Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Você está em: Cadeia do leite > Giro Lácteo

Leite Elegê vai de trem do Sul para São Paulo e Rio

postado em 27/08/2004

1 comentário
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Além do modo rodoviário, a Elegê está utilizando também a ferrovia para transportar leite longa vida do Rio Grande do Sul para os estados de São Paulo e Rio de Janeiro, através da empresa ALL. "É mais uma alternativa para a distribuição dos nossos produtos", disse o gerente de logística do grupo Avipal, Gilberto Halpern. A participação da ferrovia já é de 20%, no trajeto para São Paulo e Rio de Janeiro. A estimava de Halpern é que esse percentual aumente para 30% até o final deste ano.

Além da redução de custo, estimada em 11% em relação ao transporte feito por caminhão, Halpern relaciona também outras vantagens da ferrovia, como a disponibilidade de armazenagem, redução de sinistro e do índice de avarias do produto.

Da fábrica da Elegê, em Teutônia (RS), as cargas seguem por caminhões até o porto público de Estrela (RS), onde é feito o transbordo e carregamento dos vagões, e depois seguem até o terminal intermodal da ALL em Tatuí (SP). No terminal a carga é armazenada de 3 a 4 dias para depois ser distribuída para as redes de varejo em São Paulo e RJ ou transportada para o Centro de Distribuição da Elegê no Rio de Janeiro. Por ferrovia, o prazo é de 5 a 6 dias, já por rodovia o prazo é de 2 a 3 dias.

Segundo Alan Fuchs, gerente nacional intermodal da ALL, a Elegê é a primeira fabricante de leite a utilizar o modo ferroviário para a distribuição do seu produto. "No início da operação foram transportados 3,8 mil toneladas de leite da Elegê e em julho o volume chegou a 6 mil toneladas", disse Fuchs. A previsão é que cresça para 9 mil toneladas mensais até o final deste ano e atinja em um ano 110 mil toneladas (50% das vendas da empresa nos mercados em São Paulo e no Rio de Janeiro).

O grupo Avipal, na unidade de negócios de laticínios, teve no primeiro semestre um incremento de faturamento de 49,4% sobre mesmo semestre de 2003, "apesar do mercado nacional ter crescido 6,3%", informa a empresa.

Fonte: Gazeta Mercantil (por Sonia Moraes), adaptado por Equipe MilkPoint

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Comentários

ELIZIANE STORMOVSKI

Teutônia - Rio Grande do Sul - calçadista!Mas faço curso técnico em química.
postado em 23/07/2012

SINTO MUITO ORGULHO,DE MORAR AQUI E DAS PESSOAS DESSE LUGAR.UM POVO MUITO TRABALHADOR QUE SEMPRE PROCURA FAZER O MELHOR.A GENTE FICA MUITO,MUITO FELIZ EM SABER QUE SEMPRE TEM E TERÁ MUITAS EMPRESAS QUE ACREDITAM NO NOSSO POTENCIAL,TANTO NO SETOR CALÇADISTA QUANTO NO SETOR DE LATICÍNIOS!!!!

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2014 AgriPoint Consultoria Ltda. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade