ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Por que priorizar alimentos seguros para alimentar vacas leiteiras?

NOVIDADES DOS PARCEIROS

EM 22/06/2021

3 MIN DE LEITURA

0
0

A nutrição animal é o principal fator que influencia a produção das vacas leiteiras, principalmente porque os custos com a alimentação do rebanho giram em torno de 70%.

Independentemente do número de animais, não é incomum que pecuaristas tenham que adquirir alimentos provenientes de fora da propriedade, tais como concentrados (rações) e alimentos volumosos para alimentar os animais em alguns períodos.

Dessa forma, para que problemas não sejam introduzidos na propriedade junto com alimentos externos, o produtor deve tomar alguns cuidados. A compra de insumos deve ser feita de forma segura, protegendo a saúde do rebanho e a qualidade do produto final, o leite.

Confira algumas dicas para que a qualidade do alimento que vem de fora seja a melhor possível e traga resultados positivos no quesito produtividade.

Eficiência e planejamento: essenciais para garantir o sucesso da propriedade leiteira

Na pecuária, o nível de eficiência de uma propriedade determina o sucesso ou o fracasso desse tipo de negócio. Neste cenário, produtores mais tecnificados e que planejam as compras dos insumos que compõem a alimentação de animais são os que têm maiores chances de obter êxito e sustentabilidade no negócio.

AlimentaçãoEntretanto, no caso da pecuária leiteira, a gestão é ainda mais complexa, principalmente por ser dependente da produção de grãos, sobretudo de concentrados de milho e de soja. Já os alimentos volumosos devem ter qualidade e disponibilidade suficientes para atender a demanda, principalmente na entressafra.

Essa complexidade evidencia a necessidade de realizar um manejo nutricional que seja alicerçado em conhecimentos técnicos, deixando de lado os “achismos” e focando em estratégias mais eficazes.

Além dessas questões, uma dieta equilibrada para o gado leiteiro deve ser composta por água, volumosos, concentrados, suplementos vitamínicos e minerais, que devem ter qualidade e procedência assegurados.

Rastreabilidade e controle de qualidade: aspectos importantes na compra de insumos

Visando uma nutrição que seja mais segura e adequada para o rebanho leiteiro, há a necessidade de garantir que todo tipo de alimento adquirido pela propriedade tenha a devida procedência e qualidade, garantido por um processo de rastreabilidade do alimento.

Dessa forma, cabe ao produtor tentar adquirir alimentos de fornecedores com programa reconhecido de garantia da qualidade e que permitam a rastreabilidade dos produtos ofertados.

A rastreabilidade é um mecanismo de controle que permite identificar a origem do produto, do campo ao consumidor final. Ela é representada por um conjunto de medidas que possibilitam controlar e monitorar todas as movimentações de determinado produto nas unidades, de entrada e de saída. Com isso, há maior garantia de uma produção de qualidade, com origem garantida.

Além da rastreabilidade, vale verificar se o fornecedor do alimento tem um programa de garantia implementado em seu processo de produção e que permita o monitoramento adequado de resíduos, da forma de produção e qualidade dos ingredientes desde a sua fonte.

Para essa verificação, o produtor deve escolher aqueles fornecedores que tenham um sistema apropriado para registrar e rastrear todos os alimentos ou ingredientes por ele adquiridos.

Assim, na pecuária leiteira, é preciso conhecer a idoneidade do fornecedor do alimento, que deve priorizar boas matérias-primas e estar atento a quaisquer não conformidades aos padrões que elas possam apresentar.

Adquira rações sempre regulamentadas pelo MAPA

Uma excelente forma de garantir alimentos com qualidade e procedência para o rebanho leiteiro é adquirir apenas alimentos com o selo de qualidade do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA).

No Brasil, o MAPA tem a responsabilidade da regulamentação da produção e da comercialização de rações. No Decreto nº 76.986 de 6 de janeiro de 1976, que regulamenta a Lei nº 6.198, de 26 de dezembro de 1974, há todas as informações sobre a inspeção e a fiscalização dos produtos destinados à alimentação animal. Para mais detalhes, clique aqui.

Esse decreto é composto por meio de instruções normativas periodicamente atualizadas e publicadas. A Instrução Normativa nº 08, publicada em 2002, por exemplo, fixa e identifica as características mínimas de qualidade de alimentos completos.

Além disso, outros fatores também devem ser considerados, já que uma boa nutrição é essencial para garantir maior produtividade leiteira, permitindo que as vacas consigam transformar alimentos em leite. Dentre esses fatores, é importante considerar:

  • Necessidades nutricionais de cada animal;
  • Nível de produtividade desejada dentro do sistema de produção;
  • Viabilidade econômica;
  • Disponibilidade de alimentos (de acordo com a sazonalidade e localização regional).

Dessa forma, para que as dietas atendam às metas esperadas pelos produtores, é essencial que todos esses alicerces relacionados à qualidade da alimentação sejam muito bem monitorados e priorizados. A produtividade e a qualidade do sistema de produção agradecem.

Para saber mais sobre a importância da qualidade dos alimentos de vacas leiteiras, confira nosso e-book exclusivo sobre o tema!

 

Este é um conteúdo do Instituto BioSistêmico.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint