FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Coronavírus: Abraleite defende medidas de apoio aos produtores de leite

O setor leiteiro quer a suspensão temporária do recolhimento de impostos e encargos sociais, como FGTS e INSS (Funrural), a fim de garantir que os pecuaristas continuem produzindo leite e derivados, alimentos essenciais à saúde humano neste momento de pandemia do coronavírus. O pedido foi encaminhado ao governo federal pela Abraleite (Associação Brasileiras dos Produtores de Leite) e outras entidades da cadeia produtiva.

Segundo o presidente da Abraleite, Geraldo Borges, é preciso assegurar condições para que a produção de leite se mantenha em todas as propriedades brasileiras, estimadas em mais de 1,2 milhão. Ao mesmo tempo, diz o dirigente da entidade, o governo deve garantir a logística de captação nas fazendas e de entrega do produto pelas indústrias ao comércio. “A atividade das indústrias de laticínios do país não pode parar.”

Conforme a entidade, é igualmente fundamental que o governo assegure que os insumos cheguem nas propriedades e nos laticínios, além permitir que os produtores possam ter assistência técnica e atendimento veterinário. “Não é só o leite que precisa sair da propriedade para as indústrias e destas para o comércio. É necessário ainda que o setor tenha embalagens, combustíveis e outros materiais empregados na atividade”, pontua Geraldo Borges.

A Abraleite avalia que alguns prefeitos, pressionados pelo impacto da pandemia, publicaram decretos que obrigam o fechamento da indústria e do comércio, além de restringir o comércio. “Isso nos preocupa porque inviabiliza o funcionamento da cadeia do leite. É claro que é necessário adotar medidas prevenção ao coronavírus, mas é preciso ter bom senso, porque sem alimentos a situação tende a se agravar.”

Gerado Borges ressalta que tais preocupações já foram encaminhadas pela Abraleite e outas entidades ao governo federal. Como resultado dessa manifestação do setor produtivo, o Palácio do Planalto editou o Decreto nº 10.282, publicado nessa sexta-feira 20 no Diário Oficial da União, que define os serviços públicos e as atividades essenciais ao funcionamento do país.

“Fomos atendidos pela ministra da Agricultura, Tereza Cristina, e pelo presidente Jair Bolsonaro com a edição do Decreto 10.282”, afirma o presidente da Abraleite. “Paralelamente, continuaremos trabalhando para que medidas adicionais sejam tomadas pelos governos federal e estaduais para possibilitar que os pecuaristas leiteiros continuem produzindo para levar leite e derivados à mesa dos consumidores brasileiros.”

O presidente da Abraleite destaca ainda que “os produtores de leite, mesmo diante das adversidades enfrentadas nos últimos anos, têm compromisso com o abastecimento de alimentos do Brasil e não podem ser impedidos de trabalhar justamente num momento que produtos como o leite são fundamentais para a saúde da população”.

As informações são do AGROemDIA.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.