Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Você está em: Cadeia do leite > Giro Lácteo

CEPEA/LEITE: Em plena entressafra, preço cai 2% e custo de produção é o maior da série

postado em 02/07/2012

8 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

O preço do leite pago ao produtor recuou em junho, em plena entressafra, conforme já esperado por agentes consultados pelo Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq/USP. Este comportamento é atípico para o período do ano, tendo em vista que a oferta de leite está relativamente restrita, devido à menor produção de pastagens. Entretanto, colaboradores do Cepea afirmam que a margem de lucro dos laticínios está menor há alguns meses, em função da valorização da matéria-prima, enquanto no mercado de derivados lácteos não houve reação dos preços, por conta do desaquecimento das vendas. Para o pagamento de julho, a expectativa da maior parte dos agentes é de nova queda.

O preço bruto pago pelo leite ao produtor caiu 2% em junho (referente à produção entregue em maio), indo para R$ 0,8561/litro na média geral (ponderada pelos estados de RS, SC, PR, SP, MG, GO e BA). Na comparação com junho/11, houve queda de 5,5%, em termos reais, ou seja, considerando-se a inflação do período.

Enquanto os preços pagos pelo leite aos produtores recuaram em quase todas as regiões analisadas pelo Cepea, os custos de produção seguem em alta, impulsionados pelo encarecimento da alimentação concentrada. O farelo de soja registrou valores recordes em algumas regiões acompanhadas. Com isso, o índice de custo de produção calculado pelo Cepea atingiu, em maio, o maior patamar desde o início da série, em janeiro de 2008. Em relação a maio/11, o Custo Operacional Efetivo (COE) registrou alta de 8%. Este cenário de redução da margem de lucro do pecuarista leiteiro tende a desestimular avanços na produção de leite.

Para o pagamento de julho, referente à produção entregue em junho, o Cepea apurou que 53% dos compradores de leite que participam da pesquisa (responsáveis por 77% do volume de leite amostrado) têm expectativa de nova queda nos valores. Quase 37% dos representantes de laticínios/cooperativas (que respondem por 19% do volume de leite) acreditam em estabilidade de preços, e apenas 10% dos agentes (responsáveis por 4% do volume amostrado) esperam elevações.

Ao produtor

Em junho, os preços recuaram em todos os estados que compõem a média geral - a maior delas foi verificada em Goiás, onde o preço estava mais elevado nos últimos meses. Houve redução de quase 5% no valor bruto (considerando-se frete e Funrural) no estado goiano, passando para R$ 0,8723/litro. Em Minas Gerais, o preço caiu 2,7%, com média de R$ 0,8679/litro. Em São Paulo, a baixa foi de 2,4%, com média de R$ 0,8738/litro.

No Rio Grande do Sul, o recuo foi de 2,2%, com a média passando para R$ 0,8333/litro. Em Santa Catarina, a queda foi de 2%, a R$ 0,8028/litro. No Paraná, a média de preços foi de R$ 0,8247/litro, baixa de 1,2% entre maio e junho.

Na Bahia, houve redução de 1,2%, com média de R$ 0,8573/litro. Já no Ceará, os preços se mantiveram praticamente estáveis, a R$ 0,8694/litro. No Espírito Santo, o preço médio foi de R$ 0,8824/litro, alta de 2,5% frente a maio. No Rio de Janeiro, os preços subiram ligeiro 0,5%, indo para R$ 0,8853/litro. Em Mato Grosso do Sul, a elevação foi de 0,4%, com média de R$ 0,7728/litro.


Tabela 1. Preços pagos pelos laticínios (brutos) e recebidos pelos produtores (líquidos) em JUNHO referentes ao leite entregue em MAIO.

Clique na imagem para ampliá-la.
Fonte: Cepea-Esalq/USP.

Preços em estados que não estão incluídos na "média nacional" - RJ, MS, ES e CE

Clique na imagem para ampliá-la.
Fonte: Cepea-Esalq/USP.

Gráfico 1: Série de preços médios pagos ao produtor - deflacionada pelo IPCA
(média de RS, SC, PR, SP, MG, GO e BA)




A matéria é do Cepea, adaptada pela Equipe MilkPoint.

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Comentários

Vera j Santos

Angatuba - São Paulo - Produção de leite (de vaca)
postado em 02/07/2012

É DIFÍCIL ATE PARA FAZER ALGUM COMENTÁRIO POIS A INDIGNAÇÃO E GRANDE  POIS TUDO O QUE SE REFERE A PRODUZIR LEITE ESTA SUBINDO E A DIFICULDADE DO PRODUTOR E GRANDE PRINCIPALMENTE OS PEQUENOS PRODUTORES  ´REALMENTE É DE DESANIMAR O QUE ME MOVE A CONTINUAR E O GRANDE AMOR QUE TENHO  POR ESTA  ATIVIDADE

Darlani de Souza Porcaro

Muriaé - Minas Gerais - Produção de leite (de vaca)
postado em 02/07/2012

O governo brasileiro precisa ter uma reserva alimentar muito grande, nossa  população é enorme. Simplesmente abaixar todos impostos que entram na cadeia de alimento básico , como carne, leite e cereais . O que está acontecendo é que o produtor está se endividando para produzir, e está´pagando a conta  prá botar comida barata na mesa do brasileiro, e o pior, o custo de produção só aumenta. As importaçãoes de leite  só aumentam , não sabemos que leite é este, a fiscalização é fraca, e as exportações de carne , como a suina, despencaram. Agora a soja , o milho , e o trigo cada vez mais caros, porque a Sra  Dilma não importa? daquí um pouco não vai ter cesta básica para nó mantermos, precisamos ser socorridos antes que seja tarde.

FREDERICO ALVES JACOB

GOIANIA - Goiás - Produção de leite
postado em 02/07/2012

Sra.Vera,boa tarde

Amor existe,mas até quando teremos amor?

Se nós falta retorno para tudo,as nossas familias não querem ficar ou ir para o campo.

Os salarios subindo,materias primas para produção nas alturas,desmatar nem pensar,remedios a preço de ouro.

Temos que descobrir uma formula urgentíssimo de mantermos vivos,pois nosso patrimonio esta indo embora.

Produzindo sem lucro e com grande risco.

A pergunta é o que fazer,pois dos politicos não espero nada.

Pedro Aurelio Villani

Juiz de Fora - Minas Gerais - Produção de leite
postado em 03/07/2012

Os compradores não podem reduzir o seu lucro, mas nós produtores continuamos perdendo, apesar de comprovadamente todo mundo saber que os insumos estarem aumentado, vejam o preço da ração.

O governo deixa os produtores de soja exportarem para depois ter que importar para segurar o mercado interno.

Vou pagar para ver onde isso vai dar. Falaram dos politicos, esta cambada só está pensando nas próximas eleições.

André Desjardins Antunes

Piracicaba - São Paulo - Consultoria/extensão rural
postado em 03/07/2012

Acho muito engraçado quando assistimos a noticiários relatando a queda no preço do leite em função de aumento de produção, mas o país continua importando leite!!! Parece haver algo errado, não??? Somos um dos maiores produtores de alcool do mundo, exportamos a maior parte da produção, passado pouco tempo temos que importar alcool de milho dos EUA porque nao temos suficiente para abastecer o mercado interno!!!!!!! Gente, onde vamos parar assim????Sra. Dilma, por favor, por favor mesmo, foco nos produtores brasileiros, a criação de políticas públicas deve favorecer o NOSSO produtor!!

Junior Catanduva

Governador Valadares - Minas Gerais - Indústria de laticínios
postado em 04/07/2012

Prezados, esse leite apontado como queda e ainda o leite de Maio/12 que foi pago em Junho/2012. Ainda tem a queda do leite de Junho/12 que esta sendo pago em Julho/12.

Em uma materia sobre a LEI do "Aviso do Preco" ao produtor, o nosso amigo Fernando (da APLISI), informou que trabalha com a previsao de 12 meses do CEPEA. Eu gostaria que ele nos explica-se como que eles na APLISI conseguem ter uma previsao de 12 meses do CEPEA. Isso e fantastico e creio que e a solucao para a pecuaria de leite para o Brasil!

Eu como dono de laticinio fiquei maravilhado com a informacao de que a APLISI consegue prever o CEPEA 12 meses para frente! Era o que eu precisava!

Marcos Trindade

Lavras - Minas Gerais - Produção de leite (de vaca)
postado em 04/07/2012

Dona Vera, eu tambem fico indignado, mas fomos nós que colocamos os deputados na Câmara (e que só ficam viajando para fazer reuniao) e fomos nós que elegemos os diretores das nossas cooperativas que hoje estao sendo vendidas para as Multinacionais!

Portanto, se nós não tomarmos a redea da situacao, continuaremos lamentando o resto dos dias!

E essa semana quando fui buscas minha folha de leite na Cooperativa, ja recebi mais anuncio de queda!

Fazer o que agora??

Vender as vacas??

Agora??? Agora ate o preco das vacas ja caiu......

Vamos embora tirar o leite ne???

Olímpio Gomes Aguiar

Belo Horizonte - Minas Gerais - Produção de leite (de vaca)
postado em 04/07/2012

A situação é mesmo de indignação, permanecemos porque amamos a fazenda, mas como dizem "Amor não põe a mesa", estamos enriquecendo laticínios e fabricas de rações. O leite do pequeno produtor corresponde a mais de 80% do leite captado, mas este infelizmente não tem voz, não tem representatividade. Pensem bem antes de votar no seu candidato, veja se ele faz alguma coisa pela nossa classe.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário

Copyright © 2000 - 2014 AgriPoint Consultoria Ltda. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade