ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Botulismo está sendo associado a silagem guardada em rolos plásticos

POR RENATA DE OLIVEIRA SOUZA DIAS

PRODUÇÃO DE LEITE

EM 02/06/2000

4 MIN DE LEITURA

1
0

Renata de Oliveira Souza Dias

O botulismo é uma doença grave e bastante difundida no Brasil. Antigamente era uma doença associada a manejos rústicos com pastagens pobres e com baixa lotação animal/ha. Atualmente, entretanto, esta doença tem um perfil diferente e está também associada a rebanhos com animais precoces, pastagens produtivas e rebanhos confinados.

O Clostridium botulinum (tipos C e D) é o bacilo anaeróbio causador da doença. Pode ser encontrado na forma de esporo no solo, na água e no trato intestinal dos animais. As carcaças em decomposição apresentam condições favoráveis de anaerobiose para o desenvolvimento do Clostridium botulinum e para produção da toxina botulínica, devido à putrefação.

As fontes de contaminação mais comuns são:

-Osteofagia -ingestão de ossos das carcaças
-Feno e silagem estocados juntamente com ossos de pequenos animais (pássaros, gatos, etc.)
-Camas de frango de má qualidade
-Águas contaminadas
-Farinha de osso de má qualidade
-É possível ainda, contrair a doença através da infecção de um corte ou ferida

Nos estágios iniciais, a doença causa fraqueza muscular seguido de paralisia muscular, afetando inicialmente os quartos traseiros, e progredindo para os dianteiros, cabeça e pescoço.Os músculos da língua e do queixo são freqüentemente afetados.

Os movimentos tornam-se duros, o animal apresenta dificuldade em levantar. Não há presença de febre e o animal mantém a consciência e a sensibilidade. A morte ocorre quando há paralisia respiratória.

Para diagnóstico de campo, é necessário uma boa anamenese e a ausência de distúrbios na necropsia (animais com botulismo não apresentam lesões características). Para diagnóstico laboratorial deve-se enviar o conteúdo gastrointestinal (conteúdo rumenal e um pedaço do intestino delgado com conteúdo), fragmento de fígado e soro sangüíneo.

Manejos preventivos incluem a vacinação dos animais, eliminação de carcaças das pastagens, mineralização adequada e atenção para a qualidade dos alimentos fornecidos aos animais.

O Dr. Robert Whitlock, da Universidade da Pennsylvania - USA, falou sobre o botulismo num recente encontro de veterinários. Ele reportou que a incidência da doença tem aumentado paralelamente à prática de preservação de forragens em grandes rolos individuais, selados por filmes plásticos.

Na natureza, os germes que produzem a toxina não se multiplicam, a menos que o oxigênio esteja limitado e o pH esteja acima de 4,5. Estas duas condições ocorrem quando silagens não fermentam corretamente. Silagens de capim, ensiladas em rolos encapados individualmente, tem sido associadas a vários surtos de botulismo em bovinos.

Na maioria dos casos, vários animais são afetados. As vacas podem babar e mastigar o alimento por longos períodos por não conseguirem engolir. Elas ficam deprimidas e também desidratadas por não conseguirem beber água normalmente. Em alguns aspectos, lembram vacas com febre do leite e podem melhorar com cálcio, mas não serão curadas por ele. Os fazendeiros e seus funcionários devem lembrar que estes mesmos sinais ocorrem em casos de raiva. Sempre usem luvas protetoras ao trabalhar perto da cabeça de um animal com estes sintomas.

O curso da doença é drasticamente afetado pela quantidade de toxina consumida. Isto, por sua vez, está relacionado ao nível de toxina presente no alimento e quanto desse alimento o animal consumiu. Infelizmente, nada disso será sabido no momento que os primeiros sinais aparecerem. Se altos níveis de toxina foram ingeridos, as vacas deverão cair em termos de horas, e morrer logo após. Com baixos níveis, pode levar cerca de 4 dias antes que elas caiam, e a morte ocorrerá dentro de alguns dias.

A conecção do botulismo aos fardos de silagem é provavelmente devido ao volume relativamente pequeno de material em cada fardo encapado. Se a umidade não for correta, a fermentação não fará com que o pH caia abaixo de 4,5. Neste caso, há chances de crescimento e produção de altos níveis da toxina mortal do botulismo.

Quando grandes volumes de material são ensilados, a compactação e as condições para fermentação normalmente são melhores. Rasgos no plástico também podem produzir condições favoráveis para a produção da toxina.

O botulismo também tem sido associado a carcaças de animais mortos contaminando os alimentos. Muitos se recordam de um surto num rebanho na Califórnia que causou a morte de 420 vacas adultas após a ração completa ter sido contaminada com um gato morto. Este caso não é regra. Na maioria dos casos, forragens mal fermentadas são causa muito mais freqüente deste tipo de morte.

Embora não se saiba com certeza, admite-se que o leite e a carne de animais sofrendo de botulismo seriam contaminados também e, portanto, não devem ser usados para consumo humano.

Para evitar que o alimento conservado em rolos possa vir a ser uma fonte de contaminação de botulismo faça a silagem no ponto ideal de umidade, "empacote" bem compactada e cubra cuidadosamente. A maior incidência da doença tem sido associada com silagens de gramíneas armazenadas em fardos individuais. Monitore o nível do pH para prevenir a doença; pH acima de 4,5 são o limite para evitar a possibilidade de formação da toxina. Como dica final, se você observar os sinais clínicos mencionados acima, chame o veterinário imediatamente. Isto é particularmente importante se mais de um animal for afetado.

 

********



fonte: MilkPoint

RENATA DE OLIVEIRA SOUZA DIAS

1

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

ITAMAR ALVES MACHADO

PATROCÍNIO - MINAS GERAIS - INDÚSTRIA DE INSUMOS PARA A PRODUÇÃO

EM 16/08/2017

Nunca tinha imaginado que isso poderia acontecer. Eu percebe nas propriedades rurais, muito pouca importância com a higiene onde sao estocadas as materias primas. Fazem bais sem protecao aguma, passam em cima com o trator com madal para abastecer os vagoes, os funcionarios transitam dos corrais de ordenha com os pes contaminados para "cima" das materias primas com ferramentas nas maos. 
MilkPoint AgriPoint