ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Balança comercial de lácteos: exportações crescem e importações diminuem

POR TIAGO DA CUNHA FARIA

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 06/01/2022

4 MIN DE LEITURA

1
5

Segundo dados divulgados nesta quinta-feira (06/01) pela Secretaria de Comércio Exterior (SECEX), o saldo da balança comercial de lácteos foi de -71 milhões de litros em equivalente-leite no mês de dezembro, um aumento de 5 milhões, ou aproximadamente 7% em comparação ao mês anterior.

Ao se comparar ao mesmo período do ano passado (dez/2020), o saldo foi ainda menos negativo, sendo que o valor em equivalente-leite nesse período foi de -173 milhões de litros, representando um aumento de aproximadamente 59%.

Esse resultado é o menos negativo desde 2017, quando o mês de dezembro teve um saldo de -68 milhões de litros, e representa o segundo mês consecutivo de aumento. Confira a evolução no saldo da balança comercial láctea no gráfico 1.

Gráfico 1. Saldo mensal da balança comercial brasileira de lácteos.

balança comercial láctea dezembro 2021

Fonte: Elaborado pelo MilkPoint a partir dos dados do COMEXSTAT.

No mês de dezembro as exportações tiveram um aumento de aproximadamente 47% em relação ao mês de novembro, com um acréscimo de 3,1 milhões de litros no volume exportado. Ao se comparar com 2020, as exportações também foram maiores este ano, com um aumento de 1,4 milhões de litros, representando um acréscimo de aproximadamente 17% no volume exportado.

 

Gráfico 2. Exportações em equivalente-leite.

balança comercial láctea dezembro 2021

Fonte: Elaborado pelo MilkPoint a partir dos dados do COMEXSTAT.

Do lado das importações, o mês de dezembro apresentou diminuição de 2,1 milhões de litros no volume negociado, um valor aproximadamente 3% inferior ao mês de novembro. Analisando o mesmo período de 2020, nota-se uma diminuição expressiva entre os volumes importados; em 2020, 181,13 milhões de litros em equivalente-leite foram importados, já em 2021 esse valor teve um recuo de aproximadamente 56%, totalizando 80,8 milhões de litros, o que pode ser observado no gráfico a seguir:

Gráfico 3. Importações em equivalente-leite.

Fonte: Elaborado pelo MilkPoint a partir dos dados do COMEXSTAT.

Essa diminuição nos volumes importados e aumento nas exportações acarretou em um saldo mais favorável para o mês de dezembro na balança comercial de lácteos. O resultado é o menos negativo desde o ano de 2017 para o período. Quando comparado com o ano de 2020 a diminuição drástica nos volumes importados gerou a disparidade dos valores dos saldos.

O menor volume de importações é consequência dos altos preços internacionais dos lácteos e da elevada taxa de câmbio (R$/dólar), observados nos últimos meses. Dessa forma, o mercado brasileiro se viu em um cenário com baixa competividade das importações, conforme demonstra o gráfico 4. Associada a uma demanda interna fragilizada, essa dinâmica levou à diminuição do volume importado pelo Brasil.

Gráfico 4. Custos do Leite em Pó Integral Importado vs Local (nacional).

Fonte: MilkPoint Mercado.

Em relação aos produtos mais importantes da pauta importadora em dezembro, temos o leite em pó integral, leite em pó desnatado e os queijos, que juntos representaram 73% do volume total importado. O leite em pó integral teve um aumento de 23% em seu volume importado. Já o iogurte e a manteiga tiveram uma redução de 35% e 31%, respectivamente. Não ocorreram importações de leite UHT.

Os produtos que tiveram maior participação no volume total exportado foram o leite UHT, o leite condensado, o creme de leite e os queijos, que juntos, representaram 79% da pauta exportadora. Produtos que apresentaram forte variação com relação ao mês de novembro foram o leite em pó integral e o leite em pó desnatado que tiveram aumento de 1.657% e 5.815%, respectivamente, embora o volume vendido ainda não seja tão significativo. Por outro lado, o leite UHT e soro de leite tiveram quedas nas exportações de 27% e 52%, respectivamente.

A tabela 1 mostra as principais movimentações do comércio internacional de lácteos no mês de novembro deste ano.

Tabela 1. Balança comercial láctea em dezembro de 2021. Fonte: Elaborado pelo MilkPoint Mercado com base em dados COMEXSTAT.

balança comercial láctea dezembro 2021

 

O que podemos esperar para o próximo mês?

Conforme demonstrado no gráfico 4, a competitividade dos produtos importados vem perdendo força desde a segunda quinzena de setembro. Apesar da leve correção nos preços no último leilão de 2021, os resultados das negociações do evento 299 da plataforma Global Dairy Trade (GDT) apresentaram um novo aumento nos valores dos lácteos: +0,3% em relação ao último evento, com o preço médio fechando em US$ 4.247/tonelada.

Os valores no mercado internacional elevados, associados a uma taxa de câmbio que tem se mantido alta no país (R$ 5,67 em 04/01) e preços dos produtos lácteos no mercado interno não apresentando melhoras devido a uma demanda fragilizada, evidencia um cenário desfavorável para importações, que foi observado no mês de dezembro e tende a se manter para os próximos meses.

Além disso, contratos fechados nos meses anteriores, que serão entregues nos próximos meses, deverão refletir no saldo da balança de janeiro e fevereiro – com exportações se sustentando e baixo volume importado.

Mantendo-se esse cenário, as importações nos próximos meses tendem a ser menores, e mantém-se a oportunidade de janela de exportação para os produtos lácteos brasileiros.

Entretanto, um entrave que pode vir a causar problemas logísticos (além dos problemas sanitários) é o avanço da Covid-19 no mundo, que pode gerar uma diminuição nas rotas marítimas, prejudicando as exportações. O mundo já vem enfrentando há um tempo problemas logísticos, que vem dificultando o escoamento dos produtos e um agravamento da pandemia pode fortalecer essas adversidades.

1

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

EVERTON BORGES

UBERABA - MINAS GERAIS

EM 11/01/2022

UM DOS MAIORES PROBLEMAS NO PREÇO DO LEITE PARA OS PRODUTORES É O USO INDISCRIMINADOS DE SUCEDÂNEOS DO LEITE, QUE PREJUDICAM OS PREÇOS PARA OS PRODUTORES E DIMINUEM O CONSUMO PELA QUALIDADE DOS PRODUTOS OFERECIDOS AOS CONSUMIDORES.
MilkPoint AgriPoint