FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Mito ou Verdade: ruminantes seriam altamente resistentes às micotoxinas?

NOVIDADES DOS PARCEIROS

EM 02/12/2020

3 MIN DE LEITURA

0
4

Atualizado em 02/12/2020

Thomer Durman

A verdade é que por muito tempo se acreditou que as micotoxinas poderiam ser detoxificadas dentro do rúmen, e de fato alguns compostos tóxicos podem perder potência de intoxicação depois de passarem pela fermentação ruminal¹. Porém, com os avanços nas pesquisas, se percebeu que vários compostos, mesmo depois de processos fermentativos, mantinham a toxicidade e outros elevavam o potencial de toxicidade no ambiente ruminal² (Figura 1). Mais adiante nas pesquisas, pesquisadores observaram que em pH mais baixo, ou animais em condição nutricional de confinamento, o desaparecimento de Micotoxinas no rúmen pela fermentação é bem diminuído, mostrando que em animais de alto desempenho o desafio é ainda maior³.


Figura 1 – Modificações de micotoxinas no ambiente ruminal4 .

 

Os impactos ruminais influenciam muito na resposta produtiva dos animais, uma vez que é nessa câmara de fermentação que os alimentos são convertidos em ácidos graxo voláteis (AGV), que podem ser utilizados pelos animais. Um efeito bem evidente, é que no rúmen, quanto maior a concentração de micotoxinas, menor será o crescimento de bactérias importantíssimas para a digestão dos alimentos (Figura 2), e devido a um menor crescimento microbiológico, a produção de AGV (Figura 3) é reduzida, o que resulta em menores cargas de nutrientes, o que por consequência, limita o animal em produção de carne e leite.


Figura 2 – Menor crescimento de importantes bactérias ruminais quanto maior a concentração de ácido fusárico5.

 


Figura 3 – Menor concentração de AGV conforme se aumenta a concentração de patulina (micotoxina produzida por Penicillium)6.

 

Para não submeter os animais às possíveis afecções das micotoxinas, a Alltech se baseou em mais de 20 anos de pesquisas e mais de 150 publicações científicas em revistas de alto impacto para desenvolver o Mycosorb A+, com avaliações in vivo das doses recomendadas, para evitar problemas reprodutivos (Figura 4), problemas de imunidade (Figura 5), dentre os demais desafios das micotoxinas na produção animal de ruminantes.


Figura 4 – Bloqueio de efeitos negativos da zearalenona na taxa de prenhez com uso de Mycosorb A+7.

 


Figura 5 – Bloqueio de efeitos negativos de deoxinivalenol (DON) na contagem de células somáticas (maiores contagens apontam imunidade baixa) com o uso de Mycosorb A+8.

 

O uso do adsorvente Mycosorb A+ é indispensável em produções de ruminantes, para manter a saúde, reprodução e produção sempre em alto nível, explorando sempre ao máximo o potencial genético dos animais.

Como atua Mycosorb A+:

Seu alto poder de adsorção de micotoxinas, com eficácia comprovada por mais de 20 anos de pesquisas, tem alta afinidade apenas com as micotoxinas, não interagindo com minerais, vitaminas e outros componentes da ração. É eficiente em micotoxinas como: aflatoxina, zearalenona, DON, ocratoxina, toxina T2 e fumonisina. O produto é composto por uma estrutura complexa de carboidratos insolúveis, o que confere ao MYCOSORB A+ maior estabilidade de adsorção nos diferentes pHs ao longo do trato gastrointestinal.

Micotoxinas quanto mais você conhece, melhor será a sua defesa. Por isso, a Alltech desenvolveu um Guia completo sobre micotoxinas em bovinos. Clique aqui para baixar gratuitamente!!

 

Para mais informações sobre micotoxinas em bovinos acesse também:

Micotoxinas na produção de ruminantes: quais os tipos e seus efeitos?

Micotoxinas na produção de gado de corte: qual a dimensão do risco e impactos produtivos?

Bovinos: saiba como coletar amostras para análises de micotoxinas

Micotoxinas na produção de ruminantes: como interpretar as análises?

 

Bibliografia:

¹ Bata e Lásztity, 1999

² Upadhaya et al., 2010

³ Debevere et al., 2019

4 Upadhaya et al., 2010

5 May et al., 2000

6 Tapia et al., 2005

7 Hulik e Zeman., 2014

8 Mendoza et al., 2014

 

Dúvidas? Entre em contato com a Alltech pelo Box abaixo.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint