FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

SUPLEMENTAÇÃO DE MINERAIS E VITAMINAS

NOVIDADES DOS PARCEIROS

EM 13/08/2020

5 MIN DE LEITURA

0
1

Os minerais e vitaminas disponíveis em forrageiras e concentrados não são suficientes para suprir a necessidade das vacas leiteiras, com isso a suplementação desses nutrientes na nutrição do animal é um fator de grande importância nas fazendas leiteiras com o objetivo de melhorar o desempenho, produção e a qualidade do leite do seu rebanho. 

A exigência de nutrientes, foi aumentando com a evolução na produção de leite das vacas leiteiras, quanto mais o animal produz maior será a inclusão dos minerais e vitaminas. O balanceamento perfeito sem excesso ou falta de nutriente, permite otimizar a produção de leite. A digestibilidade do mineral deve ser conhecida, pois a disponibilidade biológica das fontes, indicaram o quanto o produto é absorvido e utilizado pelo animal para promover uma produção saudável. A Kera Nutrição Animal ajuda os produtores a fornecer fontes de nutrientes altamente biodisponíveis para vacas leiteiras.

Os minerais são classificados em macrominerais (Cálcio, Fósforo, Magnésio, Potássio, Cloro, Sódio e Enxofre) e microminerais (Ferro, Zinco, Manganês, Iodo, Selênio, Cobre, Cobalto e Molibidênio). Cada mineral desempenha uma função no organismo do animal, mas em aspectos gerais realizam três tipos de funções essenciais:

-Participam como componente estrutural dos tecidos corporais;

-Atuam nos tecidos e fluidos corporais como eletrólitos para manutenção do equilíbrio ácido-básico, pressão osmótica e permeabilidade das membranas celulares;

-Atuam como ativadores de processos enzimáticos.

As deficiências minerais causam doenças metabólicas que acometem os bovinos leiteiros, afetando o desenvolvimento, gerando problemas de fertilidade, e baixa produção de leite. Estas desordens são referentes com o desequilíbrio entre a ingestão, absorção e exigência do animal. As deficiências sejam leves ou moderadas podem levar a sérios prejuízos econômicos, uma vez que reduzem a produtividade dos animais.

As exigências de minerais e vitaminas variam conforme o ciclo de vida dos bovinos, há um aporte de nutrientes que representa o mínimo necessário para que o animal permaneça vivo e seu organismo se mantenha em pleno funcionamento (mantença). Existe uma demanda maior que a mantença para o animal de produção, necessitando de uma formulação mineral balanceada para poder atingir a máxima produtividade e lucratividade.

Com as pesquisas realizadas durante todos esses anos, verificamos a necessidade da suplementação de vitaminas. As vitaminas aumentam o custo da dieta, mas quando suplementadas adequadamente, aumentam a renda sobre o custo de alimentação e melhoram a saúde da vaca. Como os minerais, as vitaminas devem estar presentes na dieta na quantidade correta, prevenindo hipovitaminose e hipervitaminose, causado pela carência e excesso dessas substâncias, respectivamente.

A vitamina A é fundamental para a integridade da mucosa dos animais e do seu aparelho reprodutivo, participa da transformação dos hormônios reprodutivos e desempenha papel importante no desenvolvimento do sistema nervoso e imunológico.

Vitamina E possui propriedades antioxidantes conhecidas por seus efeitos na melhoria da função das células imunes (PONTES et al., 2015). E quando suplementada com selênio tem mostrados resultados satisfatórios na redução de metrite e infeções da glândula intramamária e possui ação específica na absorção da vitamina A.

Vitamina D age no metabolismo do cálcio e do fósforo, melhorando a absorção desses minerais pela mucosa intestinal. As pesquisas evidenciaram que a vitamina D não é simplesmente um nutriente necessário para o crescimento e desenvolvimento esquelético, demonstrando ter múltiplos papeis fisiológicos, como controle da diferenciação e proliferação celular e ativação das defesas do sistema imune inato (Norman, 2008; Adams e Hewison,2010; Nelson at al., 2012).

ABORDAGEM PRÁTICA DO ESTRESSE OXIDATIVO

Em vacas leiteiras desde o crescimento até a morte, reações metabólicas ocorrem para garantir a produção de energia e sobrevivência dos animais, essas reações produzem radicais livres que quando produzidos em quantidades excessivas, podem causar danos as células. A produção elevada dos radicais livres pode acontecer devido a vários fatores como: aumento na produção de leite, estresse térmico, pré e pós-parto, desequilíbrio na dieta, processos inflamatórios, entre outros. 

Radicais livres são constantemente produzidos durante o metabolismo de carboidratos, proteínas e gorduras. Estes radicais livres são quimicamente instáveis, pois perderam um elétron ou tem um elétron extra, e para se livrar desta instabilidade química, doam ou tomam elétrons de moléculas celulares mais frágeis, tais como DNA e lípides de membrana, isto altera estas moléculas o que pode levar a célula a morte.

Estresse oxidativo é o termo utilizado quando a geração de radicais livres excede a capacidade do organismo de neutralizar estes compostos instáveis, ou de reparar os danos causados na célula. Vários nutrientes são importantes para a neutralização destes compostos. Isto inclui os microminerais Ferro, Zinco, Cobre, Manganês e Selênio, os quais são chamados de metais de transição pois tem a habilidade de permanecer estáveis com diferentes números de elétrons. Quando suplementados de forma adequada, estes minerais são incorporados dentro de enzimas que se aproveitam da habilidade destes minerais. O metal dentro da enzima pode aceitar elétrons dos radicais livres com um elétron extra o que irá neutralizá-lo e impedir que ele danifique o DNA ou a membrana celular. Em seguida, a enzima utiliza o metal carregado com um elétron extra, para doar o elétron para um segundo radical livre que está avido por um elétron.

Entretanto, quando qualquer um destes minerais é fornecido em excesso, a capacidade das enzimas de utilizar os microminerais fica sobrecarregada e eles serão transportados na circulação por proteínas plasmáticas como albumina e transferrina. Quando se encontram em solução, Fe, Cu, Zn e Mn, estes metais são, inevitavelmente, instáveis. Isso ocorre quando os animais são superalimentados, e eles passarão a comportassem como os próprios radicais livres, na tentativa de ficar o mais estável possível. Resumindo, a mesma propriedade que permite que eles atuem como antioxidantes, quando fornecidos de forma balanceada. Pode torná-los doadores e receptores de elétrons de componentes celulares como os radicais livres, quando fornecidos em excesso aos animais.

A vitamina E é um importante antioxidante, pois muitas respostas clínicas observadas com adequada suplementação, pode estar atribuída a sua função antioxidante, embora, talvez, via modulação de compostos reativos de oxigênio e nitrogênio, a vitamina E, também pode estar envolvida na regulação gênica. Os estudos mostram que a Vitamina E quando suplementada adequadamente melhora o sistema imune e reduz a retenção de placenta, metrite e mastite clínica e subclínica.

Com a suplementação mineral e vitamínica de qualidade, fornecendo matérias primas de alta disponibilidade biológica, alcança-se resultados satisfatórios no rebanho. A Kera Nutrição Animal, possui uma linha completa de minerais para o seu rebanho, contendo aditivos em suas fórmulas (adsorvente de micotoxinas, tamponante, levedura inativa, dentre outros), fornece nutrientes para o aporte metabólico dos seus animais.

Karla Ferreira/Zootecnista.
 

Dúvidas? Entre em contato com a Kera pelo Box abaixo.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint