ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Dimensionando instalações para maior produtividade: bebedouros

POR DANIEL DE ARAÚJO SOUZA

PRODUÇÃO DE LEITE

EM 06/08/2007

2 MIN DE LEITURA

10
1

O fornecimento adequado de água é de extrema importância para o desempenho animal e o uso de bebedouros bem dimensionados é essencial para garantir disponibilidade, qualidade, saúde, bem-estar e resultados produtivos otimizados.

Independente do sistema de produção, o bebedouro apropriado deve ter suficiente capacidade linear (área de chegada) para permitir que todos os animais tenham acesso facilitado à água; alta vazão de reabastecimento (bebedouros automáticos com bóia protegida) para não limitar o consumo e atender a demanda nos períodos de maior pico; capacidade de estocagem para cerca de 2 dias de consumo a fim de assegurar a disponibilidade caso haja algum problema no sistema de abastecimento; e deve permitir a limpeza rotineira para garantir a qualidade da água fornecida aos animais.

O tipo de material usado na construção do bebedouro deve garantir resistência, boa impermeabilização, fácil limpeza e ausência de quinas vivas e frestas, reduzindo o risco de lesões aos animais e danos à estrutura do bebedouro. Há disponível no mercado bebedouros feitos a partir de diversas matérias-primas, como, aço galvanizado, concreto, PVC, ferro fundido e fibra de vidro (Figura 1).


Figura 1. Bebedouros tipo australiano e tipo cocho para uso no campo e em áreas de lazer.

No campo ou nas áreas de lazer, recomenda-se a localização do bebedouro próximo à área de descanso dos animais e da sombra, a fim de evitar gasto excessivo de energia e estresse devido ao deslocamento e a maior exposição à radiação solar durante longas caminhadas, porém de forma que permita a insolação da área interna do bebedouro.

A pavimentação da área em volta do bebedouro (calçamento ou cascalhamento), mantendo-se uma declividade apropriada, também é importante para facilitar o escoamento e drenagem da umidade, e evitar condições insalubres e estressantes para os animais, assim como, aumentar a vida útil dessa estrutura.


Figura 2. Bebedouros automáticos para uso em baias individuais ou com poucos animais.

O bom dimensionamento do sistema de armazenamento e de abastecimento é de suma importância para garantir a regularidade do fornecimento. Dessa forma, a adoção de reservatórios centrais para estocagem, tratamento e distribuição da água, com uma capacidade de armazenamento de no mínimo 2 dias é essencial, especialmente, em propriedades que dependem de equipamento para captação de água.

Os reservatórios devem ser instalados em posição elevada no terreno, de forma que a distribuição aos bebedouros seja feita por gravidade, por meio de tubos de PVC com diâmetros específicos. A instalação de registros ao longo da malha de distribuição é também uma medida interessante para facilitar a limpeza dos bebedouros e as operações de manutenção de todo o sistema de armazenamento, distribuição e fornecimento de água.

Na Tabela abaixo, encontram-se algumas referências de espaço de bebedouro e consumo diário de água para diversas categorias ovinas.

Tabela 1. Espaço de bebedouro (em centímetros lineares) e consumo de água (litros/dia) por animal para dimensionamento de bebedouros para ovinos.


Algumas dicas adicionais sobre o assunto se encontram no artigo "Garantindo qualidade e disponibilidade de água", publicado nesta seção.

DANIEL DE ARAÚJO SOUZA

Médico Veterinário, MBA, D.Sc., especializado no sistema agroindustrial da carne ovina. Consultor da Prime ASC - Advanced Sheep Consulting.

Facebook.com/prime.asc

Twitter.com/prime_asc

10

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

EMANUELA RIBEIRO

IGUAPE - SÃO PAULO - ESTUDANTE

EM 22/06/2017

olá, gostaria de saber o espaço e o tamanho para bovinos?
DANIEL DE ARAÚJO SOUZA

FORTALEZA - CEARÁ

EM 04/02/2013

Caro Sandro,



Os e-mails estão retornando!! Você teria um e-mail alternativo?



Abraços,



Daniel
SANDRO RODRIGUES

TAUBATÉ - SÃO PAULO

EM 28/01/2013

gostariamos de adquirir bebedouros automaticos para cães de nosso canil.

O bebedouro deverá ser de material que não enferruja, e com boias



Aguardo resposta pelo email : srds@policiamilitar.sp.gov.br





URGENTE
DANIEL DE ARAÚJO SOUZA

FORTALEZA - CEARÁ

EM 12/09/2011

Olá Dárcio,



Procure na internet os sites das empresas Delaval e Forlev que elas possuem bebedouros em polietileno com a capacidade que você procura.



Obrigado por sua participação!!



Abraços,



Daniel
DÁRCIO LUIZ FONSECA

MINAS GERAIS

EM 05/09/2011

muito bom o artigo, gostaria de saber onde encontro bebedouros em pvc,polietinelo para gado cap 250.l a 500 ltros3335232118 darciofonseca@hotmail.com
DANIEL DE ARAÚJO SOUZA

FORTALEZA - CEARÁ

EM 27/07/2011

Olá Carlos,



A existência de quinas vivas em instalações (currais, baias, bebedouros, etc) é um fator que favorece a ocorrência de lesões nos animais, causando dor, estresse e podendo abrir portas para infecções e miíases, o que isoladamente ou em conjunto comprometerão o bem-estar e o desempenho dos animais.



Além disso, há um comprometimento da higiene e limpeza, uma vez que em estruturas com quinas vivas ou "retas" a retirada das sujidades torna-se mais difícil.



Desculpe pela demora.



Abraços,



Daniel
CARLOS

CURITIBA - PARANÁ - ESTUDANTE

EM 13/07/2011

Qual o problema com as quinas vivas?
TAISA QUIXABIRA COSTA

PEDRO AFONSO - TOCANTINS - ESTUDANTE

EM 20/10/2007

Olá, é ótimo poder participar desta página de informações.
JULIANA BOTELHO

CASCAVEL - PARANÁ

EM 08/08/2007

Estou com uma dúvida em relação aos bebedouros que estou neste momento construindo em minha propriedade. Peguei um modelo que achei bom na revista o berro mas lá explicava que a altura tinha que ser num determinado padrão para que as ovelhas não entrem dentro, ou seja, na altura do pescoço. Então minha duvida é de como fazer para os filhotes beberem água se nesta altura nem todos vão alcançar.

Gostaria de receber se possível o modelo de um bebedouro que servisse para os animais adultos e para os filhotes também. Obrigada, Juliana.

<b>Resposta do autor:</b>
Olá Juliana,

O bebedouro mais adequado vai depender do seu sistema de produção e do local onde o mesmo será instalado, ou seja, no campo ou no aprisco. No campo, o bebedouro do tipo australiano, devido a sua área, tem apresentado problemas de entrada de animais (inclusive de bovinos também) se não for instalado uma estrutura tipo grade/cerca dentro e circundando a beirada do bebedouro a fim de evitar que os animais entrem nele. Usando essa estrutura não há problema.

Se você tiver esse tipo de problema com bebedouros do tipo cocho, a instalação dessa estrutura dividindo o bebedouro no sentido longitudinal também resolve o problema da entrada de animais, permitindo que os bebedouros sejam instalados a uma altura em que a maioria das categorias tenham acesso.

No caso do aprisco, para os animais mais novos (cordeiros lactantes, por exemplo), você pode recorrer a um balde com altura adequada ou instalar um bebedouro (como os da Figura 2 do artigo) a uma altura mais acessível aos cordeiros. E sempre ficar atenta na limpeza.

Obrigado mais uma vez pela sua participação!

Qualquer dúvida entre em contato!!

Abraços, Daniel
ANDRÉ LUIS ROCHA

GOIÂNIA - GOIÁS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 07/08/2007

Na prática o bebedouro australiano não é recomendado. Dentre os problemas que eu tive com eles está a perda de água na limpeza, grande acúmulo de sujeira em pouco tempo, aumento de transmição de doenças, a ovelha gosta de entrar e sujar tudo, não força o pastor a rodar os bebedouros e nenhum bebedouro que o animal consiga subir ou entrar nele sera bom. O ideal é bebedouro menor de fácil limpeza com grande vazão de água e com altura próximo a boca do animal.

<b>Resposta do autor:</b>
Caro André,

Tenho recomendado e utilizado bebedouros do tipo australiano para ovinos sem maiores problemas, porém tomando algumas medidas preventivas, sobretudo, em relação à pavimentação da área em volta do bebedouro e a instalação de uma proteção (tipo "grade") interna para evitar a entrada de animais.

Isso vale para qualquer espécie ruminante. Não sei como o seu sistema a pasto é organizado e conduzido, mas em sistemas onde as pastagens são organizadas em módulos de pastejo rotacionado com áreas de lazer específicas (nas quais está instalado o bebedouro)utilizadas por lotes de animais adultos, não tenho tido nenhuma experiência negativa com esse tipo de bebedouro, especialmente em lotes acima de 150-200 animais, onde o bebedouro australiano se adequa mais devido à sua capacidade volumétrica.

Com um dimensionamento apropriado de acordo com o sistema de pastejo, número de animais, categoria animal, e a adoção de limpezas semanais e permitindo-se a insolação dentro do bebedouro, é difícil haver algum problema. De qualquer forma, essas são regras para todos os tipos de bebedouro. É uma questão de escolher a melhor opção para o seu sistema de produção.

Obrigado por sua participação e por relatar a sua experiência!!!

Abraços,

Daniel

MilkPoint AgriPoint