Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Água: o nutriente esquecido

Por Rafaela Carareto Polycarpo
postado em 22/03/2012

28 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Muitos produtores e técnicos se esforçam para garantir aos animais dietas balanceadas, com excelentes fontes de proteínas, energias, vitaminas etc... E acabam se esquecendo de garantir ao animal o nutriente mais importante que ele necessita para maximizar a produção de leite: a água. Estudos indicam que em média, para cada litro de leite produzido, a vaca precisa ingerir de 2 a 4 litros de água e um litro de leite contém 87% de água, portanto garantir que o animal tenha acesso a água com quantidade e qualidade satisfatória torna-se extremamente necessário para se alcançar elevada produção leiteira.

A água, como já foi citado, é um nutriente extremamente importante e necessário. Perde apenas para o oxigênio em escala de importância. Ela participa de vários processos vitais como: transporte de nutrientes, controle da temperatura (por isso é muito importante em dias de elevadas temperaturas), solventes para transporte de excrementos e nutrientes e ainda manutenção do balanço de íons e fluídos. Um animal pode perder 100% de sua gordura e 50% de sua proteína corporal e ainda consegue se manter vivo (por certo tempo), porém, a perda de 20% de água do seu corpo o leva à morte rapidamente.

Quanto de água o animal ingere por dia?

A quantidade de água que o animal deve ingerir por dia varia em função da produção, do peso do animal e também em função de algumas variáveis climáticas como a temperatura e a umidade. Não podemos nos esquecer que o consumo de água também varia em função do teor de matéria seca da dieta, ou seja, com dietas mais secas o animal terá que consumir mais água e com dietas mais úmidas o animal precisará ingerir menores quantidades de água. Por fim a quantidade de água a ser ingerida por dia também pode variar de acordo com o teor de gordura do leite, fato que devemos estar atentos, principalmente quando o rebanho for composto por raças caracterizadas pela elevada produção de gordura, como por exemplo, animais Jersey.

Com tantos fatores influenciando o consumo de água fica difícil saber a quantidade exata de água que um animal deve ingerir por dia. Vários pesquisadores, na grande maioria norte americanos, realizaram experimentos a fim elaborar um equação para estimar a quantidade de água ingerida pelo animal, levando em consideração o teor de matéria seca da dieta e a produção leiteira. O programa de computador usado para formular dietas, o NRC 2001, cita uma destas equações baseadas no trabalho de Dahlborn et al., 1998 :

Consumo de água (kg/dia) = 14,3 + 1,28 x (produção de leite kg/dia) + 0,32X (% de MS da dieta)

Com base no exemplo acima, uma vaca produzindo 30 kg/dia e consumindo uma dieta com 60% de matéria seca, deveria ingerir 72 litros de água por dia.

Já a tabela a baixo traz o consumo de água em função da temperatura do ambiente de produção e da categoria animal:

Tabela 1 - Consumo de água (kg/dia) em função da temperatura ambiente para diferentes categorias animais.



E por fim, temos ainda a equação proposta por Al Kertz, que leva em consideração além do consumo de matéria seca do animal, a produção de leite corrigida para 4% de gordura

Consumo de água (kg/dia) = (4xconsumo de matéria seca) + produção de leite corrigido para 4% de gordura + 25,6
Onde produção de leite corrigido para 4% de gordura = (0,4 x Kg de leite) + [15 x (% de gordura do leite/100) x kg leite]

Neste último exemplo uma vaca produzindo 30 kg/dia com 3,8% de gordura e consumindo 21 kg de matéria seca por dia teria a ingestão de 138 litros de água.

Qualidade da água

Uma vez resolvida a questão da quantidade de água, vamos agora discutir sobre a sua qualidade. Primeiro com relação a limpeza, os bebedouros devem ser limpos pelo menos uma vez por semana e como teste para verificar se eles precisam ser limpos vale a seguinte pergunta: - Esta água está boa para você beber? Se a resposta for NÃO, então é sinal que ela também não está apropriada para seus animais. Os bebedouros podem ainda ser desinfetados, usando água sanitária (1/2 xícara de água sanitária diluída em 5 litros de água).

Com relação a composição da água, infelizmente ainda há poucos estudos sobre o assunto. Percebe-se que os animais são tão sensíveis ou mais do que nós quando ingerem água contaminada. Caso haja suspeita de que a água disponível não esteja com qualidade adequada, recomenda-se fazer análise para verificar os níveis de minerais e possíveis contaminações bacterianas. Independentemente de suspeitar da qualidade da água, recomenda-se que esta seja analisada uma vez por ano.

Problemas comuns relacionados aos minerais são elevados teores de sulfato e de ferro. No primeiro, a água fica com odor de ovo e o segundo fica com gosto metálico. Nestes casos o animal poderá ter o consumo de água reduzido e ainda prejudicar a absorção de outros minerais como cobre, zinco e selênio. A água poderá ainda conter elevados níveis de nitrato, que podem levar a problemas de intoxicação dos animais, uma vez que no rúmen o nitrato será convertido em nitrito e uma vez absorvido diminui a capacidade de transporte de oxigênio do sangue. Teores elevados de nitrato são causados por contaminação de adubos ou matéria fecal (humana ou animal) .

A seguir são apresentados limites máximos ou mínimos de alguns componentes da água:



Dicas

Para finalizar ficam aqui algumas dicas:

- Para maximizar a produção de leite maximize a ingestão de comida (matéria seca) e para maximizar a ingestão de comida, maximize a ingestão de água!
- Como maximizar a ingestão de água
- instale bebedouros na saída da ordenha
- os bebedouros devem estar no máximo a 15 metros do cocho de alimentação
- evite água fria, os animais preferem água morna (temperatura entre 25 e 30 oC)
- lavar bebedouros pelo menos uma vez por semana

Referências bibliográficas

Dahlborn, K., M. Akerlind, and G. Gustafson. 1998. Water intake by dairy cows selected for high or low milk-fat percentage when fed two forage to concentrate ratios with hay or silage. Swedish J. Agric. Res. 28:167- 176.

Roberts, J. 1999. Getting a handle on herd water consumption. Hoard's Dairyman. May 10, 1999, p. 368.

Mary Beth de Ondarza. Water. Disponível em: http://www.milkproduction.com/Library/Scientific-articles.

Saiba mais sobre o autor desse conteúdo

Avalie esse conteúdo: (5 estrelas)

Comentários

Pricila Vetrano Rizzo

Goiânia - Goiás - Analista da Embrapa Gado de Leite
postado em 10/10/2011

Rafaela!!!

Parabéns pelo tema escolhido. Ainda são poucos os trabalhos falando sobre a água.

A preocupação em fornecer uma dieta balanceada para os animais é tão grande que nos esquecemos da água que interfere diretamente no consumo desta dieta.



Abraços,

Pricila

RODOLFO LINO ROSA

Goiânia - Goiás - Produção de leite (de vaca)
postado em 10/10/2011

BOM DIA PROFESSORA...


foi de muita valia essa matéria da agua.


mas ainda fica uma pergnta.


tive na epoca de universitario, professores doutores, que falavam que a temperatura da água não interfere na produção de leite ou na terminação dos animais. Assim como um outro Doutro professor meu também, me mostrou estudos falando sobre a importância e as conseqüências da temperatura da água.


Agora eu pergunto a senhora...


O porque desta divergência? Ate hoje?





obrigado...


RODOLFO LINO ROSA


ZOOTECNISTA

RODRIGO LEMOS MEIRELLES

Pirassununga - São Paulo - Nutricionista de Ruminantes
postado em 10/10/2011

Rafaela


excelente artigo, parabéns!!


tenho algumas dúvidas, tenho avaliado o pH da água de vários clientes, e já encontrei os extremos que tu citas, pH abaixo de 5,5 e acima de 9. Como lidar com isso e como correlacionar com atitudes a serem tomadas?


obrigado

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2014 AgriPoint Consultoria Ltda. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade