ENTRAR COM FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

A palavra-chave é eficiência

ESPAÇO ABERTO

EM 11/07/2018

2
3

*Por Rodrigo Sechi, Médico Veterinário, especialista em produção de bovinos de leite

No decorrer dos anos que venho trabalhando com produtores de leite, muitas coisas aprendi, e quem sabe a mais importante, descobri há pouco tempo. Existe uma forma do produtor sobreviver na atividade? Esta resposta demorei quase dez anos para descobrir e hoje, com total convicção,  posso dizer que sim, existe! A resposta sempre esteve na minha frente, de uma forma que eu não conseguia enxergar, ou melhor dizendo, não tinha clareza para ver.

Como todo bom médico veterinário recém formado, com uma vontade incrível de trabalhar, peguei meus instrumentos e literalmente sai para o campo, fazendo de tudo um pouco: castração, mochamento, inseminação, partos, vacinação e atendimento clínico, atividades que fizeram parte da minha vida profissional por muito anos, até que um dia percebi que algo estava mudando. As chamadas para atendimento e inseminação diminuíram e logo pensei: ou os produtores começaram a consultar, pesquisar, profissionalizar, investir e crescer, ou começaram à reclamar, desaminar, diminuir, vender e parar (nesta cronologia).

O fato é que a produção de leite está crescendo, as propriedades estão crescendo, investindo muito em tecnologia, infraestrutura, mão de obra especializada, deixando de ser propriedades rurais e se tornando empresas rurais. As pesquisas em melhoramento genético, reprodução, nutrição e manejo estão cada vez mais avançadas e propiciam que os rebanhos estejam maiores e mais produtivos. Mas, diante de todo este avanço, o que é preocupante é que o número de propriedades está diminuindo e os produtores - em sua maioria os pequenos - estão desaparecendo.

Após anos trabalhando, percebi que a palavra eficiência resume toda esta situação que estamos vivendo. Também, entendi que os reais motivos pelos quais uma propriedade - seja ela grande ou pequena - se mantém ou desaparece, são basicamente dois: ou ela se torna eficiente em todos os aspectos (gerencial, nutricional, genético, reprodutivo e de manejo) e se encaixa na atual forma de produzir, ou ela segue ineficiente na sua forma de produzir e inevitavelmente fará parte do grande grupo que reclama, desamina, diminui, vende e para.  

2

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

PAULO TADATOSHI HIROKI

LONDRINA - PARANÁ - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

HÁ 5 HORAS E 23 MINUTOS

Parabéns, Eficiência e a arte de ser eficiente.
PAULO FERNANDO MACHADO

PIRACICABA - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 12/07/2018

É isto aí, Rodrigo. Você definiu bem, só vai sobreviver quem for eficiente. E, eficiente, significa gerar a maior receita com o capital utilizado. É produzir mais, melhor e mais barato, com os meios de produção disponíveis.