ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

É possível uma vaca ter mastite e ser negativa no teste do CMT?

PRODUÇÃO DE LEITE

HÁ 2 DIAS

1 MIN DE LEITURA

0
4

Recentemente recebemos o questionamento de um dos nossos leitores do site, a respeito de um animal que apresentava infecção por Staphylococcus aureus, mas tinha resultado negativo no CMT. Veja o questionamento: 

"Coletei ao mesmo tempo, duas amostra de leite de uma vaca, em uma amostra realizei CMT com resultado NEGATIVO, a outra amostra foi realizado exame de laboratório com resultado de (Staphylococcus) aureus. É possível uma vaca com 'aureus' e ter resultado NEGATIVO no exame de CMT?"

A S. aureus é uma bactéria causadora de mastite em vacas e muito comum nas fazendas leiteiras do Brasil, gerando grandes prejuízos para a produção de leite. É um patógeno contagioso e, normalmente, as infecções causadas por ele são de caráter subclínico e tendência a cronificação, levando a perda de produção de leite e baixa taxa de cura. 

O teste do California Mastitis Test (CMT) é largamente utilizado para determinar o status da mastite em animais em lactação. Consiste em misturar a solução do CMT, a base de um detergente adicionado a um indicador de pH, com o leite do animal. Esta solução vai reagir com o material do núcleo de células somáticas presente no leite formando um gel e gerando uma estimativa da concentração de CCS. A reação é avaliada por score (zero a 3) e interpretada de acordo com a intensidade de gel formado, o que torna o teste muitas vezes subjetivo.

Confira a resposta do Prof. Marcos Veiga para a pergunta do leitor: 

"O teste de CMT tem baixa precisão (teste baseado na avaliação visual) e assim, pode-se ter resultados negativos, mas com CCS de até 500.000 cel/ml. Neste caso, é possível que o teste do CMT seja negativo, mas a vaca já apresentar CCS moderadamente alta, o que poderia explicar a identificação do Staph. aureus. Além disso, é possível que vacas infectadas por Staph. aureus podem ter CCS abaixo de 200.000 cel./ml, pois durante a infecção, mesmo com a vaca já infectada, a CCS pode sofre variações com aumento e redução ao longo do tempo. Atenciosamente, Marcos Veiga."

Esta é uma dúvida bastante interessante e esperamos que tenha servido para o seu conhecimento também! wink

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint