ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Soro de leite na alimentação de bezerras

POR JOSÉ ROBERTO PERES

PRODUÇÃO DE LEITE

EM 16/08/2002

4 MIN DE LEITURA

10
0
Com freqüência recebemos consultas sobre a possibilidade de utilização de soro de leite na alimentação de bezerras. Em muitas regiões do País onde a produção de queijos é mais intensa, normalmente existe uma abundância deste "subproduto", na maioria das vezes oferecido quase gratuitamente a quem possa retirá-lo do laticínio. É em função disso que muitos produtores manifestam o desejo de utilizá-lo, se possível, em substituição ao leite.

Antes de mais nada, é preciso adiantar que a substituição total do leite por soro é impossível. Embora o soro seja derivado do leite, sua composição é totalmente distinta, não permitindo a correta nutrição de bezerras em fase de amamentação. Uma das diferenças é que o soro praticamente não possui gordura (0,8% da matéria seca), embora possua alto valor energético. Esta energia é oriunda de uma alta concentração de lactose (65-70% da matéria seca), o carboidrato do leite. O excesso de lactose provoca diarréia em bezerros (por fermentar no intestino) o que, por si só, já impediria a substituição completa do leite. Esta possibilidade de diarréia é agravada pela alta concentração mineral (desbalanceada) em sua composição. Outro inconveniente é seu baixo teor protéico (10-12% da matéria seca, na forma de albuminas e globulinas), insuficiente para atender às exigências de bezerros recém-nascidos, muito embora a digestibilidade desta proteína seja semelhante à da caseína, a proteína do leite.

Devido a esta alta digestibilidade de sua proteína, o soro seco é muitas vezes concentrado de diversas formas por processos mais sofisticados (soro delactosado ou proteínas concentradas de soro 35 a 70% de proteína bruta), o que permite seu uso principalmente na formulação se sucedâneos lácteos de boa qualidade.

Nas nossas condições práticas, no entanto, quando disponível, o soro encontra-se em sua forma líquida, que tem a desvantagem adicional de possuir teor muito baixo de matéria seca (5-6%). Mesmo com todas as limitações mencionadas, parece existir a possibilidade de aproveitamento deste alimento. É o que demonstrou um experimento realizado no Instituto Tecnológico de Veracruz, no México.

Soro de leite não pasteurizado, proveniente de uma fábrica de queijo fresco foi inoculado com lactobacilos e deixado fermentando em temperatura ambiente por até 48 horas. Esta fermentação teve por finalidade estabilizar o produto e diminuir sua contagem microbiana. O pico da fermentação ocorreu entre 18 e 36 horas. A população de coliformes diminuiu após 24 horas e desapareceu após 36 horas, o que indica que o soro já poderia ter sido utilizado após este período.

Após a fermentação, o soro foi fornecido a 24 bezerros recém-nascidos (Holandês x Zebu e Pardo-Suíço x Zebu), alojados e alimentados individualmente. Três machos e três fêmeas foram destinados aleatoriamente a cada um dos 4 tratamentos testados:

T1) controle, que recebeu 4 litros de leite fresco/dia;
T2) Quatro litros de leite fresco + 2 litros de soro fresco;
T3) Quatro litros de leite fresco + 2 litros de soro fermentado;
T4) Três litros de leite fresco + 3 litros de soro fermentado

O leite foi oferecido até a desmama, aos 3 meses de vida. O soro foi incluído na dieta após o primeiro mês em incrementos de 1 litro por mês até o sexto mês. Os animais também receberam um concentrado à vontade até a desmama e na quantidade fixa de 1 kg/dia após a desmama. Feno de grama estrela também ficou à disposição dos animais durante o período experimental.

Dentre os parâmetros avaliados, a principal observação foi que o fornecimento de soro permitiu economia de concentrado. Um resumo dos resultados pode ser observado na tabela 1.

Tabela 1: Consumo e desenvolvimento



O tratamento T4 teve um consumo superior aos T2 e T3, e semelhante ao T1. Os autores sugerem que este maior consumo deveu-se a uma necessária compensação, em função da substituição parcial de 1 litro de leite por um litro adicional de soro, o que comprova a insuficiência do soro como substituto do leite.

No entanto, os pesos auferidos à desmama ou aos 6 meses de idade não apresentaram diferença estatística (lembre-se que os bezerros continuaram recebendo quantidades crescentes de soro da desmama até os 6 meses de vida). O mesmo foi observado em relação ao ganho em peso médio diário.

Os autores concluem que o soro fermentado pode economizar até 40% do concentrado e pode substituir até 25% do leite na dieta de bezerros.

Comentário do autor: em regiões onde há disponibilidade de soro, esta pode ser uma boa referência para seu aproveitamento. É preciso lembrar que seu custo tem que ser realmente muito baixo (quase gratuito), já que seu teor de matéria seca (onde os nutrientes realmente se encontram) é muito baixo. Cerca de 90% do soro é água!. Procedimento interessante é a fermentação prévia, já que o soro proveniente da fabricação de queijo fresco normalmente não é pasteurizado, o que pode contribuir para a transmissão de determinadas doenças e infecções em geral.

Fonte:

Juarez, F.I. et al. 2002. Using non-pasteurized fermented whey in calf feeding. J.D.Sci. 85, volume 1, pág 239.

Montero, M. et. al, 2002. Fermentation of non-pasteurized whey with probiotic Lactobacilli for calf feeding. J.D.Sci. 85, volume 1, pág. 281.

10

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

GILBERTO COMPER

JOSÉ BOITEUX - SANTA CATARINA

EM 06/05/2020

O soro é misturado ao leite e qual porcentagem de cada
ADENILTON

IPIAÚ - BAHIA

EM 21/08/2019

Sei que ja tem muito tempo mas mostra pra nos como você faz da mais detalhes
ELIMAR DONIZETE NUNES

PEREIRAS - SÃO PAULO - INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS

EM 01/04/2017

O soro de leite pode prejudicar o cio das vacas e o libido do touro.
LUCIANO BELLINE PREGUIÇA

DEODÁPOLIS - MATO GROSSO DO SUL - ESTUDANTE

EM 29/11/2016

entendo que só o soro não tem nutrientes suficiente, mas ao envés de misturar água ao leite em pó pode ser misturado o soro? gostaria de saber, se alguém já fez o teste?   
JOSÉ ALCEU DA SILVA CABRAL

CAMPO GRANDE - MATO GROSSO DO SUL - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 26/09/2016

E para vacaa leiteira? ????
JUBER GUIDO MACIEL FILHO

INHAPIM - MINAS GERAIS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 31/08/2016

quanto de lactobacilus foi misturado ao soro ?
ANTONIA APARECIDA DA SILVA CARVALHO

POUSO ALTO - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 30/09/2015

E a administração de soro a vacas leite?
OTACIANO ALVES DE SOUSA

PARACURU - CEARÁ - ESTUDANTE

EM 26/03/2015

aqui na fazenda laguna -paracuru-ce  alimentamos  nossos bezerros com soro   e obtemos resutados bastante sartisfatorio com um ganho de 87kg a 90kg aos 90dias...........
MARCOS SERGIO DE SOUZA

NOVA BANDEIRANTES - MATO GROSSO - COMÉRCIO DE CAFÉ (B2B)

EM 01/08/2009

Sobre a fermentaçao previa e o procedimento correto, peço a gentileza que o autor do artigo nos ensine como faze-la.
MARLON SIQUEIRA RODRIGUES MARTINS

JUIZ DE FORA - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE GADO DE CORTE

EM 21/06/2009

E a administração de soro a vacas leite?
MilkPoint AgriPoint