Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

[Vídeo]: Ronald Wolters: "os indicadores são essenciais e devem estar na palma da mão"

postado em 06/04/2017

2 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Ronald Wolters é engenheiro agrônomo pela Universidade Estadual de Ponta Grossa e atualmente é gerente agrícola da propriedade rural da família em Castro/PR, originada do avô, holandês. A fazenda foi desenvolvida fortemente por seu pai, Albertus Wolters, e hoje, conta com a nova geração, a qual Ronald pertence. Em 2016 (relatório de 2017) ocuparam o 7° lugar no Top 100 do MilkPoint (no relatório anterior, estavam na 13ª posição).

Ronald é focado em gestão agrícola e, no Interleite Sul 2017, irá compartilhar a história, a visão e o método deles, que têm permitido sucesso não só na produção e nos resultados, mas particularmente na continuidade do negócio familiar, agora por três gerações ("Gestão da produção de leite em grande escala" no Painel "Olhando para o futuro do leite na Região Sul").

“A fazenda começou com o meu avô, na década de 1950. Sendo mais exato, ele chegou ao Brasil em 1952 com um grupo de imigrantes holandeses. Ele veio da Holanda com apenas três vacas, comprou uma parte da área em Castro/PR e recebeu uma outra área na região. No total, eram 60 hectares, nos quais se aproveitava apenas de 15-20 hectares, pois havia muito mato e muita várzea, além da área estar ainda com campo nativo. Quando ele chegou com o gado da Holanda, a situação aqui era bem precária”, disse.

Aos poucos e, com muita dificuldade, o avô de Ronald foi comprando animais novos, mas também perdeu outros já que o sistema no Brasil era diferente do sistema holandês. “Ele e o grupo de imigrantes não falavam português e isso gerou outras dificuldades, mas, lentamente, eles foram construindo uma cooperativa e isso ajudou muito no desenvolvimento da atividade. Com o passar dos anos meu pai assumiu a propriedade e, com a ajuda da cooperativa e de assistência, o negócio foi crescendo. Atualmente, estou começando a assumir a propriedade e trabalharei junto para dar continuidade ao trabalho”.

Hoje, além do leite, a Agropecuária Tina também trabalha com o plantio de soja, milho e feijão – no verão – e trigo e cevada no inverno. “Iniciamos com a produção de leite e quando meu pai assumiu, ele pensou em diversificar, para não depender das altas e baixas do leite. Na época, ele então iniciou com a suinocultura e começou a expandir a área agrícola. Parte da nossa produção de milho é destinada à alimentação animal”. 

Ronald ainda lembra que quando o seu avô trabalhava, a produção de leite era de aproximadamente 4 mil/litros /dia. Atualmente, a produção ultrapassou os 30 mil litros diários, sendo que, no inverno passado chegou a 34 mil litros/dia.

Desde pequeno eu acompanho as produções na fazenda e foi isso que me motivou a dar sequência nos trabalhos.Ronald Wolters
“Nós optamos por trabalhar com assistência técnica de qualidade com o intuito de gerar indicadores para que na sequência, o gestor consiga avaliar (junto com o técnico) quais ações devemos tomar. Os indicadores são essenciais, tanto os técnicos, como os financeiros e dos trabalhadores. Tudo isso tem que estar na palma da mão para que decisões certas sejam tomadas”.

Confira o vídeo de Ronald Wolter:


Garanta já a sua inscrição: http://www.interleite.com.br/sul/. Vagas limitadas!

 
Vamos juntos fazer o futuro da pecuária leiteira da região Sul ainda mais produtiva.

Confira a programação completa do evento: http://www.interleite.com.br/sul/

Para quaisquer informações ou dúvidas sobre o evento envie um e-mail para eventos@agripoint.com.br ou ligue para (19) 3432-2199

patrocinadores Interleite Sul 2017

Avalie esse conteúdo: (5 estrelas)

Comentários

Wagner Beskow

Cruz Alta - Rio Grande do Sul - Pesquisa/ensino
MyPoint Pro - postado em 06/04/2017

"O gestor da fazenda deixou de ser um gestor de animais e passou a ser um gestor de pessoas. Esta foi a grande diferença de quando saímos da pequena escala para a grande escala".

Ronald Wolters (Castro/PR) nos concedeu esta entrevista para que todos conheçam um pouco mais sobre a Fazenda Tina, com mais de 30.000L/dia. Não percam este "case" e muitos outros relatos valiosíssimos no Interleite Sul 2017. Nos encontramos lá?

Ângelo Marcelo Wosniacki

Campo Mourão - Paraná - Consultoria/extensão
postado em 14/04/2017

O gestor de fazenda passou a administrar a propriedade como empresa, a 4M podologia bovina apóia essas novas visões de ter dentro do seu negócios tecnologia e profissionais capacitados.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2017 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade