ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
FAÇA SEU LOGIN E ACESSE CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

Acesso a matérias, novidades por newsletter, interação com as notícias e muito mais.

ENTRAR SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Empurrador automático de alimento ganha espaço em fazendas produtoras de leite

NOVIDADES DOS PARCEIROS

EM 17/05/2024

6 MIN DE LEITURA

1
1

O robô Juno, desenvolvido pela Lely, garante a alimentação adequada dos animais e facilita a mão de obra dentro das propriedades

A disponibilidade contínua de forragens frescas às vacas influencia o consumo de matéria seca e aumenta a produção de leite. Além disso, a alimentação frequente tem um impacto positivo sobre a saúde animal em geral. Mas, muitas vezes, a mão de obra pode ser um fator limitante e essa atividade acaba ficando em segundo plano e, sem a rotina necessária, os benefícios de se empurrar o alimento várias vezes ao dia não são alcançados.

Por esse motivo, a Lely, referência mundial em automação para a pecuária de leite, conta, em seu portfólio de soluções, com o Juno, robô que empurra a comida dos animais repetidamente ao longo do dia, independente dos imprevistos que acontecem na fazenda. Com ele, é possível programar a aproximação do alimento em horários determinados, se encaixando na rotina e necessidades da propriedade.

Segundo Loimar Lorezentti, sócio-proprietário do Lely Center Lorenzetti, localizado na cidade de Seara (SC), a aproximação da comida estimula o consumo de matéria seca dos animais e permite que vacas mais ‘tímidas’ e fracas, tenham também acesso ao alimento quando se deslocarem para a pista de alimentação, podendo assim aumentar a produção de leite do rebanho. “Além disso, utilizando o Juno, as vacas são estimuladas a fazer um maior número de refeições distribuídas ao longo do dia, o que melhora a saúde ruminal e a quantidade de sólidos no leite”, detalha.

O básico bem-feito
Acreditando que um dos maiores desafios da atividade leiteira é fazer o básico bem-feito todos os dias, o produtor Jhonatan Orsolin, proprietário da Granja Orsolin, na cidade de Palmitos (SC), adquiriu o robô em dezembro do ano passado. “O que nos motivou foi o entusiasmo e a paixão pela atividade leiteira. Nós buscamos a eficiência através do aumento de produtividade. Na nossa visão, a robotização vem ao encontro com esta premissa de que o básico bem-feito é o que gera eficiência”, compartilha.

O produtor explica que a vaca precisa ter acesso a comida fresca e de qualidade 24 horas por dia. “As vacas tem por habito revirar a dieta para encontrar porções mais saborosas, afastando a dieta do seu alcance. O diferencial do Juno é que ele retorna a comida ao seu alcance várias vezes ao dia e ainda emite um aviso sonoro que estimula a vaca a levantar e se alimentar. Com isso, estimula também a ida dela ao robô de ordenha”, complementa.
 
Segundo Loimar Lorezentti, sócio-proprietário do Lely Center Lorenzetti, localizado na cidade de Seara (SC), a aproximação da comida estimula o consumo de matéria seca pelos animais e permite que vacas mais ‘tímidas’ e subordinadas, tenham também acesso ao alimento quando se deslocarem para a pista de alimentação, podendo assim aumentar a produção de leite do rebanho. “Além disso, utilizando o Juno, as vacas são estimuladas a fazer um maior número de refeições distribuídas ao longo do dia, o que melhora a saúde ruminal e a quantidade de sólidos no leite”, detalha.
 
Mesmo com uma implantação recente da solução, Jhonatan diz já notar as melhorias no sistema de produção, sobretudo o maior equilíbrio proporcionado à rotina dos animais. “Não há mais oscilação de oferta de comida conforme o horário ou dia da semana. Além disso, a rotina de trabalho da propriedade melhorou, pois muitas vezes tínhamos que parar outros serviços para ir encostar o trato ou deixar nossa folga no final de semana para fazer essa tarefa.”

A propriedade já conta, também, com dois robôs de ordenha Lely Astronaut, dois escovadores automáticos Lely Luna e se prepara para adquirir o robô de limpeza de corredores  Lely Discovery.

A pouco mais de 100 quilômetros, na cidade de Seara (SC), o produtor Fritz Wehebrink, proprietário da Granja Wehebrink, opera o Juno desde julho do ano passado. Com um plantel de 130 vacas e uma mão de obra familiar, ele sente a diferença nos animais e na rotina dos trabalhos. “Um dos principais benefícios notados foi que as vacas têm alimento contínuo no cocho, diminuindo as sobras da dieta. E para nós, que somos uma propriedade que conta principalmente com a mão de obra familiar, o Juno facilitou muito a otimização das tarefas do dia a dia.”

Fritz possui, ainda, dois robôs Lely Astronaut e o amamentador de bezerros Lely Calm. A propriedade foi destaque ao subir a produtividade em mais de 100 mil litros/ano depois que adotou a robotização.

E quando o assunto é investimento em tecnologia, Adriano Di Domenico, sócio-proprietário da granja Di Domenico, localizada em Videiro (SC), também está atento a esta movimentação do mercado leiteiro. O produtor já possuía dois robôs de ordenha Lely Astronaut, por isso, a empresa também foi escolhida para solucionar a questão alimentar dos animais. “A ideia da aquisição do Juno veio a partir de uma conversa com o nutricionista, pensando não somente em sempre disponibilizar comida para as vacas, mas também em nossa mão de obra e conforto, porque, com o robô, não há a necessidade de ir mexer na silagem várias vezes ao dia”, explica.

A fazenda conta com 130 vacas em lactação e, junto ao Juno, o produtor também adquiriu o Lely Calm.

Fazendas do futuro
Além da aquisição do Juno, as três propriedades têm outro ponto em comum: a utilização de diferentes soluções automatizadas. Um cenário que não se trata somente de uma coincidência, mas sim da concretização cada vez mais evidente das ‘fazendas do futuro’, modelo idealizado pela Lely.

“A visão da fazenda do futuro faz, por exemplo, com que tarefas repetitivas sejam automatizadas. Nessa gestão, as propriedades são robotizadas e as operações ocorrem 24 horas por dia, 7 dias por semana, sempre se baseando no princípio de permitir que as vacas se movimentem livremente, garantindo seu bem-estar”, explica o gerente de negócios e estratégia da Lely LATAM, João Pedreira.

Também conhecido como Free Cow Traffic, esse fluxo livre do rebanho proporcionado pelos robôs evita o estresse dos animais e favorece um maior tempo de alimentação e descanso. “Somados ao manejo e à fertilidade das vacas, esses benefícios trazem resultados reais como longevidade, otimização da produção, mais assertividade e eficiência dos negócios, entre outros. É a evolução da pecuária leiteira caminhando junto à saúde e ao bem-estar animal”, encerra.

Sobre a Lely
A Lely, fundada em 1948, direciona todos seus esforços para a criação de um futuro sustentável, lucrativo e agradável na fazenda. Focada nas vacas, a empresa desenvolveu robôs profissionais e sistemas de dados que aumentam o bem-estar, flexibilidade e a produção diária dos animais na fazenda.

Por mais de 25 anos, a Lely tem liderado as vendas e serviços no segmento de automação na produção leiteira, ajudando no sucesso diário dos produtores ao redor do mundo. Diariamente, a Lely inspira seus funcionários a oferecerem aos seus clientes soluções inovadoras e a construírem uma parceira de confiança de longo prazo, através de orientações e suporte. Com sua sede na Holanda e uma rede mundial de Lely Centers dedicadas localmente para serviços de vendas e suporte personalizados, o grupo Lely está presente em mais de 45 países e emprega mais de 1.600 pessoas. Para mais informações acesse https://www.lely.com/br/

Siga a Lely nas redes sociais
Facebook: https://www.facebook.com/LelynoBrasil/
Instagram: https://www.instagram.com/lely_brasil/

 

1

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

ALBERTO MAGNO FERNANDES

CAMPOS DOS GOYTACAZES - RIO DE JANEIRO - PESQUISA/ENSINO

EM 05/06/2024

Não seria melhor fazer na pista de alimentação com abaulamento (cocho) em vez de uma pista reta?

Assine nossa newsletter

E fique por dentro de todas as novidades do MilkPoint diretamente no seu e-mail

Obrigado! agora só falta confirmar seu e-mail.
Você receberá uma mensagem no e-mail indicado, com as instruções a serem seguidas.

Você já está logado com o e-mail informado.
Caso deseje alterar as opções de recebimento das newsletter, acesse o seu painel de controle.

MilkPoint Logo MilkPoint Ventures