ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Suplementação de selênio para vacas no pré-parto

POR JOSÉ ROBERTO PERES

PRODUÇÃO DE LEITE

EM 22/02/2002

3 MIN DE LEITURA

1
0
O selênio é reconhecido há muito tempo como um mineral essencial. Seu principal papel no metabolismo animal é como parte do complexo glutationa-peroxidase (GT-P). A GT-P além de funcionar como parte do sistema imunológico, também participa de respostas imunes específicas a infecções da glândula mamária. O selênio também trabalha em conjunto com a vitamina E para manter a integridade celular e melhorar a resposta imune.

A correta suplementação de selênio e vitamina E para vacas e novilhas prenhes diminui a incidência de retenção de placenta, infecções uterinas e mastite clínica no início de lactação. A adequada suplementação de selênio nesta fase também tem efeito positivo na saúde e taxa de sobrevivência dos bezerros.

Nas fazendas que fazem uso de rações completas, onde a dieta é fornecida misturada no cocho, a disponibilidade de selênio tem atendido as exigências dos animais, na maioria dos casos. Todavia, as vacas secas e novilhas prenhes freqüentemente recebem dietas com grande quantidade de forragem, ou até mesmo exclusivamente a pasto, sem qualquer tipo de suplementação com concentrados (rações). Os concentrados normalmente são utilizados como "veículo" para o fornecimento de quantidades adequadas de selênio e vitamina E de forma "forçada". Acreditar que a vaca irá obter toda suplementação mineral no cocho de sal muitas vezes acaba por decepcionar pois alguns animais podem ter uma ingestão de sal menor que o necessário para a o correto atendimento das exigências.

Em função disso, aqui, como em outros países, é bastante freqüente o questionamento dos produtores sobre a possibilidade de fornecimento de selênio através de injeções estratégicas antes do parto. Isto levou alguns pesquisadores a estudarem o tema.

Um grupo de pesquisadores da Universidade da Califórnia estudou o uso de selênio injetável como método de manter o nível de Se no sangue de novilhas mantidas em dietas deficientes neste mineral. O grupo experimental recebeu uma injeção intramuscular de Se (0,05 mg/ kg de peso vivo). As novilhas do grupo "controle" receberam placebo. Os picos de concentração de selênio no sangue e no soro ocorreram nas primeiras 5 horas após a aplicação no grupo tratado (respectivamente, 0,131 ug/ml e 0,154 ug/ml). A concentração de Se caiu após 5 horas e permaneceu abaixo da concentração adequada (0,10 ug Se/ml de sangue) pelo restante do estudo. Com isto eles demonstraram que o Se injetável só conseguiu suplementar o Se sanguíneo por algumas horas, após o que os níveis voltaram à deficiência novamente.

Também foi realizado o acompanhamento da atividade da glutationa-peroxidase no sangue durante os 84 dias que seguiram a aplicação do Se injetável. A GT-P no soro não diferiu quando se comparou as novilhas tratadas às controle, com exceção das 5 horas que seguiram a aplicação. É importante ressaltar que em nenhum momento a atividade da GT-P atingiu valores normais no tratamento com a injeção única de Se.

Estudo semelhante realizado na Universidade Estadual de Michigan (EUA) confirma os resultados da Califórnia. Neste estudo a concentração de Se no sangue de vacas prenhes teve pico dentro de 24 a 48 horas após uma única injeção intramuscular de Se e então rapidamente retornou às concentrações anteriores ao tratamento.

A razão para este efeito de curta duração da injeção de selênio em vacas prenhes parece estar relacionada com o feto. O feto tem prioridade sobre as exigências da mãe. O fornecimento contínuo e em quantidade adequada de Se, para vacas e novilhas prenhes resulta em teores adequados de Se no sangue das vacas após o parto e também nos bezerros.

Sendo assim, parece que uma ou duas injeções de selênio não conseguem manter concentrações adequadas de Se no sangue de vacas e novilhas prenhes. É essencial o fornecimento de dietas (concentrados) com níveis suficientes de selênio diariamente. Esta situação parece ser mais crítica para vacas a pasto, que não tem acesso a concentrados.

Após a revisão da literatura no assunto, a edição mais recente do NRC (2001), que dita as normas de nutrição animal nos EUA, indica que a suplementação de 0,3 ppm (mg/kg) de selênio na matéria seca da dieta é suficiente para manter níveis normais de selênio no sangue de vacas pré-parto.

Injeções de selênio talvez possam/devam ser utilizadas como uma forma estratégica de se aumentar a ingestão diária de Se nos últimos momentos da gestação.

Comentário do autor: esta suplementação estratégica imediatamente antes do parto é difícil, já que dificilmente se sabe o exato momento em que o parto ocorrerá. Além disso, seria interessante saber se estes níveis mais elevados de Se sanguíneo somente no momento do parto seriam suficientes para evitar os problemas relacionados à deficiência de Se (pode ser necessário algum tempo para que os processos metabólicos sejam ativados/desencadeados?).

Adaptado de: Mellenberger, R.W., 2001. Selenium supplementation for Dry, Late pregnant Cattle. Michigan Dairy Review, April.

1

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MERCIA

PIRACAIA - SÃO PAULO - ESTUDANTE

EM 07/03/2017

Tenho uma vaca prenha mas esta muito magra o q devo dar pra ela engorda
MilkPoint AgriPoint