ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Integração da cadeia produtiva e ajuste de preços podem alavancar o setor de lácteos no País

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 29/05/2020

2 MIN DE LEITURA

1
1

A pecuária de leite no Brasil enfrenta um grande desafio que é o aumento do valor dos insumos utilizados para a alimentação de animais e a falta de ajustes no preço do leite pago ao produtor

Isso está fazendo com que alguns produtores se descapitalizem e percam sua condição de sobrevivência no setor, principalmente aqueles que têm custo de produção elevado, inclusive em razão da alimentação do rebanho e da compra de produtos fora da fazenda.

A observação é do engenheiro agrônomo e diretor da Sociedade Nacional de Agricultura (SNA), Alberto Figueiredo. Segundo ele, “a situação atual exige que os órgãos governamentais e a iniciativa privada, representada principalmente pelas cooperativas e pelas indústrias, se interessem em manter ‘a galinha dos ovos de ouro’ que são os produtores”.

Ao mesmo tempo, Figueiredo considera urgente a necessidade de maior integração entre os segmentos da cadeia produtiva do leite. O cenário atual, de acordo com os últimos prognósticos citados pelo diretor da SNA, poderá provocar uma redução significativa do número de produtores existentes no Brasil.

Comum acordo

“É importante que a cadeia produtiva, composta por fornecedores de insumos antes da porteira, produtores, transportadores, indústrias e comerciantes, entenda que, agindo em comum acordo, de forma negociada, será muito mais fácil evoluir no processo de produção, do que prosseguir no embate de produtores contra indústrias e de indústrias contra o comércio”, destacou Figueiredo.

“É fundamental um acordo comercial entre os agentes do processo produtivo. As grandes lideranças do setor devem começar a pensar nessa alternativa para o melhor entendimento nessa cadeia”.

Avanços tecnológicos

Para Figueiredo, a tecnologia é uma das grandes aliadas nesse processo de evolução do setor. “É preciso ter assistência técnica de qualidade e alternativas de produtividade, isto é, produzir leite em menos área e produzir mais leite por vaca na propriedade”.

O diretor da SNA reconhece que “a pecuária nacional experimenta alguns exemplos significativos de tecnologia avançada que não deve nada a nenhum país do mundo, nem em termos de produtividade, custo de produção e qualidade do produto vendido”.

Além disso, pontuou Figueiredo, “muitas propriedades verticalizaram a produção e estão entregando o leite já embalado, diretamente ao consumidor, em curto espaço de tempo”.

País exportador

A tendência, segundo o diretor da SNA, é que esses projetos se multipliquem e que a produção fique gradativamente mais concentrada nos grandes produtores tecnificados, com níveis de produtividade elevados e baixos custos de produção. “Com isso, em breve, esses produtores serão capazes de tornar o País exportador de leite e derivados em condições competitivas com o mercado mundial”, assinalou Figueiredo.

Para ele, após a atual fase de transição onde os produtores estão sendo desafiados a melhorar suas condições gerais de produção, “teremos um Brasil que não só irá garantir o mercado interno, mas também será capaz de colocar produtos lácteos em qualquer parte do mundo”.

Estatísticas

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que atualmente há mais de 1.100.000 propriedades destinadas à produção de leite no País, em sua maioria pertencente a produtores familiares, que garantem, em média, até 200 litros de leite por dia.

Já o consumo de lácteos no Brasil, por habitante e por ano, está em torno de 180 litros (cálculo da conversão do total em leite), mas a recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) é de 220 litros. “Temos a expectativa de que, com as mudanças das condições sociais do povo e a melhoria do poder aquisitivo da população, nós possamos melhorar esse quadro”, concluiu Figueiredo.

As informações são da SNA.

1

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

PAULO TADATOSHI HIROKI

LONDRINA - PARANÁ - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 02/06/2020

Dúvida cruel: aceitar o ganho com escala e produtividade, dificuldade de quem não faz gestão econômica!
MilkPoint AgriPoint