FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Minerais orgânicos são mais eficientes para vacas de leite?

NOVIDADES DOS PARCEIROS

EM 10/09/2020

6 MIN DE LEITURA

0
3

Atualizado em 10/09/2020

Anteriormente, em um conteúdo da 'Família do Leite' sobre Benefícios da suplementação de zinco em bezerras recém-nascidas , alguns leitores tiveram dúvidas quanto aos benefícios da suplementação de zinco. Dessa forma, resolvemos ajudá-los com alguns estudos e dicas.

Todos aqueles que trabalham com bovinos de leite estão ansiosos para o lançamento do novo NRC, para que saibamos quais serão as modificações e diretrizes que nos guiarão nos próximos anos. Até que isso aconteça, devemos ficar atentos aos trabalhos científicos que vêm sendo publicados. E neste quesito, vários trabalhos sobre a utilização de minerais orgânicos vem clareando o entendimento a respeito da eficiência dos mesmos e sobre como utilizá-los da melhor maneira.

O objetivo de desenvolver o que chamamos de minerais orgânicos está relacionado com a biodisponibilidade dos microminerais, que geralmente possuem um coeficiente de absorção (CA) muito baixo. Minerais como cobre, manganês, selênio e zinco, por exemplo, possuem este CA variando entre 5% e 20%. A indústria desenvolveu então uma maneira de proteger esses metais, com dois objetivos principais: diminuir a interação entre eles, o que chamamos também de minerais antagonistas; melhorar a biodisponibilidade dos minerais, tentado imitar o que a natureza faz (ligando os minerais a alguma molécula, como aminoácidos ou peptídeos).

Considerando a concentração de microminerais no sangue, estudos sugerem que os minerais orgânicos são melhor absorvidos do que os na forma inorgânica (Spears, 1996).

Temos assim uma vasta opção de produtos no mercado, sendo que os principais se dividem em duas categorias: complexos (mineral + aminoácido) e quelatos (mineral + aminoácidos, di e tripeptídeos). Mas também existem os minerais complexados à levedura, como o cromo-levedura e a selênio-levedura, que possuem grande relevância no mercado de nutrição animal.

Estas tecnologias já estão disponíveis há alguns anos, mas ainda geram alguns questionamentos por parte de produtores e nutricionistas..."Qual é a porcentagem ideal (inorgânico e orgânico)? Quais são os benefícios para os animais? Se a biodisponibilidade é maior, eu posso reduzir a dosagem?" Todos esses questionamentos são muito pertinentes, afinal de contas, o valor investido nestes ingredientes é maior do que o usado tradicionalmente. Ou seja, para que o investimento realmente valha a pena, é preciso gerar melhor desempenho (produção) e/ou diminuir os custos, mantendo o resultado atual.

Partindo do princípio de que a fazenda já possui bons animais e a quantidade e qualidade de alimentos volumosos é suficiente, o primeiro passo para a fazenda ter sucesso é garantir que o rebanho esteja saudável. Sendo assim, o manejo nutricional durante o período de transição (antes e depois do parto) torna-se o mais importante para evitar problemas graves. Um grupo de pesquisa da Universidade de Guelph (Canadá) conduziu um experimento com mais de 200 novilhas e vacas para avaliar o efeito da suplementação de 100% de microminerais na forma orgânica, em comparação com microminerais na forma inorgânica (mesmos níveis de suplementação). Os animais iniciaram o tratamento 45 dias antes da previsão do parto e foram acompanhados até 150 dias em lactação. Ao avaliarem a incidência de doenças pós-parto (retenção de placenta, metrite, mastite, problemas de cascos, desordens digestivas e problemas respiratórios), encontraram uma forte tendência de menor incidência dessas enfermidades para os animais que foram suplementados com Bioplex + Sel-plex.

Gráfico 1 – Efeito da suplementação de diferentes fontes de microminerais e a incidência de doenças clínicas no pós-parto, em vacas leiteiras.


Fonte: Adaptado de B. Mion et. al, 2020 (ADSA).

Reduzir quase 12 pontos percentuais na incidência de doenças pós-parto gera muitos benefícios para a fazenda como um todo. Isso porque, os animais que passam por um período de transição sem grandes problemas terão uma capacidade de se reproduzirem de maneira mais eficiente. A tabela abaixo traz os resultados encontrados pelo mesmo grupo da Universidade de Guelph, em relação à porcentagem de vacas que retornaram ao ciclo estral de acordo com a suplementação de diferentes fontes de microminerais.

Tabela 1 – Efeito da suplementação de diferentes fontes de microminerais e a resposta reprodutiva de vacas leiteiras.


Fonte: Adaptado de B. Mion et. al, 2020 (ADSA).

A reprodução é tida como um dos pontos mais importantes para o sucesso da atividade leiteira. Sabendo disso, e diante desses resultados, é possível pensar em como a nutrição pode influenciar, por exemplo, a taxa de serviço e, por consequência, a taxa de prenhez. Ou seja, saúde e eficiência também “entram pela boca”. Não se deve valorizar apenas ingredientes que são consumidos em grandes volumes. Microingredientes também fazem uma grande diferença no resultado das propriedades.

Mas ainda existe uma questão importante: se o mineral orgânico é melhor, eu posso usar doses menores?

Buscando responder esta questão, um grupo de pesquisa da Universidade de São Paulo (USP-Pirassununga) conduziu um experimento para avaliar exatamente essa hipótese. No grupo controle, as vacas foram alimentadas com microminerais na forma inorgânica (cobre, cobalto, manganês, ferro, selênio e zinco), com os níveis utilizados normalmente pela indústria de nutrição animal no Brasil (pré e pós-parto). O outro grupo foi alimentado com os mesmos microminerais, só que na forma orgânica (Bioplex e Sel-Plex), em doses reduzidas (50% das quantidades fornecidas ao primeiro grupo, exceto selênio, que teve a mesma dose do grupo controle). 

Como o período do experimento foi do 30° dia antes da previsão de parto até o 56° após o parto, os pesquisadores puderam identificar que não houve diferença alguma em relação à saúde das vacas quando as doses foram reduzidas pela metade. No entanto, quando avaliada a produção das vacas, elas aumentaram a produção de leite em mais de 3 litros/dia (média). Também foi observado aumento nos sólidos do leite e no teor de selênio no colostro das vacas que receberam os minerais orgânicos.

Gráfico 2 – Efeito da suplementação de minerais orgânicos na produção de leite de vacas leiteiras.


Fonte: Adaptado de G. G. Silva et. al, 2020 (ADSA).

A possibilidade de aumento na produção de leite (com redução de doses de microminerais), melhoria da saúde dos animais no periparto e retorno ao ciclo estral mais rápido são alguns dos benefícios que discutimos acima. No entanto, benefícios à saúde da glândula mamária e dos cascos frequentemente também são atribuídos ao uso de minerais orgânicos para vacas de leite.

A evolução da pecuária leiteira brasileira nos últimos 5 anos foi incrível, pois produtores tem investido muito em genética, ambiência e nutrição. Este último, em especial, vem evoluindo de maneira importante, com tecnologias embasadas em estudos científicos que visam aprimorar os resultados das fazendas. A tecnologia dos minerais orgânicos se insere muito bem neste meio e, por existirem várias opções no mercado. É preciso buscar produtos testados e comprovados cientificamente para garantir que o investimento seja bem feito e, como consequência, traga melhores resultados.

Daniel Navarro Lobato, Zootecnista, Equipe de ruminantes da Alltech do Brasil.

 

A Alltech possui uma linha completa de minerais orgânicos: linha BIOPLEX® e SEL-PLEX™. Para mais informações sobre minerais orgânicos acesse: go.alltech.com/br/minerais/ruminantes

 

Conheça mais benefícios da suplementação com microminerais orgânicos em:

Bovinos de leite: saiba como melhorar os índices de fertilidade de seu rebanho

Bovinos de leite: saiba como reduzir os níveis de estresse e melhorar a eficiência de utilização da glicose com a suplementação de cromo

Problemas no casco? Saiba como o zinco pode ajudar o seu rebanho

Minerais orgânicos no aumento da produção de leite

Mastite: suplementação com minerais orgânicos é aliada no combate à doença

 

Referências:

B. Mion*1, J. F. W. Spricigo1, K. King1, L. Ogilvie1, O. Chiu1, L. Lobe1, B. Van Winters1, E. Merry1, S. LeBlanc2, M. A. Steele1, B. W. McBride1, E. S. Ribeiro1 2020. Impact of supplementary trace mineral source on health and reproduction in lactating dairy cows. Abstract 64 (ADSA)

G. G. Silva¹, M. S. Dias¹, N. T. Scognamiglio¹, T. A. Del Valle², A. T. Nunes¹, P. F. Curti¹, P. C. Vittorazzi Júnior¹, T. B. Silva¹, C. S. Takiya³, J. Pettigrew4 , A. F. Koontz5, L. F. Silva5, F. P. Rennó*¹2020. The use of reduced levels of organic minerals in diets for transition dairy cows. Abstract W67 (ADSA)

Spears, J. W. 1996. Organic trace minerals in ruminant nutrition. Anim. Feed Sci. Technol. 58:151–163.

 

Dúvidas? Entre em contato com a Alltech pelo Box abaixo.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint