ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
FAÇA SEU LOGIN E ACESSE CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

Acesso a matérias, novidades por newsletter, interação com as notícias e muito mais.

ENTRAR SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Tratamento de infecções uterinas pós-parto - Parte 1/2

POR JOSÉ LUIZ MORAES VASCONCELOS

JOSÉ LUIZ M.VASCONCELOS E RICARDA MARIA DOS SANTOS

EM 01/12/2000

3 MIN DE LEITURA

15
0
José Luiz Moraes Vasconcelos

1. Revisão de literatura


Como citado no radar anterior, a retenção de placenta é um problema sério em vacas de leite, sendo que de 8 a 30% dos partos normais em vacas de leite resultam em retenção de placenta. Após revisão da literatura sobre este assunto e baseado nos métodos de tratamentos utilizados por muitos técnicos, concluiu-se que havia grande número de técnicas de tratamentos empregadas, de drogas e de hormônios recomendados e variação no tempo de início do tratamento, porém sendo de consenso de que não se deve efetuar a extração manual forçada da placenta por causa de possíveis injúrias ao endométrio e que a aplicação de prostaglandina mais estrógeno em vacas com e sem retenção de placenta, apressou a diminuição da contaminação uterina em vacas no pós-parto.

O tratamento das infecções uterinas inespecíficas, que tomam forma de metrites, endometrites e piometras, é assunto bastante controvertido. Existe muita divergência sobre os melhores tratamentos, talvez por causa da pouca atenção dada ao processo normal de involução e aos mecanismos de defesa uterina, durante o período pós-parto.

Uma conduta racional para a terapia antibacteriana dessas infecções depende do isolamento e identificação do agente causador da infecção, da sua sensibilidade "in vitro" às drogas antibacterianas e da concentração necessária do antibiótico no útero da vaca.

O útero, no pós-parto, oferece condições ideais para o crescimento de bactérias que, entretanto, sobre condições normais, são eliminadas em poucos dias ou semanas. Elas são eliminadas pelas contrações do miométrio, que forçam a saída do lóquio através da cérvix, pela atividade de fagocitose dos leucócitos nos fluidos uterinos e no endométrio e pelas substâncias antibacterianas produzidas pelas glândulas uterinas.

A flora bacteriana uterina no início do puerpério contém grande número de espécies, sendo estreptococos, estafilococos, Corynebacterium pyogenes e coliformes as mais freqüentemente encontradas. A composição da flora não é persistente e varia em um mesmo animal, após sucessivas colheitas, como resultado de espontânea contaminação, limpeza e recontaminação. Após o parto, o útero é exposto, rapidamente, a uma grande variedade de bactérias originárias da vagina, vestíbulo e do períneo. Após certo período, a flora começa a ficar menos abundante e Corynebacterium pyogenes começa a predominar em certas vacas.

Tem sido observado rápido decréscimo na porcentagem de infecções detectáveis no útero após o parto, sendo de 93% entre três a 15 dias, 78% entre 16 a 30 dias, 50% entre 31 a 45 dias e somente 9% entre 45 a 60 dias. As bactérias mais freqüentemente isoladas foram estafilococos, Pseudomonas e Corynebacterium.

Outros autores encontraram 32,1% de contaminação por E.coli, 28,6% por Corynebacterium pyogenes e 17,9% por Streptococus faecalis e salientaram que as bactérias Gram-negativas predominavam no início do pós-parto, ao passo que as Gram-positivas apareciam em maior proporção posteriormente.

Outros autores citaram que o exame detalhado do trato genital de bovinos deve ser feito entre 30 e 40 dias pós-parto, para evitar tratamentos antecipados e desnecessários em vacas que vão se recuperar espontaneamente e prevenir infecções graves que poderão atrasar a concepção. Em colheitas feitas entre 30 a 37 dias pós-parto, em vacas com sintomas clínicos de infecção, observou-se mais de 50% de contaminação por Corynebacterium pyogenes, sozinho ou combinado com outros microrganismos e 12% de contaminação por bactérias Gram-negativas (E.coli e Proteus). Ainda, endometrites severas estavam associadas ao Corynebacterium sp. e endometrites moderadas estavam relacionadas a Staphylococus sp., coliformes e Streptococus sp.

Tratamentos de endometrites pós-parto após o 40ºdia são menos eficientes que os realizados antes desse período, salientando que, nesse último caso, o efeito do tratamento pode estar confundido com a cura espontânea, ou seja, tome cuidado na interpretação dos resultados quando se faz o tratamento antes do 35ºdia pós-parto.

Como conclusão, não é necessário tratar o útero antes do 35ºdia pós-parto, mesmo quando da retenção placentária, exceto nos casos de comprometimento sistêmico.
Mais uma vez, lembramos da importância do manejo e conforto da vaca no período periparto, visando diminuir, dentro do possível, todos os fatores potencialmente estressantes como: estresse térmico, balanço energético negativo, presença de micotoxinas na dieta e suprir com segurança os minerais e vitaminas que fortalecem o sistema imunológico (Vit. E, Selênio, Cobre, Zinco), visando diminuir o número de animais com infecções aos 35 dias pós-parto.

No próximo radar discutiremos alguns resultados de freqüência de bactérias contaminantes no pós-parto de vacas leiteiras e o grau de sensibilidade a antibióticos.

********


fonte: MilkPoint

JOSÉ LUIZ MORAES VASCONCELOS

Médico Veterinário e professor da FMVZ/UNESP, campus de Botucatu

15

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

CRISTIANE SARTOR IGOR BRITO

TAPERA - RIO GRANDE DO SUL - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 20/12/2021

Boa noite...minha vaca pariu um bezerro e no 12 dias ela sangrou pela vagina mas sem cheiro ruim ...isso é normal?
ANA LIRES VALENTE SILVA

CANTO DO BURITI - PIAUÍ - ESTUDANTE

EM 29/01/2021

Boa noite ,minha gata teve 5 filhotes,porém nasceram mortos e ela os colocou pra fira,mas tive que aplicar uma injeção pra dar força pra ela terminar os partos ,agora ela tá sangrando,não muito e não come nada ,dei uma injeção de tetraciclina no músculo, o que eu faço?
THAYS SILVA ARAÚJO LEAL

CAMAÇARI - BAHIA - ESTUDANTE

EM 22/09/2021

Ela melhorou?
THAYS SILVA ARAÚJO LEAL

CAMAÇARI - BAHIA - ESTUDANTE

EM 22/09/2021

Sua gata melhorou?
SIMONE SOARES TEXEIRA

RIO DO PRADO - MINAS GERAIS

EM 24/06/2019

Nossa ovelha gerou 2 burregos é um estava com pescoço virado e não nascia.conseguimos puxar os dois.mas ela colocou o útero pra fora e estar sangrando e fraca o que podemos fazer ou dar a ela.desde já agradeço.
SIMONE SOARES TEXEIRA

RIO DO PRADO - MINAS GERAIS

EM 24/06/2019

Dr uma ovelha aqui não conseguiu pari os burregos pq um estava com pescoço virado. Conseguimos tirar todos os dois,mas ela colocou o útero pra fora.e está pondo um pouco de sangue pra fora e muito fraca.o que eu faço. Agradeço desde já pela orientação.
FABIANA ALMEIDA

EM 24/04/2019

Minha vaca teve bezerro faz dois meses agora ela pós sangue pela vagina que pode ser
NARDELI JESUS

EM 03/04/2019

Tenho uma vaca e 3 meses de gestação e percebi que ta saindo um líquido grosso amarelo pela vagina,isso pode ser infecção e como faço para tratar Isso?
NARDELI JESUS

EM 03/04/2019

Tenho uma vaca e 3 meses de gestação e percebi que ta saindo um líquido grosso amarelo pela vagina,isso pode ser infecção e como faço para tratar Isso?
ADEILSON GUERRA

MANTENÓPOLIS - ESPÍRITO SANTO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 04/03/2019

Tenho uma vaca que está com o útero inchado e não quer pegar cria o que devo fazer
KEILANE ROSA DOURADO

MAMBAÍ - GOIÁS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 19/02/2019

Dr uma vaca do meu pai pariu duas bezeras, porém só saiu uma das plancentas ele fez a placentina e depois saiu o resto, mais a vaca continua andando dura e com mal cheiro muito forte e arrebentou o ubro e tá um buraco, oq deve ser e qual remédio pode ser feito nela?
Obrigado...
JOEDS PAUBEL

RONDÔNIA - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 23/10/2015

Minhas vacas nao segura a cria,repetem o cio repitidamente,as vezes volta ao cio com ate 60 dias depois da monta,depois da monta solta um liquido meio amarelado e as vacas em enfermo cairao a produçao.o q devo fazer?
CASSIO G BRANDAO

LAGOA FORMOSA - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 17/09/2012

Dr, o que devo aplicar nas vacas apos o parto? e em caso que nao limpe, o que devo aplicar para nao correr o risco de perder o animal?
CASSIO G BRANDAO

LAGOA FORMOSA - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 17/09/2012



tenho perdido animais por infecção, causada por falta de limpeza apóso  parto. Temos aplicado o ciclolin. às vezes resolve, às vezes não. Ha outros medicamentos mais eficazes, perdi uma ontem, aplicamos soro apenas, deveria ter aplicado antibiotico?
VALTER RUFINO DA SILVA

BELO HORIZONTE - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 19/04/2012

Dr.

tenho perdido animais por infecção, causada por falta de limpeza após parte. Temos aplicado o ciclolin. às vezes resolve, às vezes não. Ha outros medicamentos mais eficazes?

valter@vrsseguros.com.br bh
MilkPoint Logo MilkPoint Ventures