SERGIO ROBERTO ALEXANDRE AMOROSO

SÃO PAULO - SÃO PAULO - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 21/03/2016

Oi Mariana,



A frequência de limpeza depende do processo, por exemplo, CIP em carros tanque deve ser realizado diariamente, CIP em pasteurizadores de leite e sucos deve ser por lotes de produto, pode ser a cada 6 horas ou 10 horas, ou, as vezes, 3 limpezas CIP ao dia.



A quantidade de químicos depende do volume disponível no circuito. Um pasteurizador pode estar integrado a uma padronizadora e a um homogeneizador, portanto, sua área disponível aumenta, então será necessário estudar o projeto e calcular as concentrações de químicos conforme volume de água no circuito. Exemplo: Circuito com área disponível para 1.000 litros de água, deve-se utilizar aproximadamente 15 litros de Ácido Nítrico.



À disposição.



Sérgio Amoroso - Consultor Técnico

Mundial Química do Brasil Ltda
MARIANA

SÃO PAULO - SÃO PAULO - ESTUDANTE

EM 21/03/2016

Agradeço a ajuda Sérgio e se você puder me ajudar com outras questões ...



- Aproximadamente qual a frequência que realizam essa limpeza?



- Quantidade de ácido que utilizam em cada limpeza



Agradeço!!!
SERGIO ROBERTO ALEXANDRE AMOROSO

SÃO PAULO - SÃO PAULO - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 18/03/2016

Mariana, boa tarde!



Indústria de alimentos de grande e médio porte investem 100% de suas limpezas em sistema CIP, devido a distancia dos processos, a otimização de insumos ( químicos ), a facilidade de higienização em pontos críticos como tubulações aéreas, pasteurizadores, dentre outros equipamentos, controle total de tempo, temperatura, concentrações de químicos etc. O maior benefício contido no processo CIP está na produtividade da empresa, que aumenta na medida que se domina essa ferramenta.



Fábricas de pequeno porte tem seus equipamentos individualizados, ou seja, pequenas distâncias de processo, de fácil processo de limpeza e tempo disponível para exercer limpezas manuais e por imersão.



À disposição.



Sérgio Amoroso


MARIANA

SÃO PAULO - SÃO PAULO - ESTUDANTE

EM 18/03/2016

Boa tarde!



Gostaria de saber atualmente qual seria aproximadamente a porcentagem das industrias que usa esse tipo de limpeza
MARIANA OLIVEIRA

PIRACICABA - SÃO PAULO

EM 25/08/2015

Olá Rita,

A Equipe MilkPoint entrou em contato via e-mail.
RITA

OSASCO - SÃO PAULO - ESTUDANTE

EM 16/08/2015

Boa noite



Gostei muito do seu artigo. Gostaria de saber se posso usá-lo em uma citação para um trabalho de pós graduação que estou fazendo
LÍVIA RODRIGUES SALCEDO

SÃO PAULO - SÃO PAULO

EM 27/10/2014

Olá Sérgio,

Obrigada pelos comentários. Achei excelente sua sugestão quanto a reutilização da água residual. Com certeza enriquecerá nosso conteúdo.
SERGIO ROBERTO ALEXANDRE AMOROSO

SÃO PAULO - SÃO PAULO - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 22/10/2014

Lívia, boa noite!



Parabéns pela matéria! Achei o tópico oportuno, tanto para esclarecimentos técnicos como  para entendimento da importância da racionalização de químicos e água, através do uso de sistema CIP. Gostaria de acrescentar a necessidade atual de se armazenar águas residuais dos enxágues das fases alcalina e ácida, para reutilização no primeiro enxágue do próximo processo a ser higienizado.



Grato!

Sérgio Amoroso
MilkPoint AgriPoint