FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Relação de troca melhora em relação ao início do ano

PANORAMA DE MERCADO

EM 30/07/2007

3 MIN DE LEITURA

0
0
Com o aumento da demanda mundial pelo etanol, os preços dos grãos se elevaram, e com isso, o custo da ração para o gado leiteiro. No início do ano, as despesas com esse insumo aumentaram bastante, mas foram amenizadas no decorrer do primeiro semestre. No entanto, o cenário é menos satisfatório aos produtores de leite se comparar com o mesmo período do ano passado.

Nos últimos meses, segundo o Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq/USP, o mercado nacional de milho tem sido influenciado mais pela oferta e demanda internas, e, assim, têm caído principalmente em regiões que estão colhendo a safrinha.

De acordo com dados da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), os valores do milho no atacado paulista caíram de R$ 24,28/sc de 60 kg em janeiro para R$ 19,15/sc de 60 kg em maio, o que representa uma redução de cerca de 27% no período.

Gráfico 1. Preços da saca de 60 quilos de milho no atacado de São Paulo.


No caso do farelo de soja, os preços cotados no atacado pela Secretaria de Agricultura e Abastecimento (Seab) do Paraná, representaram uma queda de 13% de janeiro a junho deste ano, reduzindo de R$ 517,36/t para R$ 450,49/t no período.

Gráfico 2. Preços da tonelada de farelo de soja no Paraná.


Ao longo do primeiro semestre deste ano, além da redução dos valores dos grãos para ração, o preço do leite ainda aumentou cerca de 28% de janeiro a junho, o que contribuiu para uma situação mais favorável para o produtor, analisando apenas essas variáveis.

O gráfico 3 apresenta um índice (com base 100 em janeiro de 2005) que mede a quantidade necessária de leite (de acordo com o valor recebido pelo produtor em determinado período) para ser trocada por uma saca de milho (60kg) ou de farelo de soja (1 tonelada), cotados no atacado de São Paulo e no Paraná, respectivamente. Os valores de cada produto foram deflacionados pelo IGP-DI.

Observa-se que a quantidade em litros de leite necessária para se obter uma saca de milho começou a cair em fevereiro, e a partir de abril ficou abaixo da média do período de janeiro de 2005 e junho de 2007.

Ou seja, em função da queda do preço do milho e da valorização do leite nos últimos meses, em maio eram necessários menos de 33 litros de leite para comprar por uma saca de milho, enquanto em janeiro deste ano, seriam necessários cerca de 49 litros de leite.

Para se comprar uma tonelada de farelo de soja em junho seriam necessários 721 litros de leite, enquanto que em janeiro era preciso 1.057 litros de leite para fazer a mesma troca.

Gráfico 3. Evolução do índice de troca entre leite e uma saca de 60kg de milho em grão e leite e uma tonelada de farelo de soja (preços deflacionados pelo IGP-DI).


O índice de troca entre leite e farelo de soja esteve em junho 21,3% inferior ao do mesmo mês de 2006, mostrando uma situação mais favorável ao produtor de leite. Isto se deve basicamente à alta de preços do leite, visto que os valores da soja entre junho de 2006 e junho de 2007 no Paraná registraram aumento de apenas 1,2%.

Já para a troca entre leite e milho em grão, o índice em maio esteve 10% acima do mesmo mês de 2006, ou seja, enquanto em maio deste ano seriam necessários 33 litros de leite para se adquirir uma saca de milho, no mesmo mês do ano passado precisava-se de 30 litros de leite. Isso porque, mesmo com os preços do leite cerca de 19% mais altos em maio deste ano em relação a 2006, os valores do milho no mesmo período registraram alta de 30%.

O caroço de algodão, subproduto também bastante utilizado na ração animal, também acompanhou as oscilações do milho e apresentou uma queda de 20% em junho em relação a janeiro, quando apresentou um pico de preços, no atacado do Paraná, segundo dados da Seab/PR.

De acordo com informações do Cepea, a redução de preços do milho no final do primeiro semestre do ano foram amenizadas porque muitos produtores seguiram retraídos em função de perdas de produção de milho safrinha devido às fortes geadas no Paraná, e poucos negócios foram realizados em junho.

O centro informa que os preços do milho deverão continuar sendo influenciados por aspectos domésticos, como clima e safra, e o período é de ajuste até que dados oficias sobre perdas sejam disponibilizados e reduzam as especulações.

Aline B. Ferro, Equipe MilkPoint.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint