ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
FAÇA SEU LOGIN E ACESSE CONTEÚDOS EXCLUSIVOS

Acesso a matérias, novidades por newsletter, interação com as notícias e muito mais.

ENTRAR SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Manejo reprodutivo do rebanho leiteiro

POR RICARDA MARIA DOS SANTOS

E JOSÉ LUIZ MORAES VASCONCELOS

JOSÉ LUIZ M.VASCONCELOS E RICARDA MARIA DOS SANTOS

EM 04/11/2005

6 MIN DE LEITURA

1
3

A forma de avaliação da produção de leite esta diretamente relacionada com o desempenho reprodutivo. Técnicos podem auxiliar ao produtor de leite na melhoria dos seus ganhos maximizando o desempenho reprodutivo. Portanto, o manejo reprodutivo é parte importante em um programa de saúde do rebanho.

Produções de leite ideais vêm de intervalos entre partos de 12 a 13 meses Intervalos entre partos curtos aumentam a produção de leite por dia de vida útil da vaca e resultam em maior número de bezerros nascidos. Portanto, melhorias na eficiência reprodutiva resultam em aumento da produtividade.

Efeitos de um programa reprodutivo bem conduzido:

- Aumento da produção de leite pela redução do DEL do rebanho, mais vacas na faze inicial de lactação;
- Aumento do número de novilhas para reposição;
- Redução dos custos com tratamentos reprodutivos;
- Redução dos custos com descarte e reposição;
- Redução dos dias improdutivos;
- Aumento do ganho genético.

Visitas semanais ou quinzenais são a melhor forma do médico veterinário proceder intervenções que irão maximizar a eficiência reprodutiva do rebanho:

- Oportunidade de manipular o ciclo estral (uso de protocolos de sincronização e inseminação artificial em tempo fixo);
- Reexaminar vacas problemáticas com maior regularidade;
- Rotina mais consistente de diagnóstico de gestação (diagnóstico entre 28 a 42 dias depois da IA), permitindo tomada de decisão mais rápida com as vacas vazias.

Quais vacas devem ser examinadas?

- Vacas que saíram do período voluntário de espera (PVE);
- Vacas com mais de 28 dias (com ultra-som) ou 35 dias (palpação retal) de inseminadas e ainda não confirmadas gestantes;
- Vacas com problemas detectados anteriormente (involução uterina tardia, infecção uterina, cistos, entre outros);
- Vacas que abortaram ou com suspeita de aborto;
- Vacas com corrimento vaginal anormal.

Como avaliar o desempenho reprodutivo do rebanho?

Fazer as vacas ficarem gestantes sempre foi e continuará sendo o grande desafio da pecuária de leite. Ao longo dos anos muitos métodos de avaliação foram desenvolvidos, mas, infelizmente dados com intervalo entre partos, dias em lactação à primeira IA, porcentagem de vacas gestantes no dia da visita do veterinário e concepção a primeira IA não contam a história toda, ou seja, não refletem a realidade.

Médias podem deixar a desejar, especialmente quando analisamos intervalo entre partos. Dois rebanhos podem ter 13,8 meses de intervalos entre partos, mas no rebanho A as vacas ficaram gestantes parte no início da lactação e o restante no meio e final da lactação. Enquanto no rebanho B as gestações são distribuídas durante a lactação, sendo que a grande maioria das vacas fica gestante no início da lactação e as restantes distribuídas uniformemente durante a lactação. O rebanho B tem desempenho reprodutivo melhor, mas a média de intervalo entre partos dos dois rebanhos é igual.

Outro problema desses índices é que eles não refletem a desempenho do rebanho todo, pois não incluem as vacas descartes. O descarte das vacas que não ficam gestantes faz os números parecerem bem melhor, mas na verdade o rebanho pode estar com problemas financeiros e correndo o risco de não conseguir manter o número de vacas em lactação.

Esses índices apresentam outro problema, não respondem rápido as mudanças. A medida mais acurada e que reflete o que realmente esta acontecendo no rebanho e a taxa de prenhez, que mede a porcentagem de vacas que ficam gestantes a cada 21 dias, depois do período voluntário de espera (PVE).

Como determinar a Taxa de Prenhez?

Para calcular a taxa de prenhez, primeiro devemos determinar a taxa de detecção de cio do rebanho, ou a taxa de inseminação. A taxa de detecção de cio (TDC) é calculada dividindo o número de vacas inseminadas no período de 21 dias pelo número de vacas disponíveis para serem inseminadas no mesmo período.

Depois temos que calcular a taxa de concepção (TC) do rebanho, dividindo o número de vacas que ficaram gestantes no período de 21 dias pelo número de vacas inseminadas.

Em seguida para obter a taxa de prenhez, devemos multiplicar a taxa de detecção de cio pela taxa de concepção.

Por exemplo, um rebanho com taxa de detecção de cio de 50% e taxa de concepção de 50% tem taxa de prenhez de 25% (TP = 50% x 50%), o que significa que a cada 21 dias 25% do rebanho fica gestante depois do período voluntário de espera. Depois de 3 ciclos estrais após o PVE (63 dias), apenas 58% das vacas estarão gestantes.

Exemplo 1:

Rebanho de 100 vacas com taxa de prenhez de 25%.

- Primeiro ciclo de 21 dias = 100 x 0,25 = 25 vacas gestantes.
- Segundo ciclo de 21 dias = 75 x 0,25 = 19 vacas gestantes.
- Terceiro ciclo de 21 dias = 56 x 0,25 = 14 vacas gestantes.
- Total de vacas gestantes em 3 ciclos de 21 dias (63 dias) = 25 + 19 + 14 = 58 vacas gestantes
- Porcentagem de vacas gestantes após 3 ciclos = 58/100 = 58%.

Com 25% de taxa de prenhez, 15% das vacas do rebanho não ficaram gestantes com 305 dias em lactação e provavelmente serão descartadas.

Melhorando a taxa de prenhez para 35%, aumenta a taxa de vacas gestante depois de três ciclos estrais de 21 dias para 73% e reduz a porcentagem de vacas que não ficam gestantes até 305 dias em lactação.

Exemplo 2 :

Rebanho de 100 vacas com taxa de prenhez de 35%.

- Primeiro ciclo de 21 dias = 100 x 0,35 = 35 vacas gestantes.
- Segundo ciclo de 21 dias = 65 x 0,35 = 23 vacas gestantes.
- Terceiro ciclo de 21 dias = 42 x 0,35 = 15 vacas gestantes.
- Total de vacas gestantes em 3 ciclos de 21 dias (63 dias) = 35 + 23 + 15 = 73 vacas gestantes
- Porcentagem de vacas gestantes após 3 ciclos = 73/100 = 73%.

A taxa de prenhez de 35% parece pequena, mas essa taxa otimiza o retorno econômico relacionado a reprodução. Conseguir atingir a taxa de prenhez de 35% é reflexo de um excelente desempenho reprodutivo.

Qual a taxa de prenhez do seu rebanho ou o rebanho que você assiste? Qual a taxa detecção de cio do seu rebanho ou o rebanho que você assiste? E a taxa de concepção?

Vantagens de se atingir alta taxa de prenhez:

- Permite que os descartes sejam baseados em outros fatores e não em reprodução, e não força a manutenção de animais inferiores no rebanho só porque estes estão gestantes.
- Mais leite é produzido porque os animais estão no pico de lactação mais vezes durante a vida produtiva.
- Nascem mais bezerros por ano.
- Número de vacas em lactação pode ser mantido constante ao longo dos anos.

É importante lembrar que a taxa de prenhez é uma variável relacionada com tempo, vacas que ficam gestantes entre 60 e 80 dias em lactação são mais valiosas do que vacas que ficam gestantes no final da lactação. Por isso os investimentos e esforços para as vacas ficarem gestantes devem se concentrar no início da lactação, ou seja, nos primeiros três ciclos de 21 dias após o período voluntário de espera.

Nos próximos radares continuaremos a discutir a importância do desempenho reprodutivo do rebanho, as formas de avaliação e como aumentar a taxa de prenhez.

RICARDA MARIA DOS SANTOS

Professora da Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade Federal de Uberlândia.
Médica veterinária formada pela FMVZ-UNESP de Botucatu em 1995, com doutorado em Medicina Veterinária pela FCAV-UNESP de Jaboticabal em 2005.

JOSÉ LUIZ MORAES VASCONCELOS

Médico Veterinário e professor da FMVZ/UNESP, campus de Botucatu

1

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

HERCILIO DE MATOS NETO

JOAÇABA - SANTA CATARINA - MÉDICO VETERINÁRIO

EM 22/05/2006

Gostaria de saber a quantidade ideal de dias em lactação (DEL), para poder usar este índice e avaliar propriedades leiteiras.



<b>Resposta do autor:</b>



O ideal seria o DEL de 150 dias. (Intervalo entre partos = 2 x DEL + Período seco), com DEL de 150 dias e período seco de 60 dias, o intervalo entre partos fica em 12 meses.



Atenciosamente,



Ricarda dos Santos
MilkPoint AgriPoint