FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Leveduras Vivas: resultados práticos em Gado Leiteiro

NOVIDADES DOS PARCEIROS

EM 16/06/2020

5 MIN DE LEITURA

2
1

Falamos no artigo anterior sobre a teoria por trás da tecnologia das Leveduras Vivas e seus benefícios na nutrição de ruminantes- https://www.milkpoint.com.br/empresas/novidades-parceiros/o-que-precisamos-saber-sobre-leveduras-vivas-218876/). Neste, mostraremos os resultados práticos, que vão explicar um pouco do porque do sucesso desta tecnologia que vem ganhando cada vez mais espaço no dia a dia da nutrição de bovinos.

Voltando um pouco na história, podemos destacar os principais pontos sobre as leveduras:

· É o microorganismo industrial mais antigo usado pela humanidade;

· Egípcios já usavam para fazer pão a mais de 5000 anos;

· Com a invenção do microscópio em 1860, intensificou-se seu uso;

· No inicio do ano de 1900, sua produção comercial iniciou-se;

· Existem mais de 600 espécies diferentes de leveduras;

· A levedura mais usada comercialmente é a Saccharomyces cerevisae;

· As primeiras leveduras usadas nanutrição animal, a mais de 100 anos, vieram da panificação e da produção de cervejas;

· Pesquisas em Gado Leiteiro começaram a mais de 30 anos, sendo que atualmente na Europa é o aditivo alimentar mais usado.

A seguir vamos mostrar alguns resultados de pesquisas que comprovaram a eficácia do uso de Leveduras Vivas na nutrição e performance de Vacas Leiteiras, mostrando o porque essa tecnologia é um dos aditivos alimentares mais usados para ruminantes.

A Figura 1 mostra os dados da metanálise (técnica estatística especialmente desenvolvida para integrar os resultados de dois ou mais estudos independentes) de Desnoyers et al, publicada em 2009, onde analisaram 157 experimentos publicados com uso de leveduras, que tinham como principais objetivos compilar os resultados dos principais parâmetros metabólicos e de performance.  Como conclusão, a metanálise confirma que o uso de levedura viva aumenta a produção de leite (+1,2kg/vaca/dia), o consumo de matéria seca, pH ruminal, concentração de AGVs no rúmen e a digestibilidade da matéria orgânica, sendo maiores a medida que a dose de levedura aumenta.

Figura 1: Resultados da Meta análise do uso de Levedura Viva em Gado Leiteiro.

A seguir vamos demonstrar alguns trabalhos feitos com o Vistacell® (levedura viva da AB Vista), tanto em universidades quanto em rebanhos comerciais.

 

Experimento 1: Vistacell melhora a produção de leite em vacas primíparas e multíparas do início à metade do período de lactação.

Delineamento

22 vacas Holandesas foram distribuídas em dois grupos homogêneos, com base na paridade, na avaliação da produção de leite e dos seus componentes após ordenha matinal durante as duas primeiras semanas pós-parto. Os animais foram alimentados diariamente com uma TMR à base de feno, milho e cevada. A produção e a composição do leite foram medidas e comparadas entre os dois grupos por mais 22 semanas, nos dias 20, 42, 51, 66, 76, 119, 126, 147 e 154 pós-tratamento. Durante este período, o grupo Tratamento recebeu Vistacell diariamente via TMR na dose de 1,63 x 109  UFC/kg de MS.

Resultados

Média de produção e composição do leite durante o período de experimento.

                                                                             a,b P<0,05  c,d P<0,1

A suplementação com Vistacell aumentou significativamente o teor de lactose e a produção de leite, além da PLCgp. Não foram observadas outras diferenças significativas em termos de componentes e de composição do leite entre os tratamentos. Ainda, não foram observados efeitos no consumo de matéria seca entre os dois grupos. Consequentemente a conversão alimentar melhorou pela suplementação com a levedura viva. Embora, em média, a contagem de células somáticas tendeu a aumentar (P=0,053) durante o período de tratamento devido ao aumento na produção de leite, este efeito não foi significativo na avaliação diária.

Conclusões

A suplementação com levedura viva Vistacell em dietas de vacas leiteiras do início à metade do período de lactação, levou a uma melhoria significativa na produção de leite sem comprometer sua composição e qualidade, ou ainda, a saúde animal.

A produtividade de vacas leiteiras do início à metade da lactação (<168 dias de lactação) foi melhorada através da suplementação diária com Vistacell sem aumentar o consumo, o que levou a uma melhor conversão alimentar.

 

Experimento 2: Vistacell melhora a conversão alimentar de vacas leiteiras de alta produção.

Delineamento

Vinte vacas leiteiras de alta produção em início de lactação (dias em lactação = 73 +/- 31) foram distribuídas em 2 grupos, Controle ou Vistacell, com base na paridade, peso vivo e produção de leite. O arranjo foi quadrado latino 2 x 2. A levedura viva foi adicionada sobre a ração diariamente. Cada período durou 28 dias e as vacas eram ordenhadas 3x/dia, registrando-se a produção total de leite diária. Os animais foram alojados no sistema “loose-housing” e identificados com transponders. Os consumos individuais foram medidos durante a última semana de cada período, usando estações eletrônicas individuais de alimentação do tipo “Griffith-Elder”.

Resultados

O CMS foi significativamente reduzido (P<0,05) em 0,5 kg quando a TMR foi suplementada com Vistacell. Não houve efeito significativo na produção de leite, embora o % de gordura e de proteína do leite tenha sido numericamente maior. Devido à redução no CMS, a eficiência alimentar (kg PLCg/ kg CMS) também teve uma tendência de melhorar (P<0,08).

Conclusões

Vistacell reduziu significativamente o CMS sem afetar a produção de leite. Como consequência, melhorou a conversão alimentar. A economia associada com a redução no consumo de ração superou o custo da levedura, com um ROI de 2:1.

 

Experimento 3: Vistacell melhora a produção de leite e mantém o escore corporal de vacas multíparas.

Delineamento

Sessenta vacas Holandesas multíparas, foram distribuídas aleatoriamente em dois grupos e alimentadas com uma TMR à base de gramíneas secas, silagem de milho, concentrado e trigo. Durante o experimento, o grupo Tratamento recebeu Vistacell diariamente via TMR na dose de 4,8 x 1010 UFC/cabeça/dia. Produção, composição e qualidade do leite foram medidas entre a 4° e a 17° semana (total de 105 dias) e as médias calculadas ao longo do experimento. O peso corporal também foi medido semanalmente.

Resultados

Produção média diária durante o período de experimento.

a,b P<0,08; c PLCgp  corrigida para 4% de gordura e 3,3% de proteína.

A suplementação com Vistacell aumentou significativamente a produção de leite e produção de proteína do leite. Não foram observadas outras diferenças significativas em termos de composição do leite entre os tratamentos. Os animais suplementados com Vistacell tenderam à manter o escore corporal e não perderam tanto peso quanto os do grupo Controle ao longo do experimento, conforme o gráfico abaixo.

Conclusões

A suplementação de vacas leiteiras com a levedura viva Vistacel, do início à metade do período de lactação (DEL<130), levou à uma melhora significativa na produção de leite, mantendo o escore corporal.

Com apenas estes 3 trabalhos cientificos do vários que temos, mostramos um pouco do Vistacell, um produto que mescla o conhecimento técnico da AB Vista com o conhecimento fabril de nossa empresa irmã AB Mauri – Fleischmann. Se precisar de mais informações, entre em contato!

Autor: Nelson Ferreira Junior.

 

 

2

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

GRACIELE ARAÚJO DE OLIVEIRA

GOIÂNIA - GOIÁS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 06/08/2020

Por favor, gostaria da fonte dos experimentos apresentados.
Se forma publicados, nomes dos autores e revistas.

Obrigada
GRACIELE ARAÚJO DE OLIVEIRA

GOIÂNIA - GOIÁS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 06/08/2020

Por favor, gostaria da fonte dos experimentos apresentados.
Se foram publicados, nomes de autores e revista.
Obrigada
MilkPoint AgriPoint