FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

2013 apresenta cenário favorável à produção de leite

POR CARLOS EDUARDO PULLIS VENTURINI

PANORAMA DE MERCADO

EM 13/06/2013

7
0
O ano de 2013 tem sido generoso com os produtores de leite. A conjuntura do mercado tem beneficiado a atividade da pecuária leiteira, ao contrário do que ocorreu no segundo semestre de 2012, onde produtores de leite do mundo todo tiveram suas margens de lucro corroídas pela elevação dos preços de grãos devido à seca norte-americana.

O aumento dos preços ao produtor tem superado com folga os índices de inflação, o que indica que o produtor tem obtido maior poder de compra frente aos preços da economia como um todo. O preço do leite no campo no Brasil, calculado pelo CEPEA/ESALQ, acumula variação de 10,3% de janeiro a maio de 2013. Se compararmos o preço de hoje com o de maio de 2012, a variação é ainda maior: 12,7%. Já o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), calculado pelo IBGE e que analisa a variação dos preços de uma cesta de itens consumidos por famílias entre 1 e 40 salários mínimos, apresenta variação acumulada de 2,9% em 2013 e de 6,5% nos últimos 12 meses. O item “Alimentos e bebidas” do IPCA apresenta alta de 6% em 2013, e o item “Leite e derivados”, que abrange os preços de lácteos no varejo, subiu 8,4% no ano, o que demonstra que o produtor tem tido vantagem também frente ao varejo.


A razão para aumento tão significativo no preço do leite está relacionada com a queda na oferta ocorrida no início de 2013: o alto preço dos grãos ao longo do final de 2012 fez com que a pecuária leiteira fosse desestimulada, tanto no cenário interno quanto no externo, causando redução de investimentos e até mesmo a saída de diversos produtores da atividade. Em âmbito mundial, a situação é semelhante. Além do desestímulo em função da deterioração da relação de troca no ano passado, neste semestre houve forte seca na Nova Zelândia, principal país exportador do produto, afetando a oferta mundial. A tabela abaixo apresenta a redução na captação formal de leite no primeiro trimestre de 2013, comparada com o mesmo período do ano anterior em diversos países:



Os dados de produção do Brasil ainda não estão disponíveis, no entanto, o Índice de Captação do CEPEA/ESALQ aponta uma redução de 7,7% no primeiro trimestre, indo ao encontro da tendência mundial de diminuição da produção de leite frente às condições adversas observadas na metade final de 2012.

Além da redução na oferta, que contribuiu para o aumento nos preços do leite, outro aspecto da conjuntura do agronegócio mundial ajudou na melhora das margens de lucro dos produtores de leite: a redução do preço dos grãos, utilizados na alimentação das vacas leiteiras. O preço do indicador de soja CEPEA/ESALQ Paraná caiu 3,9% nos últimos 12 meses. Já no acumulado de 2013 até maio a queda é ainda maior, 16,6%, pois a alta dos preços em 2012 ocorreu apenas no início do segundo semestre, não tendo seus efeitos perceptíveis ao compararmos o preço de hoje com maio de 2012.

O milho também apresentou a mesma tendência de preços. Apesar de apresentar alta de 4,5% nos últimos 12 meses, ao analisarmos o acumulado de 2013 até maio, a queda no preço cotado pelo CEPEA é de 24%. Essa inversão do mercado de custos com grãos pode ser observada no gráfico abaixo:





A relação de troca saca de milho/litro de leite caiu 29,1% desde o início de 2013. Já a de soja/leite caiu 18,6%, indicando a valorização do leite frente aos insumos necessários para a produção devido a toda conjuntura de mercado já citada anteriormente. Tal relação contribui para ilustrar o momento favorável que vive o mercado de leite brasileiro e mundial.

Outro indicador de que o mercado tem sido favorável ao produtor é a Receita Menos Custo de Ração calculada pelo MilkPoint e apresentada no gráfico abaixo. O valor obtido em abril de 2013 é 3,8% maior que no mesmo mês de 2012, que havia sido o maior valor do ano passado.



 

ARTIGO EXCLUSIVO | Este artigo é de uso exclusivo do MilkPoint, não sendo permitida sua cópia e/ou réplica sem prévia autorização do portal e do(s) autor(es) do artigo.

CARLOS EDUARDO PULLIS VENTURINI

Economista formado pela ESALQ/USP; Coordenador de Conteúdo do MilkPoint Mercado

7

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

CARLOS HENRIQUE VILELA FILHO

UBERLÂNDIA - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 17/06/2013

Estou vendo produtores novos e até mesmo os experientes investindo alto em compras de  gado leiteiro. O momento deve ser aproveitado, mas com cautela! Aumentar a produtividade aproveitando o bom momento, entretanto,  não justifica adquirir gado leiteiro com os altos preços que está sendo praticado no mercado, uma vez que conforme todo produtor de leite já sabe, este mercado é muito instável!!
VILMAR WIGGERS

RIO FORTUNA - SANTA CATARINA - INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS

EM 17/06/2013

Para ganhar dinheiro na atividade leite, temos que ter sempre em mente , baixar custos e aumentar a produção. E não venha dizer que não é possivel, pois sempre tem algo novo a descobrir e melhorar.
EDSON APARECIDO DOS SANTOS

CERQUEIRA CÉSAR - SÃO PAULO - INSTITUIÇÕES GOVERNAMENTAIS

EM 14/06/2013

Creio que devemos insistir em aumentar a produtividade sempre e reduzir vulnerabilidades. Pilotar com a ponta dos dedos. Investimento em produtividade dá lucro certo. Esse negócio de ficar esperando que os preços dos insumos caiam e os preços de nossos produtos lácteos aumentem é o mesmo que acreditar que existe um negócio que possibilite entregarmos sua administração a terceiros e  curtir férias permanentes nas Bahamas ou jogando em Las Vegas.
DIOGO ALEXANDRE SANTOS

MUZAMBINHO - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 14/06/2013

gostei do  comentário, só torço para o preço continue estavel e não decline e os insumos como soja, milho não venha aumentar o preço.

Apenas levanto um comentário frente a nós produtores de leite que estamos em pé mesmo perante a crise mundial graças a persintência do produtor rural e o gosto de produzir leite, peço que vocês politicos deu um maior valor a nós produtores porque a economia dos Brasil depende sim da agricultura.
DANILO MELO FRANCO

UNAÍ - MINAS GERAIS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 14/06/2013

o grande problema hoje é desconfiança do produtor,  até quando vai durar esta relação de troca? o setor se descapitalizou muito devido a baixa de preço do leite e tambem no aumento do preço dos ensumos destinados a produção, como rações, adubos, e também a mão de obra, que vem se tornando um grande problema para o setor leiteiro. Na região de unaí teve um agravante de problemas climáticos também, o que não permitiu ao produtor regularizar sua situação finceira até o momento.
SERGIO

BETIM - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 14/06/2013

Não podemos pensar em investir em uma atividade somente porque o preço melhorou nos últimos 03 meses, principalmente se tratando de um negócio tão vulnerável como produzir leite.

Precisamos ser mais profissionais no campo e nas tomadas de decisões.
NELSON JESUS SABOIA RIBAS

GUARACI - PARANÁ - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 13/06/2013

Resumo: fica comprovada a velha regra de mercado, "diminui a oferta melhoram os preços para o produtor". Nada de novo! Na sequencia, com melhores preços, retornam os tiradores de leite de plantão, retorna o volume ofertado e aí começa tudo de novo.