ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Como melhorar o processo de ordenha aplicando ferramentas Lean

PRODUÇÃO DE LEITE

EM 15/03/2021

6 MIN DE LEITURA

0
10

A produção de leite pode ser otimizada por meio dos ferramentais lean, trazendo maneiras simples e eficazes para o pequeno produtor produzir o leite com melhor qualidade e obter maior lucratividade.

A cadeia de produção leiteira passa por constantes transformações, assim como qualquer outro segmento do mercado agropecuário.

Hoje, o mercado é bastante competitivo e isso implica na necessidade de criar vantagens que agreguem valor em todo o processo. Valores estes, que são cruciais para a manutenção dos pequenos produtores junto à cultura do leite e ao mercado consumidor.

Ao se falar em produção leiteira, sobretudo em pequenos produtores, muito são os entraves. Dificuldades para acesso à informação, créditos, escolaridade, tecnologia e ausência de assistência técnica qualificada tornam este produtor o elo mais frágil da cadeia, permitindo assim, que as indústrias processadoras detenham a decisão de definição de compra e venda do leite, causando por vezes, prejuízo a quem produz.

Diante deste cenário, este artigo é um recorte de um estudo de dois anos, que objetivou, por meio dos ferramentais lean, propor maneiras simples e eficazes para o pequeno produtor produzir o leite com melhor qualidade e obter maior lucratividade, podendo assim investir na cultura e se livrar das limitações cotidianas.

O estudo ocorreu entre os anos de 2018 e 2020. Utilizou-se a metodologia denominada pesquisa ação, um método qualitativo de abordagem de problemas comumente utilizada para resolução de problemas coletivos com a participação cooperativa e/ou participativa dos envolvidos (MIGUEL, 2012). Ou seja, uma estratégia de pesquisa que visa produzir conhecimento e resolver um problema prático.

A cidade de Tupã – SP, foi escolhida como sede do estudo pela representatividade econômica e social que a atividade leiteira possui para o município. Segundo dados do IBGE (2017) e Instituto de Economia Agrícola (2018), o município conta com um total de 61.369 cabeças de gado, sendo deste aproximadamente de 67% de vacas leiteiras.

Por fim, ao longo do estudo, foi retratada a realidade de 4 propriedades rurais, denominadas PA, PB, PC e PD, a fim de manter o anonimato assegurado via LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados, 13.709/2018).
 

Perfil dos produtores

O Quadro 1, demonstra um compilado dos índices zootécnicos das propriedades e seguem a rigor a avaliação da unidade animal (UA).

Para encontrar a produção por hectare, utilizou-se da produção total de leite no ano de 2018 e dividiu-se área da propriedade em hectares (Produção/HA). Tais cálculos permitem uma compreensão mais ampla em relação ao atual cenário da atividade leiteira nas propriedades foco do estudo.

Quadro 1 – Índices zootécnicos das propriedades envolvidas no projeto

Identificação das problemáticas 

Para identificação das problemáticas envoltas no processo produtivo de ordenha das quatro propriedades, foi necessário entender a condução correta de um processo de ordenha.

Para tal, utilizou-se o estudo de Rosa et al. (2014) denominado Manual de Boas Práticas de Manejo-Ordenha, o qual versa ao longo da obra sobre os 21 cuidados que o produtor deve ter com o rebanho antes, durante e pós ordenha para que o leite mantenha suas propriedades nutricionais adequadas, livre de contaminação e o bem-estar dos animais.

 

Ferramentas Lean aplicadas

Figura 1 - Ferramentais lean utilizados

Fonte: Elaborado pelos autores.

Dentre tantas possibilidades de ferramental, optou-se por iniciar com o fluxograma (i) para identificar de forma sequencial onde e quais são os erros da ordenha, posteriormente passou-se ao diagrama de Ishikawa (ii) que permite de forma visual verificar potenciais causas, ordenando e relacionando fatores que afetam o processo estudado, ajudando a determinar a causa real de um problema em função dos sintomas demonstrados nos 6M´S matriciais (mão de obra, material, método, máquina, medida e meio ambiente).

Após essas duas etapas, iniciou-se a aplicação do Mapeamento do Fluxo de Valor (VSM) (iii) que, de forma visual, representa todos os elos da cadeia (da chegada de insumos a saída do leite da propriedade) e por fim, o ciclo PDCA (iv) que advém do inglês Plan – Do – Check - Act , que propõe por meio de etapas de planejamento, desenvolvimento, checagem e ação, corrigir todo e qualquer problema envolto no processo produtivo por meio de um plano de ação.
 

Lean na prática

            No presente estudo, aplicando os ferramentais Lean, foram encontrados os seguintes resultados (Figura 2 a 6). O diagrama de Ishikawa (ii), após aplicação, mostrou a origem das cinco causas mais relevante de problemáticas nas propriedades (Figura 2).

Figura 2 - Cinco principais causas relevantes de problemáticas – Diagrama de Ishikawa

Fonte: Elaborado pelos autores.

Em uma escala de 0 a 10, sendo 10 o cenário ideal e 0 o pior cenário, o diagrama apontou nas propriedades a necessidade de melhoria frente a tais problemáticas:

  • Ausência/ineficiência de transferidor da ordenha para o tanque de resfriamento,
  • Controle de litros de leite produzido/por animal,
  • Controle de qualidade,
  • Utilização de boas práticas para manejo animal,
  •  No âmbito estrutural, a distância entre galpão de ordenha e tanque de resfriamento.

Já com a aplicação do Mapeamento do Fluxo de Valor (iii), foi possível entender toda a relação que existe entre as propriedades rurais, os fornecedores de insumos e a indústria leiteira. Novas problemáticas foram identificadas com a aplicação do ferramental, tal como estoque de insumos acondicionados de forma irregular.

Figura 3.  Recorte de ponto de atenção identificado – Mapa Fluxo de Valor 

Fonte: Elaborado pelos autores.

 

Utilização do ciclo PDCA como estratégia para solução das problemáticas identificadas

 Figura 4.  Ciclo PDCA na prática   

Fonte: Elaborado pelos autores.

Embora haja diversos e distintos pontos a se melhorar na propriedade leiteira, destacou-se juntamente com os proprietários os 6 principais pontos a acertar, a fim de ter ganhos rápidos.


Impacto das ações corretivas 

Aquisição de equipamentos, investimento em estrutura e demais ações impactaram diretamente não só na qualidade do leite, bem como no nível de bem-estar dos animais e na qualidade de vida dos produtores.

Vale ressaltar que as informações aqui dispostas, estão disponíveis na integra no estudo: Ferramentas lean na eficiência do processo de manejo de ordenha em propriedades rurais familiares, sendo este, de livre acesso e passível de replicação em outras propriedades e culturas.

Sobre a pesquisa:  Desenvolvida em parceria com o programa de Pós-Graduação em Agronegócio e Desenvolvimento e principalmente com o Projeto de Extensão Kamby (PROEX/UNESP), da Faculdade de Ciências e Engenharia, UNESP, Câmpus Tupã.

Agradecimento: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Processo: 424722/2018-6

Gostou do conteúdo? Deixe seu like e seu comentário, isso nos ajuda a saber que conteúdos são mais interessantes para você. Quer escrever para nós? Clique aqui e veja como!

Autores
Me. Guilherme de Andrade Ussuna
– Administrador de Empresas, Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Agronegócio e Desenvolvimento, Universidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Ciências e Engenharia, Câmpus Tupã.

Prof. Dr. Eduardo Guilherme Satolo – Docente da Faculdade de Ciências e Engenharia da UNESP, Câmpus Tupã.

Prof. Dra. Priscila Ayleen Bustos Mac-Lean – Docente da Faculdade de Ciências e Engenharia da UNESP, Câmpus Tupã
 

Referências 
BRASIL. Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD). Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2018/lei/L13709.htm> .Acesso em: 27 fev. 2021.

ROSA, M.S; COSTA, M.J.R. P; SANT´ANNA, A. C; MADUREIRA, A.P. Manual de Boas Práticas de Manejo-Ordenha. 2ªEd. Jaboticabal: Funep, 2014.

TURRIONI, J.; MELLO, C. Pesquisa – ação na engenharia de produção. IN: MIGUEL, P.A.C. Metodologia de pesquisa em engenharia de produção e gestão de operações. Rio de Janeiro: ABEPRO, 2012. p. 149 – 167. 

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Agro 2017. Brasília: Ibge, 2017.

INSTITUTO DE ECONOMIA AGRICOLA – IEA. Valor de produção: Estatística de produção dos principais produtos da agropecuária Paulista 2018. Disponível em: < http://ciagri.iea.sp.gov.br/nia1/subjetiva.aspx?cod_sis=1&idioma=1 > Acesso em: 15 dez. 2018.

 

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint