ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Protocolos de combate às mastites por Staphylococcus aureus

NOVIDADES DOS PARCEIROS

EM 22/03/2021

2 MIN DE LEITURA

0
7

A mastite, enfermidade caracterizada pelainflamação da glândula mamária, é altamente impactante na pecuária leiteira, sendo considera a principal enfermidade da atividade. Dentre os diversos agentes causadores de mastites, o Staphylococcus aureus (S. aureus) é o principal, tanto na gravidade das infecções, quanto na prevalência nos rebanhos leiteiros (Salasia et al., 2004). Comumente a transmissão desse patógeno ocorre durante a ordenha, entretanto, estudos comprovam a relação entre o aparecimento de novos casos com a elevação dos índices pluviométricos (Ferreira et al., 2006).

Alguns fatores são responsáveis pela alta virulência desse agente etiológico, como a alta capacidade de multiplicação e penetração nos tecidos mamários, produção de coagulase, (enzima capaz de formar coágulos), além da produção de diversas outras toxinas. Todos esses fatores são responsáveis pela composição de um fenômeno complexo de patogenicidade estafilocócica (Cunha Neto et al., 2002; Silva e Gandra, 2004).

As mastites por S. aureus se caracterizam principalmente por infecções de longa duração, com tendência à cronificação, grande diminuição na produção de leite e baixa taxa de cura (Sabour et al., 2004). Vários são os fatores que podem interferir na cura bacteriológica da vaca quando se utiliza da terapia antimicrobiana, com destaque ao estágio da ocorrência da infecção, presença de bactérias em abscessos e incapacidade de defesa das células (Diniz et al., 1998).

Os tratamentos medicamentosos disponíveis para o combate das mastites devem ser preferencialmente administrados por via intramamária e em alguns casos por outras vias de aplicação sistêmicas (COSTA et al., 1999, COSTA, 2002; SANDHOLM et al., 1990). Em casos severos onde há maior comprometimento, anti-inflamatórios são necessários para controlar a dor, edema e febre do animal (SEARS & MCCARTHY, 2003).

Algo muito importante que precisa ser levado em consideração na terapia direcionada aos S. aureus é a duração do tratamento. Nesse caso a indicação é a realização da terapia estendida, que consiste na utilização prolongada de antimicrobiano, por no mínimo 6 a 8 dias, apresentando melhores resultados do que a terapia convencional (até 60% de diferença).Estudos mostram que a utilização desse método contribui com a redução das células somáticas (CCS), melhoria na qualidade do leite e aumento na produção (SANTOS, 2004).

Outra modalidade é a terapia combinada, em que há utilização conjunta de infusão intramamária com tratamento sistêmico. A ideia do tratamento é aumentar a concentração do antibiótico nos locais inflamados e de difícil acesso no úbere. Pesquisas confirmam a efetividade dessa modalidade terapêutica, dobrando a possibilidade de cura quando comparado ao uso do intramamário isolado (SANTOS, 2004).

Vacas crônicas, com mais de duas lactações e com histórico de mastite tem pouca chance de cura. Nesses casos, mesmo utilizando a terapia combinada associada a terapia estendida, recomenda-se antecipação da secagem, inativação do teto e até o descarte do animal (ONFARM, 2020).

A sugestão de protocolo JA para mastites causadas por S. aureus é a utilização do intramamário Mastite Clínica VL, associado ao uso injetável de Diclotril, por 7 dias consecutivos. Mastite Clínica VL é uma formulação completa à base da associação antimicrobiana sinérgica de Amoxicilina e Clavulanato de Potássio, com a Prednisolona, anti-inflamatório que atua na redução da dor e edema local. Já o Diclotril é uma associação de Enrofloxacina com Diclofenaco de Sódio, que combate de forma sistêmica a infecção, além de reduzir a febre e a inflamação local.

As referências desse artigo podem ser solicitadas através do e-mail do autor: eduardorezende@jasaudeanimal.com.br

Veja o vídeo e conheça o Mastite Clínica VL, a solução mais completa para o combate das mastites:

 

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint