Top 100 MilkPoint 2008

Apoio


Elanco
Nutron
Sulinox
CRV Lagoa

Resumo

Iniciativa

O Levantamento Top 100 é uma iniciativa do site MilkPoint, realizada pela primeira vez em 2001, visando conhecer quais eram e aonde se localizavam os maiores produtores de leite do Brasil, suprindo uma lacuna de informação existente no setor e permitindo que se acompanhasse, no âmbito dos grandes produtores, as alterações da chamada “geografia do leite no país”.

Para esse levantamento contamos com a colaboração de centenas de leitores do MilkPoint, o que tornou possível obter as informações necessárias para a publicação da listagem dos 100 maiores produtores de leite.

Esta iniciativa contou com o apoio das empresas Elanco Saúde Animal, QGN S/A, Nutron Alimentos, Sulinox e CRV Lagoa, às quais agradecemos pela viabilização do levantamento.

Por fim, agradecemos a todos os produtores de leite que participaram do levantamento e que concordaram em ceder os dados de suas fazendas. Esperamos, como retribuição, que as informações levantadas sejam de grande valia para a tomada de decisão em seus negócios.

Metodologia adotada

O levantamento contou com duas fases distintas:

No Levantamento Preliminar, divulgamos no site MilkPoint a iniciativa, visando receber contribuições por parte dos leitores do site. Nesta etapa, recebemos cerca de 200 sugestões de fazendas que poderiam estar ranqueadas entre os 100 maiores, tendo como base uma produção mínima diária estimada de 6.000 litros, que seria um valor aproximado que consideramos próximo do valor produzido pela centésima classificada no ano de 2008.

Nesta fase, nosso objetivo era ter uma produção aproximada, para então passar à fase de checagem, visando obter os dados consolidados do ano de 2008.

Na Fase de Checagem, contactamos individualmente os produtores selecionados, visando confirmar a produção e os dados básicos (nome da fazenda, município, laticínio para o qual comercializa o leite) e pedir autorização para publicação dos dados.

Como critério, adotamos a produção comercializada em 2009, em litros, e não a produção bruta, embora reconhecendo que esta arbitrariedade reduzirá, em maior ou menor grau, o volume produzido de leite em cada unidade produtora. A razão deste critério é que, durante o levantamento, notamos que muitas fazendas não tinham com precisão o leite consumido internamente ou descartado, de forma que teríamos um dado distorcido. Com o critério da produção comercializada, trabalhou-se em cima de um dado mais objetivo.

Abrangência

Em função da necessidade de contato individualizado e autorização para publicação, temos ciência de que alguns produtores que poderiam estar na lista dos 100 maiores acabaram por não ser incluídos. Porém, essas ausências, que calculamos em 20 produtores (8 não conseguimos contato e 12 que optaram por não fornecer os dados, por razões diversas), não alteram de forma significativa o resultado final.

Top 100 MilkPoint – Base 2009


Tabela 1. Os 100 maiores produtores de leite.

Posição 2009 Posição 2010 Nome do Proprietário Produção Total Comercializada em 2009 (kg) Média diária em 2009 (kg) Cidade Estado
1 1 Orostrato Olavo Silva Barbosa 22.600.000 61.917 Tapiratiba SP
2 2 Agrindus S/A Empresa Agrícola e Pastoril 14.615.695 40.043 Descalvado SP
3 3 Huguette E.F de Noronha Guarany 12.672.540 34.719 Inhaúma MG
4 4 Lair Antônio de Souza 11.500.000 31.507 Araras SP
5 5 Antônio Carlos Pereira 9.410.795 25.783 Carmo do Rio Claro MG
6 6 CIALNE – Companhia de Alimentos do Nordeste 8.760.000 24.000 Umirim / Irauçuba CE
7 7 Agropecuária Palma Ltda. 8.488.440 23.256 Luziânia GO
18 8 Granja 4 Irmãos 6.942.916 19.021 Rio Grande RS
11 9 Albertus Frederik Wolters 6.723.301 18420 Castro PR
9 10 Antônio Alves Capanema 6.035.841 16.536 Pará de Minas MG
13 11 Hans Jan Groenwold 5.830.573 15.974 Castro PR
8 12 Matozinho Alves da Silva 5.817.984 15940 Martinho Campos MG
10 13 Belmiro Coelho da Rocha 5.414.946 14.835 Morro da Garça / Curvelo MG
20 14 José Coelho Vitor e filhos 5.400.000 14.794 Passos MG
19 15 Lucas Rabbers 5.155.500 14.125 Castro PR
24 16 Azarias Fernandes Rezende e Filhos 5.131.900 14.098 Bom Jesus de Goiás GO
14 17 Espólio Sebastião Antônio da Silva 5.125.738 14.043 Coromandel MG
16 18 CR - Cabanha Rottli Rodrigues 5.110.000 14.000 Santo Augusto RS
30 19 Irmãos Strobel S/A 4.718.141 12.926 Condor RS
17 20 Maurício Greidanus / Franke Dijkstra 4.690.300 12850 Carambeí PR
12 21 Antônio dos Reis 4.655.004 12.753 Leopoldo de Bulhões GO
44 22 RASIP Agropastoril S/A 4.600.000 12.603 Vacaria RS
29 23 Família Amaral 4.599.000 12.600 Major Izidoro AL
66 24 José Zeraick 4.581.845 12.553 Lorena SP
15 25 Sandro Aurélio Hey 4.562.500 12.500 Castro PR
26 26 Luiz Prata Girão 4.509.940 12.656 Limoeiro do Norte CE
23 27 Ibrahim Faiad e outros 4.466.219 12.236 Céu Azul PR
28 28 Ronald Rabbers 4.407.000 12.073 Castro PR
59 29 Poço Pecuária Ltda. 4.286.411 11.743 Maravilhas MG
35 30 Valmi Blanco Machado 4.213.003 11.542 Fernandópolis SP
32 31 Márcio Alves da Silva 4.152.646 11.377 Pitangui MG
33 32 Renato Rappa 4.125.261 11.302 Itatiba SP
21 33 Waldir Junqueira de Andrade 4.091.359 11.209 Lins SP
40 34 Antônio Gurjão de Farias 4060035 11.123 Quixeramobim CE
31 35 José Henrique Pereira 4.051.500 11.100 Três Corações MG
36 36 Jan Johannes de Boer 4.010.255 10.987 Castro PR
25 37 Antônio José Freire 4.000.078 10.959 Alpinópolis MG
51 38 Willian Ferdinand Van Der Goot 3.972.789 10.884 Arapoti PR
53 39 Carlos Augusto Delezuk 3.853.000 10.556 Carambeí PR
46 40 Manoel Ferreira Godinho e Irmãos 3.797.001 10.403 São João Batista do Glória MG
NOVA 41 Caroline Seibt e Outros 3.774.993 10.342 Presidente Olegário MG
52 42 Roberto Sleutjes 3.652.000 10.005 Castro PR
NOVA 43 Pedro Firmino de Sousa 3.650.000 10.000 Pompéu MG
54 44 Jan Willem e Marika Salomons 3.585.285 9.822 Arapoti PR
22 45 Gina Cerchi Crema e Outros 3.573.978 9.818 Sacramento MG
43 46 Moizés e Luciano Lemos 3.469.616 9.506 Carmo do Rio Claro MG
57 47 José Francelino Dias 3.456.000 9.468 Lagoa Grande MG
75 48 Ivanir Rodrigues Ferreira 3.424.773 9.383 São João Batista da Glória MG
56 49 Hendrik de Boer 3.420.000 9.370 Castro PR
NOVA 50 Luiz Carlos Figueiredo 3.398.909 9.312 Cristalina GO
NOVA 51 Francisco Carneiro Lima 3.394.500 9.300 Quixeramobim CE
63 52 José Cruvinel de Macedo 3.345.955 9.167 Motividiu GO
49 53 José Joaquim da Silva / Juca Romano 3.325.000 9.109 Luz MG
64 54 AgroPecuária Rex LTDA 3.316.652 9.087 Boa Esperança MG
39 55 Rafic Youssef el Mouallem 3.297.688 9.034 Brasópolis MG
NOVA 56 Suria Bittar de Castro 3.277.005 8.978 Barbacena MG
69 57 Roberto M Borg 3.256.059 8.921 Castro PR
37 58 Heloise Merolli 3.176.990 8.704 Campo Largo PR
45 59 Geraldo Magela Valadares 3.139.000 8.600 Pompéu MG
NOVA 60 Abc agricultura e pecuária S/A 3.131.600 8.580 Uberlândia MG
NOVA 61 Júlio Brás Serra Machado 3.115.640 8.536 Pompéu MG
61 62 Jan Erkel 3.069.456 8.409 Carambeí PR
58 63 José Paulo Xavier 3057221 8.376 Patos de Minas MG
34 64 Ciro Vilela Siqueira 3.029.500 8.300 São Gonçalo do Sapucaí MG
NOVA 65 Miguel Furtado Neto 3.001.828 8.224 Oliveira MG
NOVA 66 Orlando de Vaz Filho 2.993.000 8.200 Paraopeba MG
65 67 Rubens Araújo Dias 2.987.117 8.184 Campestre MG
NOVA 68 Fazenda Salto Grande do Jacuí Ltda. 2.966.000 8.126 Salto Grande do Jacuí RS
78 69 Afonso Santana de Araújo 2.940.735 8.057 Centralina MG
82 70 Flávio Emílio Arruda Silva / Cícero Paes Ferro 2.915.665 7.988 Minador do Negrão AL
72 71 Armando Eduardo de Lima Menge 2.852.399 7.815 Pouso Alegre MG
70 72 Henrique Antonio Stedile 2.762.615 7.569 Coxilha RS
99 73 Olavo de Carvalho Júnior 2.757.187 7.554 Araxá e Perdizes MG
89 74 Paulo Barbosa de Deus 2.737.500 7.500 Canindé de São Francisco SE
NOVA 75 Vonaldo Antonio de Morais 2.737.500 7.500 Gameleira de Goias GO
68 76 Rafael Jafet Jr. 2.737.000 7.498 São Carlos SP
NOVA 77 Carlos Raimundo dos Santos 2.730.872 7.482 Jesuânia MG
88 78 Jose Lúcio Rezende 2.726.297 7.469 Matozinhos MG
NOVA 79 Antônio Teixeira de Araújo 2.656.452 7.278 Lagoa Grande MG
81 80 Gerrit Verburg 2.640.795 7.235 Arapoti PR
85 81 Marius Cornelis Bronkhorst 2.609.750 7.150 Arapoti PR
92 82 Armando de Paula Carvalho Filho 2.604.456 7.135 Castro PR
83 83 Antônio de Pádua Martins 2.600.000 7.123 São João Batista do Glória MG
NOVA 84 Neiva de Lourdes Rigon Acatrolli / Maurício Acatrolli 2.593.528 7.105 Dois Irmãos das Missões RS
97 85 J. Ida Agropecuária LTDA 2.573.250 7.050 Águas da prata SP
79 86 Roelof Groenwold 2.567.205 7.033 Castro PR
93 87 Erasmo Carlos Rabelo 2.530.777 6.934 Guarda Mor MG
96 88 Ubel Borg 2.500.000 6.849 Castro PR
91 89 Paulo Emílio Rodrigues Amaral 2.463.750 6.750 Major Izidoro / Monteirópolis AL
NOVA 90 José Carlos Chaves Cunha 2.437.500 6.678 Prata MG
80 91 Marco Noordegraaf 2.427.250 6.650 Castro PR
NOVA 92 João Cesar Gatti 2.396.851 6.567 Bambui MG
NOVA 93 Robert Jan de Jong 2.379.037 6.501 Carambeí PR
95 94 Francisco Sérgio Castilho Galvão 2.356.440 6.456 Guaratinguetá / Lorena SP
77 95 Agropecuária Boa Fé Ltda 2.320.026 6.356 Conquista MG
94 96 Amauri Pinto Costa 2.276.018 6.236 Pouso Alto MG
47 97 Frederik Kok 2.274.723 6.232 Arapoti PR
98 98 José Pacheco de Araújo 2.263.000 6.200 Bom Despacho MG
NOVA 99 Antônio Fernando Monteiro de Barros e Outros 2.263.000 6.200 Belmiro Braga MG
87 100 Vando Pereira Nunes 2.263.000 6.200 Cruzeiro da Fortaleza MG



Tabela 2. Para quem os 100 maiores produtores de leite comercializaram o leite.

Posição 2009 Posição 2010 Nome do Proprietário Para quem comercializou
1 1 Orostrato Olavo Silva Barbosa Laticínio Próprio: Fazenda Bela Vista e Derivados
2 2 Agrindus S/A Empresa Agrícola e Pastoril Laticínio Próprio: Letti; Brasil Foods e DPA
3 3 Huguette E.F de Noronha Guarany Itambé
4 4 Lair Antônio de Souza Laticínio Próprio: Xandô e Salute
5 5 Antônio Carlos Pereira Danone
6 6 CIALNE – Companhia de Alimentos do Nordeste Laticínio Betânia / Agrocacau / Leite Laguna
7 7 Agropecuária Palma Ltda. Laticínio próprio: Leite Palma e DPA
18 8 Granja 4 Irmãos Brasil Foods
11 9 Albertus Frederik Wolters Cooperativa Agropecuária Castrolanda e Pool ABC
9 10 Antônio Alves Capanema Itambé
13 11 Hans Jan Groenwold Pool ABC
8 12 Matozinho Alves da Silva Itambé e Embaré
10 13 Belmiro Coelho da Rocha DPA e Embaré
20 14 José Coelho Vitor e filhos Danone
19 15 Lucas Rabbers Pool ABC
24 16 Azarias Fernandes Rezende e Filhos Parmalat e Italac
14 17 Espólio Sebastião Antônio da Silva Embaré e Biolac
16 18 CR - Cabanha Rottli Rodrigues DPA e Elegê
30 19 Irmãos Strobel S/A DPA
17 20 Maurício Greidanus / Franke Dijkstra Pool ABC
12 21 Antônio dos Reis Itambé
NOVA 22 RASIP Agropastoril S/A Fábrica de laticínios própria e Brasil Foods
29 23 Família Amaral Ilpisa e Brasil Foods
66 24 José Zeraick Brasil Foods;Danubio;Cooperativa de Lorena
15 25 Sandro Aurélio Hey Pool ABC
26 26 Luiz Prata Girão Cooperativa Brasileira de Laticínio - Leite Betania
23 27 Ibrahim Faiad e outros Cooperativa Lar
28 28 Ronald Rabbers Pool ABC
59 29 Poço Pecuária Ltda. Itambé e Cooperativa Agropecuária de Divinópolis
35 30 Valmi Blanco Machado Brasil Foods
32 31 Márcio Alves da Silva Embaré
33 32 Renato Rappa Laticínios Atilatte Ltda.
21 33 Waldir Junqueira de Andrade DPA e Laticínios Milklins Ltda.
40 34 Antônio Gurjão de Farias Laticínios Bom Jesus
31 35 José Henrique Pereira Danone
36 36 Jan Johannes de Boer Líder Alimentos
25 37 Antônio José Freire Danone
51 38 Willian Ferdinand Van Der Goot Capal e Vigor
53 39 Carlos Augusto Delezuk Vigor
46 40 Manoel Ferreira Godinho e Irmãos Vigor
NOVA 41 Caroline Seibt e Outros DPA
52 42 Roberto Sleutjes Pool ABC
NOVA 43 Pedro Firmino de Sousa Itambé e Embaré
54 44 Jan Willem e Marika Brasil Foods
 
Salomons
22 45 Gina Cerchi Crema e Outros Scalon & Cerchi Ltda
43 46 Moizés e Luciano Lemos Danone
57 47 José Francelino Dias COOPATOS (Cooperativa Mista de Patos de Minas)
75 48 Ivanir Rodrigues Ferreira Mococa S/A
56 49 Hendrik de Boer Líder
NOVA 50 Luiz Carlos Figueiredo Itambé
NOVA 51 Francisco Carneiro Lima Laticínios Maranguape
63 52 José Cruvinel de Macedo Leite Bom
49 53 José Joaquim da Silva / Juca Romano Itambé e Brasil Foods
64 54 Agropecuária Rex LTDA CAPEBE (Cooperativa de Boa Esperança)
39 55 Rafic Youssef el Mouallem Danone
NOVA 56 Suria Bittar de Castro Laticínio próprio: Barbacena; Ki Leite
69 57 Roberto M Borg Pool ABC
37 58 Heloise Merolli Líder Alimentos
45 59 Geraldo Magela Valadares Itambé e Embaré
NOVA 60 Abc agricultura e pecuária S/A Cooperativa Agropecuária Ltda. de Uberlândia
NOVA 61 Júlio Bras Serra Machado Embaré
61 62 Jan Erkel Pool ABC
58 63 José Paulo Xavier COOPATOS (Cooperativa Mista de Patos de Minas)
34 64 Ciro Vilela Siqueira Nilza; Shefa; Danone; Boa Nata
NOVA 65 Miguel Furtado Neto Danone
NOVA 66 Orlando de Vaz Filho Itambé
65 67 Rubens Araújo Dias Cooperativa Regional de Produtores de Leite de Serrania Ltda.
NOVA 68 Fazenda Salto Grande do Jacuí Ltda. DPA
78 69 Afonso Santana de Araújo DPA
82 70 Flávio Emílio Arruda Silva / Cícero Paes Ferro COOALEAO e FERSIL Lácteos
72 71 Armando Eduardo de Lima Menge Cooperativa Regional de Produtores de Leite de Serrania Ltda.
70 72 Henrique Antonio Stedile Bom Gosto
99 73 Olavo de Carvalho Júnior DPA
89 74 Paulo Barbosa de Deus Itambé
NOVA 75 Vonaldo Antonio de Morais Nativille
68 76 Rafael Jafet Jr. CCL e DPA
NOVA 77 Carlos Raimundo dos Santos Danone
88 78 Jose Lúcio Rezende Itambé
NOVA 79 Antônio Teixeira de Araújo DPA; Puro Sabor
81 80 Gerrit Verburg Vigor
85 81 Marius Cornelis Bronkhorst Capal
92 82 Armando de Paula Carvalho Filho Pool ABC
83 83 Antônio de Pádua Martins Danone
NOVA 84 Neiva de Lourdes Rigon Acatrolli / Maurício Acatrolli DPA; Brasil Foods
97 85 J. Ida Agropecuária LTDA Leite Fazenda Bela Vista Ltda.
79 86 Roelof Groenwold Pool ABC
93 87 Erasmo Carlos Rabelo Embaré
96 88 Ubel Borg Pool ABC
91 89 Paulo Emílio Rodrigues Amaral Bom Gosto; Brasil Foods
NOVA 90 José Carlos Chaves Cunha DPA
80 91 Marco Noordegraaf Pool ABC
NOVA 92 João Cesar Gatti Embaré
NOVA 93 Robert Jan de Jong Lactobom
95 94 Francisco Sérgio Castilho Galvão Cooperativa de Laticínios de Guaratinguetá
77 95 Agropecuaria Boa Fé Ltda Itambé
94 96 Amauri Pinto Costa Danone
47 97 Frederik Kok Brasil Foods
98 98 José Pacheco de Araújo Itambé
NOVA 99 Antônio Fernando Monteiro de Barros e Outros Laticínio Grupiara
87 100 Vando Pereira Nunes Embaré

Escala não aumenta

A produção dos 100 maiores em 2009 superou a do ano anterior em apenas 0,79%, mantendo-se acima dos 11 mil litros diários de média, com 11.492 kg ante os 11.402 kg/dia produzidos em 2008. O aumento médio absoluto foi de 90 kg/dia por produtor, valor menor do que o aumento anterior (646 kg/dia).

A figura 1 traz a evolução da produção média desde a primeira edição. Percebe-se, embora o crescimento seja contínuo, a taxa de elevação tem uma tendência de queda.

Gráfico 1 - Evolução da produção média de leite por produtor participante do TOP 100 e taxa de crescimento anual.


O ano de 2009 foi um ano de cautela para os produtores de leite. Os baixos preços praticados no final do 2º semestre de 2008, aliados ao aumento dos custos de produção, desestimularam os produtores a executarem muitos dos projetos previstos para 2009, o que pode ter contribuído para esta estabilidade do crescimento da produção.

Mudanças na listagem

Houve algumas alterações na listagem de 2010 em comparação a 2009. Dos 100 produtores que constavam na lista do ano passado,

- 9 não responderam até a finalização desta edição;
- 8 não entraram na lista (produção mais baixa do que o limite deste ano).

Com isso, entraram 17 novos produtores.

As maiores fazendas

O grupo dos 10 maiores produtores diminuiu a média de produção diária, passando de 30.212 litros/dia para 29.520 litros/dia, ou seja, queda de 2,29%, resultado diferente do ano passado, quando houve um crescimento de 4,37%.

Entre as maiores fazendas, a Fazenda São José, de Olavo S. Barbosa, manteve-se mais uma vez no topo da listagem, porém apresentando queda de 9,8% na produção comercializada. Entre o grupo dos 10 maiores, destacam-se alterações como o significativo aumento na produção da Granja 4 Irmãos, o que fez com que este produtor ficasse em 8° lugar no ranking, saindo da 18ª colocação do ano passado.

Destaque também para o produtor Albertus Frederik Wolters que, do 11° lugar, alcançou o 9° lugar.

Entre os maiores aumentos absolutos (figura 2), o destaque ficou para Granja 4 Irmãos, com acréscimo de 5.692 kg/dia. A média de aumento das 10 fazendas que mais cresceram ficou em 2.774 kg/dia, praticamente igual aos 2.749 kg/dia de 2008 para 2009 e menos do que os 3.639 kg/dia de aumento entre 2007 e 2008.

Gráfico 2 - Maiores aumentos absolutos (kg/dia).

Minas Gerais continua na liderança entre os grandes produtores de leite

A tabela abaixo traz os dados compilados por região e estado. Sul e Sudeste continuam reunindo a grande maioria das fazendas, com 86% das propriedades, 2% a menos do que no ano passado. O Centro–Oeste teve um aumento de 2% quando comparado ao ano passado, ficando com 6% do total. A região Nordeste manteve 8% no total.

Entre os estados, Minas Gerais continua líder, com 45% dos grandes produtores situados no estado. Em segundo vem o Paraná com 23 fazendas.

A supremacia de Minas Gerais em relação aos maiores produtores de leite pode residir no fato de alguns laticínios que captam quantidade significativa de leite nesse estado terem fortes estímulos ao aumento de escala através de bônus por volume de leite. Itambé, DPA, e Danone são exemplos.

Já no Paraná, a existência de um “cluster” de produção de leite altamente tecnificado e baseada na exploração de rebanhos puros confinados ou semi-confinados na região de Ponta Grossa explica a significativa ocorrência de grandes produtores no estado.

Tabela 3. Fazendas por estado/região.

Região Estado       Número de fazendas
SUDESTE TOTAL 55
  MG 45
  SP 10
CENTRO - OESTE TOTAL 6
  GO 6
NORDESTE TOTAL 8
  AL 3
  CE 4
  SE 1
SUL TOTAL 31
  PR 23
  RS 8
BRASIL TOTAL 100

Produtores pretendem aumentar a produção em 2010

Assim como ocorreu no ano passado, perguntamos quais as perspectivas para 2010 em relação à atividade. A maioria dos produtores (69%) pretende produzir mais leite em 2010 do que produziu em 2009. Esse número é semelhante ao verificado no ano passado, em que 70% pretendiam aumentar a produção. A expectativa para esse grupo de produtores foi sempre de crescimento. Isso pode significar que, mesmo em situação de preços médios não tão atrativos, esses produtores, em função do volume, vêm recebendo preços atrativos e, com isso, mantém os investimentos na atividade.

Dos 31% restantes, 27% pretendem manter a produção e 4% pretendem diminuir, semelhante ao ano passado, quando 5% dos produtores manifestaram interesse em diminuir a produção. Por estes dados, fica evidente a intenção de elevar a produção no grupo dos 100 maiores.


Gráfico 3. A perspectiva dos produtores para 2010..

Em Minas Gerais, o número de produtores que falam em aumentar a produção aumentou sensivelmente, ficando em 66,6%, contra 61,9% em 2009, mas bem abaixo dos 84,5% de 2008. Em São Paulo, também houve acréscimo em relação à perspectiva de aumento de produção: 90% contra 81,8% em 2009. Talvez os melhores preços verificados no estado, fruto da política tributária e fiscal, tenha impactado nessa resposta.

Já no estado do Paraná houve decréscimo dos produtores interessados em aumentar a produtividade com 52,2% contra 77,8% nos anos de 2008 e 2009. No Rio Grande do Sul, dos 8 produtores da lista, 7 pretendem aumentar e 1 pretende manter a produção.

Em relação à intenção x realizado em 2009, é interessante notar que 55,7% dos 70 produtores que manifestaram planos de aumentar a produção em 2009, realmente o fizeram. No entanto, 27,15% dos que pretendiam ampliar, acabaram reduzindo a produção, número menor do que o observado no ano passado, 29,7%. A diferença pode ser reflexo de mudanças no manejo, nas condições climáticas ou nas perspectivas do mercado, mas também problemas na gestão, que impedem a realização dos objetivos previamente traçados.

Já entre os que haviam manifestado interesse em manter a produção, 42,85% aumentaram e 38,1% reduziram a produção.

Tabela 4. Intenção x realizado em 2009.

Em 2009 esperavam:

O que aconteceu:

Aumentar a produção 70 Aumentaram 39
    Reduziram 19
    Mantiveram 3
    Não foi possível o contato 9
 
Reduzir a produção 5 Reduziram 2
    Não foi possível o contato 3
 
Manter a produção 24 Aumentaram 9
    Reduziram 8
    Mantiveram 4
    Não foi possível o contato 3

 

Semi-confinamento dos animais prevalece em 2009

Na edição deste ano, repetimos a avaliação dos sistemas de produção, com 3 possíveis respostas. As categorias são:

-CONFINAMENTO: nesse caso, as vacas em lactação recebem toda a alimentação em cochos. Alguns produtores reportaram a utilização de instalação do tipo free stall e outros em piquetes.

-SEMI-CONFINAMENTO: nessa categoria entram fazendas nas quais todas as vacas pastejam durante algum momento do dia e ficam a maior parte do tempo em piquetes ou outras instalações.

PASTEJO: envolve fazendas nas quais parte significativa do rebanho em lactação, durante a estação de maior crescimento vegetal, utiliza pastagens como fonte principal de volumosos.

 

Tabela 5. Sistemas de produção informados

Sistema de produção % das fazendas Média diária vaca/dia (kg)
Semi-confinamento 42 22,8
Confinamento 41 30,5
Pastagem 17 17,2

Pelos dados levantados, o principal destaque foi a opção semi-confinamento, que reuniu 42% das 100 maiores fazendas de leite, com média de 22,8 kg/dia (média aritmética ponderada pela produção). A participação do confinamento no grupo dos 100 maiores teve resultado inferior ao ano passado, quando totalizava 44% dos produtores, e nesse ano totaliza 41%. O uso dos sistemas baseados em pastagens aumentou para 17% das propriedades, número superior ao do ano passado, 14%. Dos 17 novos produtores que entraram este ano na lista, 5 utilizam o sistema de semi-confinamento, 9 utilizam o confinamento e 3 utilizam pastagem.

Índices de eficiência técnica – maiores produtividades por vaca – Castro-PR, continua em destaque

A tabela 6 traz as 10 maiores médias por vaca/dia, segundo reportado pelos próprios produtores. Entre os fatores que afetam esse índice, entre outros, estão:

- raça;
- genética adotada;
- sistema de produção adotado;
- número de ordenhas;
- uso de BST;
- clima;
- instalações;
- taxa de descarte.

Em função de todos esses fatores, é compreensível que as médias reportadas tenham variado de 12,0 a 39,8 kg/vaca/dia, com média geral de 25,01 kg/dia, desvio padrão de 8,3% e coeficiente de variação de 33,18%.

As 3 maiores médias entre os Top 100 vieram da região de Ponta Grossa, no Paraná, que teve também 10 dos 12 produtores com as maiores médias. O município de Castro, continuou em destaque, com 7 indicações, entre elas o 1° e o 3° lugares.

Destaque também ao município de Carambeí, que através do produtor Carlos Augusto Delezuk, ficou com o 2° lugar. Em 11° lugar, houve empate entre 2 propriedades com 33 kg/leite/dia. Esse dado indica a vantagem comparativa dessa região para a produção intensiva, dadas as condições de clima, permitindo o cultivo de forrageiras de inverno de alta qualidade. O predomínio dessa região nesse quesito mostra também a qualidade do manejo e tradição dos produtores.

A Fazenda Colorado (em Araras/SP), de Lair Antônio de Souza, novamente é destaque da região Sudeste, produzindo média de 35,4 kg/dia, em um total de 31.507 kg de leite diários, ficando em 6° lugar em média de produção. Além de estar em uma região mais quente, sabe-se que é difícil manter médias tão elevadas à medida que se aumenta o número de vacas em lactação.

Tabela 6. Maiores médias de produção por vaca

Nome do produtor ou empresa média de leite/vaca/dia em 2009
kg/vaca/dia
Kg/vaca/dia
Local
Ronald Rabbers 39,8 Castro PR
Carlos Augusto Delezuk 39,4 Carambeí PR
Hans Jan Groenwold 39 Castro PR
Sandro Aurélio Hey 39 Castro PR
Jan Johannes de Bôer 37,3 Castro PR
Albertus Frederik Wolters 36 Castro PR
Lair Antônio de Souza 35,4 Araras SP
Armando de Paula Carvalho Filho 35 Castro PR
Gerrit Verburg 34 Arapoti PR
Marius Cornelis Bronkhorst 33,4 Arapoti PR
Robert M. Borg 33 Castro PR
CR - Cabanha Rottli Rodrigues 33 Santo Augusto RS

 

Índices de eficiência técnica – maiores produtividades por área

Além da produtividade por vaca, um índice ainda mais representativo da eficiência técnica é a produtividade por área, que reflete o uso do principal fator produtivo e que, em última análise, afeta diretamente o potencial de rentabilidade da propriedade.

Esse índice apresenta enorme variação em função de vários fatores, criando ressalvas para a comparação entre fazendas. Entre os fatores que afetam esse índice, pode-se destacar:

- sistema de produção adotado e grau de intensificação;
- produção de grãos na propriedade;
- aquisição de volumosos de terceiros, usando menor área da propriedade;
- manejo agrícola, incluindo possibilidade de duas safras, irrigação, etc.;
- criação terceirizada de bezerras e novilhas;
- estrutura do rebanho e eficiência reprodutiva (% de vacas em lactação);
- raça e genética;
- clima (temperatura, precipitação);
- solo

Em função desses fatores, e do fato da pesquisa sobre esse item carregar alguma margem de erro, a variação entre as propriedades analisadas foi muito elevada, com a menor produzindo 912,6 kg/ha/ano e a maior, 56.900 kg/ha/ano, com desvio padrão de 14.927 kg/ha/ano e Coeficiente de Variação de 64,25% (considerando-se apenas as áreas para produção de volumosos).

Além disso, há produtores que adquirem parte significativa do volumoso fora da propriedade, o que nem sempre significa elevada eficiência. Optamos por manter estes produtores no ranking, porém assinalando aqueles que, pela pesquisa, não produzem a totalidade do volumoso em sua área.

A produção média por área de volumoso, apesar da dispersão, foi de 37,21 kg/ha/dia, um índice que pode ser considerado muito bom. Certamente, esse índice reflete as regiões em que os produtores estão localizados, em grande parte no Sudeste e no Sul, onde o custo de oportunidade da terra é alto, fruto da existência de culturas concorrentes. A intensificação é a única maneira de fazer frente à elevação do custo da terra.

É interessante que a produção por área, analisando os 10 maiores, teve distribuição mais ampla do que no caso da produtividade por vaca, certamente mais sensível ao clima e tipo de manejo adotado. Entre os maiores, estão desde propriedades localizadas em clima mais ameno e com inverno chuvoso de Ponta Grossa, PR, até propriedades em clima mais quente, com maior exploração de forragens tropicais.

Vale lembrar, no entanto, que a região de Ponta Grossa colocou 7 propriedades entre as 10 mais, de forma que a produtividade por área andou junto com a produtividade por vaca, mostrando a alta eficiência técnica dessa região.

 

Tabela 7. Maiores médias por hectare/ano, considerando apenas as áreas de produção de volumosos.

 Nome do produtor / Empresa Kg leite / ha volumoso / ano Cidade Estado
Mauricio Greidanus / Franke Dijkstra* 93.806 Carambeí PR
Agropecuária Palma Ltda 73.812 Luziânia GO
Amauri Pinto Costa 56.900 Pouso Alto MG
Albertus Frederik Wolters 56.027 Castro PR
Ronald Rabbers 55.087 Castro PR
Júlio Bras Serra Machado 54.660 Castro PR
Roberto Sleutjes 45.650 Castro PR
Pedro Firmino de Sousa 40.555 Pompéu MG
Willian Ferdinand Van Der Goot 39.728 Arapoti PR
Frederik Kok 37.912 Arapoti PR

*Adquire parte do volumoso de fora da propriedade. É provável que outras propriedades dessa listagem também o façam, mas isso não foi informado.

Ao se considerar a área total destinada ao leite, incluindo a produção de grãos, nas propriedades que destinam parte da área para essa finalidade, a média cai para 19.177 kg/ha/ano e desvio padrão de 12.639 kg, com Coeficiente de Variação de 65,9%.

Tabela 8. Maiores médias por hectare/ano, considerando o total da área dedicada à atividade.

Nome do produtor / Empresa

Kg leite / área total para a atividade ha / ano

Cidade

Estado

Amauri Pinto Costa 56.900 Pouso Alto MG
Albertus Frederik Wolters 56.027 Castro PR
Ronald Rabbers 55.087 Castro PR
Júlio Brás Serra Machado 54.660 Pompéu MG
Franke Dijkstra / Maurício Greidanus* 46.903 Carambeí PR
Roberto Sleutjes 45.650 Castro PR
Pedro Firmino de Sousa 40.555 Pompéu MG
Willian Ferdinand Van Der Goot 39.728 Arapoti PR
Sandro Aurelio Hey 38.021 Castro PR
Jan Willem e Marika Salomons 35.853 Arapoti PR

Raça holandesa predomina

Entre as raças utilizadas pelos 100 maiores produtores de leite, a holandesa continua com maior presença, estando presente em 56,5% dos rebanhos, mantendo o percentual do ano passado, seguida pelo Girolando ou mestiço com grau variado de sangue, com 34,4%, percentual maior que o obtido ano passado, 31,78%.

Tabela 9. Raças ou cruzamentos utilizados

Raças ou cruzamentos

Nº de fazendas

% dos produtores

Holandês 74 56,50%
Girolando ou mestiço com grau variado de sangue 31 34,40%
Jersey 4 3,05%
Sueco Vermelho 1 0,76%
Pardo Suíço 6 4,58%
Gir Leiteiro 1 0,76%
Mais de uma raça 24 24,00%

Neste ano, o destaque é para DPA e Itambé, que empataram como os principais laticínios entre os grandes produtores de leite, com 14 fornecedores cada. Em seguida está o Pool ABC, que perdeu 3 fornecedores comparando com o ano passado, passando de primeiro a segundo lugar. A Danone, perdeu 3 fornecedores, ficando em 3º lugar, junto com a Brasil Foods. A Embaré ganhou espaço com o acréscimo de 4 fornecedores, subindo para a 4ª posição. O número de laticínios próprios aumentou em 1 unidade quando comparado ao ano passado.

Tabela 10. Para quem comercializa o leite

Laticínio

Numero de fornecedores

DPA 14
Itambé 14
Pool ABC 13
Danone 11
BR Foods 11
Embaré 10
Laticínio Próprio 7
Vigor 4
Líder Alimentos 3
Bom Gosto 2
Capal Cooperativa Agroindustrial 2
COOPATOS 2
Cooperativa Regional de Produtores de Leite de Serrania Ltda. 2
Outros 35

Análise dos custos de produção

Pela primeira vez, perguntamos aos produtores a respeito de seus custos operacionais para produção de um litro de leite. A informação a seguir foi passada pelos produtores, de forma que não houve checagem a respeito da metodologia adotada e das próprias informações passadas.

Em 2009, 40,4% dos 100 maiores produtores tiveram um custo operacional entre R$ 0,55 a R$ 0,65 por litro de leite. Em seguida, a faixa de R$ 0,65 a R$ 0,75 foi citada por 28,28% dos produtores. Por último, 17,17% dos produtores tiveram um custo operacional na faixa de R$ 0,45 a R$ 0,55/litro e 14,14% tiveram um custo acima de R$ 0,75 por litro de leite produzido.

Gráfico 4 – Percentual de produtores por faixa de custo de produção, em R$/litro de leite (custo operacional).

 


O custo de produção médio por região também foi avaliado entre as quatro regiões que participaram da pesquisa e o Sudeste apresentou a maior média de custo operacional, de R$ 0,67 por litro de leite. O Centro – oeste teve uma média de custo de R$ 0,63, seguido da região Sul com R$ 0,61 e da região Nordeste com R$ 0,56.

É importante alertar que, tanto pela metodologia adotada como pelo amostragem reduzida em algumas regiões (especialmente Centro – oeste e Nordeste), não é possível concluir a respeito das diferenças de custos de produção entre regiões.

Gráfico 5 – Custo de produção médio por região.


Agradecimentos

Agradecemos a todos aqueles que viabilizaram o levantamento, seja indicando fazendas e dando sugestões, seja permitindo que suas fazendas fizessem parte da pesquisa. Esperamos, com isso, que tenhamos mais uma vez uma radiografia dos 100 maiores produtores de leite do Brasil e contribuir para o maior entendimento da dinâmica que rege o desenvolvimento desse grupo. Agradecemos em especial aos patrocinadores, Elanco Saúde Animal, QGN S/A, Nutron Alimentos, Sulinox e CRV Lagoa, que viabilizaram o trabalho.

Adalton Ribeiro Lopes Geraldo Vasconcelos Valadares Marius Cornelis Bronkhorst
Adenilson José de Andrade Gerrit Verburg Matheus Rosa de Oliveira 
Adenio Siqueira Dansiger Getúlio Feliciano Guimarães Matozinho Alves da Silva
Afonso Santana de Araújo Granja 4 Irmãos Ltda. Maurício Acatrolli
Agenor Teixeira de Carvalho Grupo AlgarAgro Maurício Greidanus
Agrindus S/A Empresa Agrícola e Pastoril Hans Jan Groenwold Mauro Aredes Pereira Neto
Agropecuária Boa Fé Ltda. Helena F. Pereira Miguel Furtado Neto
Agropecuária Palma Ltda. Hendrik de Boer Miriam Mohallem
Agropecuária Paraíso Ltda. Hendrik Jacobus de Jange Moizés Lemos
Agropecuária Rex Ltda. Henrique Antônio Stédile Neiva de Lurdes Acatrolli
Agropecuaria São Marcos Henrique Saraiva de Araújo Nelson F. Pereira
Agropecuária Tio Bili Ltda. Horácio Moreira Dias Newton Ferreira de Paiva Filho
Albertus Frederik Wolters Huguette E.F. de Noronha Guarany Nilo Gonçalves Simão
Alcy dos Reis Nunes Humberto Garcia Machado Olavo de Carvalho Júnior
Alfeu de Bortoli Ibrahim Faiad Orlando Meirelles Didier
Alfredo Alves Neto Irmãos Strobel S/A Orostrato Olavo Silva Barbosa
Amanda Litznger Ivan Valadares Chaves Paulo Barbosa de Deus
Amauri Pinto Costa Ivanir Rodrigues Ferreira Paulo Coelho
Ana Lúcia Litznger J.IDA Agropecuária Paulo Emílio Rodrigues Amaral
Antônio Ademar dos Santos Jan Erkel Paulo Rodrigues Nunes
Antônio Alves Capanema Jan Johannes de Boer Paulo Sérgio Amoreli Silveira
Antônio Amâncio Neto Jan Noordegraaf Pedro Ananias de Aguiar
Antônio Carlos Pereira Jan Willem Salomons Pier Vicente Langendyk
Antônio de Pádua Martins JC Aguiar Poço Pecuária Ltda.
Antônio dos Reis Jesus Pedro Machado Rafael Rabbers
Antônio Gurjão João César Gatti Rafic Youssef el Mouallem
Antônio José Freire João Cornélio Los Raphael Fuscaldi Martins Teixeira 
Antônio Teixeira de Araújo João Leonardo Borges Raphael Jafet Jr.
Armando de Paula Carvalho Filho Johny Leendeert Los Raul Anselmo Randon
Arthur Figueiredo de Brito Jorge Rodrigues Raul Pereira de Carvalho
Auke Dijkstra José Carlos Chaves Cunha Régis José de Carvalho 
Azarias Fernandes Rezende José Coelho Vitor Renato Maurício de Paula
Bauke Dijkstra José Cruvinel de Macedo Renato Rappa
Belmiro Coelho da Rocha José Francelino Dias Revista Leite Integral 
Bruno Carvalho Rosa José Henrique Pereira Ricardo Artuso
Camila Prado Lenzi  José Joaquim da Silva Roberto Borg
Carlos Alberto Lacerda José Lúcio Resende Roberto Hamilton Fenoci Filho
Carlos Antônio Cardoso José Pacheco de Araújo Roberto Sleutjes
Carlos Augusto Delezuk José Paulo Xavier Roelof Groenwold
Carlos Magno Cortes José ribeiro Mendonça Rogério e Caroline Seibt
Carlos Raimundo dos Santos José Waldner Rogério Pimenta Peres
Centro de treinamento para pecuaristas José Zeraick Romulo Lesquives Depollo
César Alberto Coutinho Juarez Rodrigues Veloso Ronald Rabbers
Christiane Lima Júlio Braz Serra Machado Ronaldo Valadares Gontijo
CIALNE – Companhia de Alimentos do Nordeste Karolyi  Rubens Araújo Dias
Ciro Vilela Siqueira Kleso Silva Franco Júnior Sandro Aurélio Hey
Cláudio Martins Lair Antônio de Souza sandro luis viechnieski 
Cléria Scalon Cerchi Lambert Petter Saulo Julio Ribeiro 
CR – Cabanha Rottli Rodrigues Laticínio Nossa Senhora Aparecida Sekita Agronegócios
Daniel Contessotto Lázaro César Rodrigues  Sérgio Costa Curta
Diogo Casagrande Leendert Noordegraaf Sérgio Elmar Bender
Djair Boscatti Leitíssimo/Leite Verde Sérgio Paim Beraldo
Eduardo Guimarães Carvalho Leonardo Lataliza Suria Bittar de Castro
Eduardo Palmério  Leonardo Marçal da Silva Talles Soares Rosa
Eduardo Valias Vargas  Leonel Arlindo Dalfovo Taycir Ghader
Eliston José de Souza Lucas Rabbers Teresa Borg
Erasmo Carlos Rabelo Luciano Lemos Tiago Marques Mantovani 
Érica Maria Luchesi Luciano Pimenta Peres Ubel Borg
Espólio Sebastião Antônio da Silva Lúcio Lemos Júnior Ulisses José Ferreira Leite
Eurípides José da Silva Luis Carlos Figueiredo Valdenor Krug
Fabio Pedro Fabretti Luiz Paulo De Souza  Valmi Blanco Machado
Fabrízio Machado  Luiz Prata Girão Vando Pereira Nunes
Família Amaral Luiz Ricardo de Castro Vasco Rodrigues da Cunha 
Fazenda Salto Grande do Jacui Ltda Manoel Ferreira Godinho Venuíno Martins Diniz
Fernando Peres Nunes Manoel T.P de Carvalho Neto Vergilio Biesdorf
Fiorino Pinato Marcelo Gontijo Cardoso Vicente Antônio Marins
Flávio Emílio Souza Márcio Alves da Silva Virgílio Saraiva
Flávio Loch Savaris Marco Antônio Pádua Carvalho  Vonaldo Antonio de Morais 
Francisco F. Marconcini Marcos Aureliano Rodrigues Nunes Waldir Junqueira de Andrade
Francisco Sérgio Castilho Galvão Marcos Rezende William F. Van der Goot
Franke Dijkstras Marcos Salgado Willians & Cia pecuária Ltda
Frederick Kok Maria Aparecida Souza e Silva Wladmir Antônio Puggina
Geraldo Magela Valadares Maria Cecília Centa do Amaral

 

Equipe

Apuração e checagem dos dados: Érika Ramos Pivetta e Raquel Rodrigues

Relatório final: Érika Ramos Pivetta, Marlizi Moruzzi e Raquel Rodrigues

Coordenação e concepção: Marcelo Pereira de Carvalho

Contato



www.milkpoint.com.br

Fone: (19) 3432.2199

top100@milkpoint.com.br

t