ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Assistência a partos difíceis

POR RICARDA MARIA DOS SANTOS

E JOSÉ LUIZ MORAES VASCONCELOS

JOSÉ LUIZ M.VASCONCELOS E RICARDA MARIA DOS SANTOS

EM 06/06/2006

5 MIN DE LEITURA

5
0
Nesta época do ano ocorre uma concentração de parto nas nossas fazendas. Dentro dos objetivos das fazendas leiteiras estão:

• Obter um bezerro vivo, de tamanho dentro da média de todas as vacas do rebanho todo ano;
• Novilhas parindo com 24 meses de idade;
• Vacas e novilhas vivas e saudáveis no pós-parto.

Para que esses objetivos sejam alcançados, temos que adotar práticas de manejo para reduzir a incidência de distocias. (Distocia: é uma palavra cientifica usada para descrever a dificuldade de expulsão durante o processo de parição).

As conseqüências da ocorrência das distocias vão do aumento dos custo com medicamentos a morte do bezerro e/ou da vaca. A distocia é a maior causa de morte de bezerros no parto ou imediatamente após o parto e a maior causa de infecções uterinas, retenção de placenta e conseqüentemente aumento de intervalos entre partos.

Estudos americanos apontam que os custos com a mortalidade resultante de distocias variam de 12 dólares por parto, ou 600 dólares por ano, num rebanho de 50 vacas. Os custos com medicamentos, serviços veterinários e o aumento do intervalo entre partos pode triplicar esse números.

Geralmente as dificuldades no parto são causadas pela desproporção de tamanho, o bezerro é muito grande em relação ao canal do parto. Vacas de primeira cria tem duas vezes mais problemas de parto do que as vacas adultas, pois ainda não atingiram o tamanho corporal característico da raça.

A taxa de distocia é uma característica de baixa herdabilidade, por isso, é difícil fazer uma seleção para essa característica. A herdabilidade varia de 5 a 15 %, e mais de 15% das variações podem ser atribuídas aos fatores de meio ambiente e manejo. Conseqüentemente, o melhor método para reduzir a incidência de distocias é adotar boas práticas de manejo.

Alimentação adequada

A alimentação de vacas e novilhas deve ser adequada para que estas cheguem ao parto em boa condição corporal, pois vacas e novilhas gordas têm maior incidência de problemas de parto.

A dieta das novilhas tem que ser formulada para que estas continuem crescendo no período de gestação e consigam parir sem dificuldades (consultar radares anteriores sobre manejo pré-parto e manejo de novilhas).

Piquete maternidade

Providencie uma área limpa, seca, bem ventilada e espaçosa para minimizar a possibilidade de contaminação do bezerro e da vaca durante o parto e no pós-parto imediato.

Observe o parto - a observação deve ser discreta e contínua

O piquete maternidade deve estar localizado em área de fácil acesso, para que as vacas próximas ao parto possam ser observadas com freqüência.

A taxa de mortalidade dos bezerros que são facilmente puxados (auxílio moderado ao parto) é menor do que dos bezerros que nascem sem ajuda, provavelmente porque nos partos que não são ajudados, o bezerro não recebe os mesmos cuidados pós-parto que o bezerro que é puxado recebe, como: limpeza do nariz, estimulação da respiração e outros cuidados.

Deixe a vaca parir

Um erro comum, especialmente das pessoas inexperientes, é ficar ansioso e puxar o bezerro muito cedo. Se a cérvix não estiver suficientemente dilatada, o ato de puxar o bezerro pode causar lesões sérias na vaca e estressar o bezerro.

O parto das novilhas é mais demorado do que o das vacas maduras.

O parto começa com as contrações uterinas e a dilatação da cérvix. Inicialmente, as contrações ocorrem a cada 15 minutos. O trabalho de parto continua, as contrações se tornam mais intensas, mais freqüentes, e a cérvix se dilata até o ponto em que o útero e a vagina se tornam um canal único. A partir dessa fase inicia-se a expulsão do bezerro, primeiramente com a liberação de líquido pela vulva. As vacas podem levar 4 horas para parir, e as novilhas até 6 horas.

O parto normal inicia com a apresentação das patas dianteiras do bezerro primeiro, seguida da cabeça, ombros, costado e membros posteriores. O bezerro deve estar com a coluna voltada para cima.

Quando existe problema?

Os dois sintomas da distocia são: trabalho de parto a mais de 8 horas e evidências de que o bezerro não está na posição correta. Se o parto não ocorre no tempo esperado e o bezerro está fora de posição, a assistência deve ser iniciada.

Se existe suspeita de que o bezerro não está posicionado corretamente, a vaca deve ser examinada por palpação pelo canal do parto, depois da devida higienização da área. Luvas devem ser usadas para evitar contaminação da pessoa que está executando o serviço e do canal do parto.

A má posição do bezerro ocorre em 2% dos partos de novilhas e vacas, e 95% delas necessitam de assistência, que varia de simples reposicionamento dos membros anteriores até cesariana. Essas manobras devem ser feitas por uma pessoa experiente.

Se o bezerro precisa ser puxado, isto deve ser feito obedecendo o ritmo das contrações da vaca, sem força exagerada, e com material devidamente higienizado.

Intervenção no parto:

• Novilhas entre 60 a 90 minutos após o aparecimento das membranas fetais

• Vacas entre 30 a 60 minutos após o aparecimento das membranas fetais

Assistência ao bezerro recém-nascido

Após o parto, a boca e o nariz do bezerro devem ser limpos para a retirada do muco e início da respiração. O umbigo deve ser curado com iodo, para desidratar o coto umbilical, prevenindo infecções.

A ingestão de colostro de alta qualidade deve ser feita imediatamente após o nascimento, pois a placenta dos bovinos impede a transferência de imunoglobulinas maternas para os bezerros, e, 24 horas após o nascimento, o intestino do bezerro perde a capacidade de absorver as imunoglobulinas.

Seleção de touros para novilhas

Uma das estimativas feitas na seleção de touros é a porcentagem esperada de dificuldade no primeiro parto. Uma estimativa de 13% significa que o parto do bezerro filho desse touro nascido de uma novilha terá alguma dificuldade de parto. Touros com estimativa de 10% ou menos devem ser usados em novilhas.

Como prevenir distocia

• Crie as novilhas para que venham a parir com tamanho adequado aos 24 meses de idade, e evite que vacas e novilhas tenham excesso de peso no parto.

• Providencie um piquete maternidade limpo, seco, ventilado e de fácil acesso.

• Observe o parto (de forma discreta e contínua)

• Espere o tempo necessário antes de auxiliar o parto.

• Preocupe-se com higiene em todos os procedimentos de auxílio ao parto.

• Reconheça suas limitações em resolver o problema, chame um veterinário antes que a vaca esteja exausta, e o bezerro morto.

• Providencie boa assistência ao bezerro recém-nascido

• Selecione touros para cobrir as novilhas com provas para facilidade de parto de 10% ou menos.

RICARDA MARIA DOS SANTOS

Professora da Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade Federal de Uberlândia.
Médica veterinária formada pela FMVZ-UNESP de Botucatu em 1995, com doutorado em Medicina Veterinária pela FCAV-UNESP de Jaboticabal em 2005.

JOSÉ LUIZ MORAES VASCONCELOS

Médico Veterinário e professor da FMVZ/UNESP, campus de Botucatu

5

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

EDSON BISPO

PINHÃO - SERGIPE - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 04/12/2019

Boa tarde estou com uma novilha parindo a bolsa já rompeu mas o bezerro ainda não saiu já tem uns 15 minutos
EDSON BISPO

PINHÃO - SERGIPE - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 04/12/2019

Boa tarde estou com uma novilha parindo a bolsa se rompeu mas o bezerro ainda não nasceu quanto tempo demora
RICARDA MARIA DOS SANTOS

UBERLÂNDIA - MINAS GERAIS - PESQUISA/ENSINO

EM 09/09/2019

Prezada Luciana,
Obrigada pela participação!
Nesses casos é importante certificar-se de que não tem outro bezerro.
LUCIANA CARDOSO

BOA ESPERANÇA - ESPÍRITO SANTO

EM 09/09/2019

Boa tarde!! Se possível me ajude. A vaca começou a parir mas antes de terminar o bezerro morreu e ela não conseguiu sozinha. Após a retirada do bezerro ela continua fazendo força porém só sai líquido e a placenta ja saiu. O q pode ser?
MILTON ANTONIO MOURA FÉ

TERESINA - PIAUÍ - PRODUÇÃO DE OVINOS DE CORTE

EM 02/12/2013

Professora Ricarda Maria, bom dia,

Por favor, preste-me um esclarecimento, se possível.

Estou no Piauí, em plena seca, as vacas gestantes têm como alimentação principal cana à granel (cortada e colocada no campo) . Os partos estão sendo prematuros e os bezerros morrem em seguida ou nas primeiras 24 horas. A cana, depois de uma chuva, pode acumular "nitrato" a ponto de provocar a antecipação do parto?

Obrigado

miltonmourafe@bol.com.br    
MilkPoint AgriPoint