FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Fatores de manejo associados à taxa de prenhez em novilhas receptoras de embriões em programas de transferência de embriões produzidos in vitro

Por: A.L. A. Scanavez1; F. P. V. Pupim2; G. R. Destro2; L. O. Nunes2; B. G. Alves1; L. Z. Oliveira1; R. M. Santos1 (FAMEV - UFU, Uberlândia, Minas Gerais, Brasil1 Transgen Desenvolvimento e Produção Agropecuária Ltda, Uberlândia, Minas Gerais, Brasil2)

Este tema será apresentado na reunião anual da Sociedade Internacional de Transferência de Embriões (IETS) que será realizada em janeiro de 2010 em Córdoba na Argentina.

Extensos programas de produção de embriões in vitro têm sido desenvolvidos no Brasil, mas com resultados ainda bastante variáveis, especialmente com relação à taxa de prenhez média observada nas receptoras de embriões. O objetivo deste estudo foi avaliar os fatores de manejo que afetam a taxa de prenhez das receptoras em grandes programas de transferência de embriões.

Foram avaliados resultados obtidos em 1.104 transferências de embriões produzidos in vitro, realizadas de novembro de 2008 à fevereiro de 2009 pela empresa Transgen Desenvolvimento e Produção Agropecuária Ltda, de Uberlândia, Minas Gerais. Foram utilizados embriões ½ sangue Holandês/Gir (n=139) e embriões ¾ Holandês/Gir (n=961), produzidos in vitro, provenientes de doadoras Girolando (1/2sangue) e Gir, com sêmen de touros da raça Holandesa. Foram utilizados apenas as mórulas, blastocistos iniciais, blastocistos e blastocistos expandidos de grau 1 (de acordo com a classificação proposta pela International Embryo Transfer Society) para transferência a fresco utilizando o método de inovulação transcervical. As receptoras eram novilhas ½ sangue Nelore/Simental, com idade entre 20 e 30 meses e peso entre 330 e 400 kg, mantidas à pasto (Tifton) com suplementação mineral à vontade.

As receptoras foram sincronizadas usando o seguinte protocolo: Dia 0 - introdução do dispositivo intravaginal com 1g de progesterona + 2 mg de Benzoato de Estradiol; Dia 5 - 150μg de D-cloprostenol + 400 UI de eCG; Dia 8 - remoção do dispositivo intravaginal; Dia 9 - 1 mg de Benzoato de Estradiol. No dia 17 a sincronização era determinada pela presença de corpo lúteo no ovário da receptora (determinada por ultrassonografia) e a inovulação era realizada por um veterinário treinado.

Os efeitos da raça do embrião, número de inovulações previamente realizadas em cada receptora (as novilhas que não ficaram gestantes foram usadas no programa seguinte), e a sequencia de inovulações (eram realizadas 20 inovulações por hora, e aproximadamente 100 por dia) na taxa de prenhez foram analisadas por regressão logística no programa SAS.

A raça dos embriões (56.9% para embriões ¾ Holandês/Gir e 62.6% para embriões ½ Holandês/Gir), o número de inovulações prévias em cada receptora (1a.: 56.5%, 2a.: 61.8%, 3a. 55.5%, >4a: 55.0%), e a sequência das inovulações no decorrer do dia de transferência (1a. h: 57.4%, 2a. h: 60.0%, 3a. h: 58.1%, >4a. h: 53.8%) não influenciaram a taxa de prenhez.

De acordo com estes resultados é possível concluir que em grandes programas de transferência de embriões, se forem utilizados embriões de excelente qualidade, receptoras férteis e sincronizadas, e as inovulações forem realizadas por um profissional treinado, um grande número de inovulações pode ser realizado por dia sem comprometer os resultados.

3

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

AILTON

ENGENHEIRO BELTRÃO - PARANÁ - ESTUDANTE

EM 23/10/2009

Bom dia Ricarda, então eu tbm faço a utilização da prostaglandina no dia 5, no protocolo em vacas de alta produção (holandesas), mas valeu pela dica.

Abraços, sucesso a você.
RICARDA MARIA DOS SANTOS

UBERLÂNDIA - MINAS GERAIS - PESQUISA/ENSINO

EM 22/10/2009

Prezado Ailton,
O eCG foi aplicado no dia 5 com o objetivo de aumentar o número de ovulações.
Se o objetivo fosse apenas aumentar a taxa de ovulações seria mais prático ter aplicado o eCG e o ECP no dia 8. Mas quanto a aplicação da PGF, existem estudos quer monstram que a taxa de desenvolvimento final do folículo é maior quanta ela é aplicada antes.
Muito obrigada pela participação!
Ricarda.
AILTON

ENGENHEIRO BELTRÃO - PARANÁ - ESTUDANTE

EM 20/10/2009

Boa tarde, no protocolo ao inves de D5 se utilizasse o D8, nao facilitaria mais o manejo com as receptoras,com as aplicacoes dos farmacos (prostaglandina,ecg e o uso do cipionato de estradiol)?
MilkPoint AgriPoint