carregando...
Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Escore de Locomoção é uma ferramenta para identificação prévia dos problemas de cascos

Por Zinpro Performance Minerals (MyPoint Biz)
postado em 28/09/2016

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Escore de Locomoção é uma ferramenta para identificação prévia dos problemas de cascos

Pesquisadores do Estados Unidos e Europa reportam que o custam médio da manqueira está ao redor de US$346 por caso. Sendo que o custo com as lesões infecciosas são menores, em torno de US$100, e o das lesões não infecciosas chega próximo de US$500.

O caso de manqueira não tratado pode afetar o consumo de matéria seca pelo animal, a produção de leite, o desempenho reprodutivo, a saúde do animal e sua longividade e por fim a lucratividade do negócio. A identificação e o tratamento antecipado das vacas mancas mantém os animais produtivos.

Para monitoramento e manejo adequado da saúde de casco é importante que o produtor identifique os animais afetados. O sistema de escore de locomoção é uma ferramenta que permite a identificação prévia dos problemas de locomoção, essa foi desenvolvida para simplificar o trabalho de gerenciamento dos problemas de casco.

O escore de locomoção é um processo simples de avaliação da postura da linha de dorso do animal, tanto parado quanto caminhando. Atribuindo uma nota de 1 (postura e marcha normal) a 5 (manqueira severa) permite identificar as vacas que ainda não apresentam manqueiras mas já estão com algum tipo de lesão de casco. Pesquisadores de universidade tem documentado que vacas com problemas de casco mudam sua postura da linha de dorso, movimento da cabeça, tanto quanto o movimento de suas pernas e pés, para compensar a dor devido as injúrias de casco. Os objetivos desse programa é identificar as vacas com escore de locomoção 2 (manqueira moderada) ou maior (3 a 5, manqueira moderada a severa) como canditadas para casquemento preventivo ou tratamento e avaliar a prevalência de manqueira do rebanho. O escore de locomoção auxilia na identificação prévia de problemas de casco, antes que esses problemas se tornem graves, dolorosos e tragam grandes prejuízos para o rebanho.


 
Escore de locomoção pode ser realizado em várias condições: pastejo, freestalls, sala de espera ou na saída da ordenha. A avaliação do escore deve ser realizado num local com piso plano, sem obstáculos, buracos ou pedras para que os animais possam caminhar sem alterar sua real postura. Muitos produtores optam para fazer a avaliação quando as vacas estão se movem para a ordenha ou voltando para o curral após da ordenha. Cuidado deve ser tomado para garantir que as vacas possam caminhar confortavelmente e não sendo empurradas. Para identificar os animais com escore 2 ou maior, todas as vacas dentro do rebanho ou lote precisam ser identificadas. Portanto, se o objetivo é uma avaliação global da manqueira do rebanho, só um grupo representativo pode ser avaliado. Pesquisadores de universidades e da indústria sugerem que sejam avaliados no mínimo de 25 a 50% de todas as vacas. Cuidado deve ser tomado durante a avaliação para a distribuição das vacas mancas dentro do grupo, caminhando ou deitadas, não seja uma forma de seleção. A rotina de avaliação do escore de locomoção a cada 2 a 4 meses pode ser uma medida efetiva para avaliar o impacto do manejo, ambiente e nutrição do rebanho sobre a manqueira.

Escore de locomoção pode servir como um sistema de identificação prévia de um potencial problema de casco do rebanho. Portanto, os animais devem ser avaliados e identificados com candidatos ao casqueamento preventivo de rotina, por exemplo ao parto, a inseminação, na secagem, a chegada para o grupo de ordenha. A identificação prévia, o tratamento corretivo, a atenção ao conforto da vaca e garantir uma boa nutrição, incluindo minerais de alta performance, pode melhorar a saúde geral de casco e ter um efeito positivo de desempenho do rebanho e a lucratividade. Selecionando um grupo representativo de vacas dentro do rebanho ou lote (pelo menos 25 a 50% do grupo ou 50 animais) para avaliar o escore de locomoção irá melhorar a eficácia do programa preventivo e a avaliação global da manqueira do rebanho.

A afecção de casco é uma doença multifatorial. Os seguintes fatores de manejo irão influenciar na incidência de claudicação:

1) Conforto da vaca

a. Evitar aglomeração de animais
b. Proporcionar local adequado para a permanência das vacas, limpo e seco
c. Minimizar estresse calórico
d. Evitar pisos escorregadios ou pisos que causam abrasão das cascos

2) Cuidados com os cascos

a. Promover casqueamento de manutenção, 2 vezes ao ano
b. Promover casqueamento terapêutico
c. Promover a higienização dos cascos utilizando pedilúvio
d. Conservar as áreas de tráfegos limpas e sem irregularidades

3) Período de transição

a. Minimizar as trocas abruptas de ração, diminuindo o risco de acidose ruminal
b. Promover a máxima saúde para a vaca nesse período

4) Nutrição

a. Fornecer dietas corretamente balanceadas
b. Fornecer dietas misturadas corretamente
c. Formular dietas de forma a minimizar o consumo seletivo pelas vacas
d. Fornecer dietas com níveis adequados de microminerais
e. Fornecer minerais de alta performance para promover uma maior integridade dos cascos

Embora pequenas quantidades sejam necessárias, os microminerais são importantes elementos da nutrição. Eles fazem parte da composição e mantém o funcionamento do organismo animal.

O Zinco é essencial para a produção do tecido córneo e desempenha um papel importante na resposta imunológica do animal. O efeito do zinco sobre a manqueira em bovinos está normalmente relacionado a cicatrização de ferida, reparo do tecido epitelial, dureza do casco e manutenção da integridade celular.

O cobre é essencial para do tecido córneo do casco saudável. Uma deficiência de cobre pode interferir na síntese de queratina, inibindo o desenvolvimento de um tecido córneo.

O manganês tem importante papel no processo de cicatrização de feridas, formação do colágeno e elastina presentes nas laminas do casco, articulações e ligamentos.

A maioria dos nutricionistas tem trabalhado com níveis superiores de microminerais das tabelas de requerimentos definidas pelo NRC. Por não considerar o estresse relacionado ao aumento na produção de leite e ou doenças, além do efeito dos agentes antagonistas muitas vezes presentes na água e em outros alimentos, as pesquisas tem demonstrado que quantidades superiores de alguns microminerias tem apresentado grandes resultados, melhorando o desempenho animal. Por isso dizemos que requerimento é a quantidade necessária para a manutenção, crescimento, lactação e gestação. Enquanto recomendações são as quantidades validadas pelas pesquisas que comprovam que a suplementação aumenta o desempenho ou melhora a saúde do animal.

Para saber mais entre em contato pelo box abaixo:

Avalie esse conteúdo: (5 estrelas)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2017 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade