ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Agroindústria encerrou 2021 no 'zero a zero'

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 21/02/2022

1 MIN DE LEITURA

0
0

O Índice de Produção Agroindustrial Brasileira (PIMAgro) calculado pelo Centro de Estudos em Agronegócios da Fundação Getulio Vargas (FGV Agro) caiu 2,1% em dezembro ante o mesmo mês de 2020, mas registrou variação positiva de 3,9% em relação a novembro e, com isso, fechou 2021 com resultado estável na comparação com o ano anterior.

O PIMAgro é baseado em dados da Pesquisa Industrial Mensal (PIM-PF) do IBGE e nas variações do Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-BR), da taxa de câmbio e do Índice de confiança do Empresário da Indústria de Transformação (ICI) da FGV.

A alta sobre dezembro foi definida por crescimentos tanto no grupo de produtos não-alimentícios (4%) quanto no formado por alimentos e bebidas (3,8%). No primeiro, os destaques foram os avanços dos biocombustíveis (16,9%) e da área de fumo (10,9%); no segundo, a maior variação positiva foi a dos produtos alimentícios de origem vegetal (7,1%).

“Apesar de a produção agroindustrial não ter registrado queda em 2021, a estagnação [variação de 0%] não se apresenta como uma boa notícia, uma vez que 2020 foi marcado pelos efeitos mais adversos (em termos econômicos) do início da pandemia da Covid-19 no país e, logo, a base de comparação é estreita”, avaliam os pesquisadores do FGV Agro.

Também vale notar que o resultado final do ano passado foi estável graças ao crescimento de 7,5% da produção de produtos não-alimentícios, uma vez que no grupo formado por alimentos e bebidas houve retração de 6,2%. O centro da FGV também destaca que a agroindústria brasileira encerrou 2021 com um nível de produção 3,6% inferior a fevereiro de 2020, antes do início da pandemia.

O FGV Agro mantém cautela em relação a 2022. No cenário base projetado, prevê para o acumulado do ano uma pequena expansão de 0,4%, fruto de altas de 0,3% no setor de alimentos e bebidas e de 0,6% na área de produtos não-alimentícios.

O cenário traçado leva em conta que a pandemia será controlada; que a economia brasileira registrará avanço modesto no ano (0,3%); que a inflação continuará elevada (5,5%); que as turbulências geopolíticas externas serão amenas; e que haverá pouca instabilidade no país por causa das eleições.

Se o horizonte se mostrar mais amigável, o PIMAgro poderá subir até 1,8%. Se apresentar piora, poderá recuar até 1,3%.

As informações são do Valor Econômico, adaptadas pela equipe MilkPoint. 

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint