FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Plataforma de orgânicos deve gerar R$ 8,5 milhões em receita para produtores em 2020

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 09/12/2020

1 MIN DE LEITURA

0
0

A Raízs, plataforma de produtos orgânicos, prevê encerrar o ano com uma geração de renda de R$ 8,5 milhões para seus 900 fornecedores cadastrados. Em 2019, eram 700 produtores e o resultado entregue a eles foi de R$ 3,5 milhões. O faturamento do negócio em si deverá crescer 233% em 2020, para mais de R$ 15 milhões.

Tomás Abrahão, fundador da startup, diz que o incremento na receita dos produtores é fruto da maior demanda por orgânicos durante a pandemia, influenciada pela busca dos consumidores por uma alimentação saudável, e também da ampliação do raio de entrega da Raízs. Além da cidade de São Paulo, os produtos frescos chegam agora ao ABC paulista, Alphaville, Granja Viana, Guarulhos, Osasco e, em dezembro, passaram a ser entregues inclusive na Baixada Santista, São Sebastião, Jundiaí e Campinas. Essa expansão fez a base de clientes chegar a 10,5 mil por mês.

Os produtores membros da plataforma trabalham especialmente com hortifrútis (frutas, verduras e legumes), além de lácteos, castanhas, azeites, farinhas, ovos, carnes e bebidas, todos certificados e auditados. Pela plataforma, o produtor precifica suas mercadorias e a Raízs adiciona um percentual para ter sua margem. O frete terceirizado é cobrado à parte.

A ideia é oferecer suporte aos produtores, inclusive técnico, desde o plantio até colheita e comercialização. Uma das vantagens ao produtor, destacou Abrahão, é a garantia antecipada da compra dos alimentos, uma vez que o produtor já planta tendo uma previsão de renda e não fica sujeito a flutuações do mercado. A contrapartida é que a plataforma garante o fornecimento contínuo de itens com bastante saída, como arroz, tomate e batata.

A plataforma também provê um Fundo de Auxílio ao Pequeno Produtor, cuja arrecadação provém de doações de até R$ 30 dos clientes e de uma parcela do faturamento da empresa. A ideia é que os agricultores decidam o que fazer com o dinheiro. Alguns dos direcionamentos mais comuns são a compra de insumos ou equipamento para apoiar as rotinas no campo.

As informações são do Valor Econômico.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint