FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Observando o mercado

POR MAURÍCIO PALMA NOGUEIRA

PANORAMA DE MERCADO

EM 20/10/2003

2 MIN DE LEITURA

1
0

Até meados do mês de outubro, o preço do leite no mercado "spot" não havia recuado, pelo contrário, registrou-se até um aumento de 1,2% nos valores médios em relação ao observado durante setembro.

Em setembro, os preços haviam baixado R$0,05/litro em média no mercado "spot", o que deixava claro que o mercado ao produtor sofreria pressão.
Com o mercado "spot" firmando-se nos atuais patamares, sem registrar maiores quedas, o fato poderá ser tomado como um indício de que a tendência seja que o leite ao produtor realmente não abaixe muito em relação aos atuais patamares. Nos meses de julho e agosto os preços foram os mais altos em 2003.

Depondo a favor da firmeza do mercado "spot" já existem informações de cooperativas aumentando preços aos produtores, indo contra a tendência atual, visando aumentar a coleta e atender acordos de fornecimentos de leite "spot". No entanto, ainda se fala no mercado em queda nos preços deste mercado, o que não está se confirmando.

Mesmo assim, o que decide as tendências de preço é o mercado consumidor e é neste mercado que se deve avaliar as perspectivas para as próximas semanas.
Há muito tem sido dito que os preços ao consumidor estão muitos altos, que os preços valorizaram-se demais e chega-se ao absurdo de se afirmar que produtores e indústrias estão ganhando muito este ano. No entanto, a verdade é outra. Observe na tabela 1 os preços em valores reais, corrigidos pelo IGP-DI, para os preços do leite longa vida e leite B, no mercado paulista, nos últimos 4 anos.
 


Atualmente os preços no atacado são os menores, quando se considera os valores reais médios anuais de 1999 até 2003.

Em relação aos valores dos últimos anos, a média dos preços do longa vida está R$0,10/litro abaixo e a do leite tipo B está R$0,18/litro abaixo da média dos últimos quatro anos.

Se o preço está chegando alto para os consumidores, não é a indústria que está sendo melhor remunerada.

O ano de 2003 parece trazer dois problemas para a indústria: pressão pela baixa oferta e pressão pela baixa demanda. Embora pareça um contra-senso do mercado, o fato ocorre pelo motivo da necessidade de prevenir o abastecimento nos próximos meses.

Se o preço cair muito, as indústrias perdem fornecedores. Portanto, reduzir os preços, deixando-os acompanhar a lei da oferta e demanda, poderia comprometer a coleta dos próximos meses.

Nestas condições, o preço médio do leite ao produtor, em 2003, está R$0,02/litro acima da média dos últimos 4 anos. Com isso, atualmente o preço do leite cru representa 39,9% do valor de atacado do leite longa vida. Na média histórica, o leite cru representa 34,5% do valor do leite longa vida. Esse dado, por si só, evidencia parte dos motivos da pressão nos preços aos produtores.
O ideal seria conseguir com que o mercado voltasse a absorver preços do longa vida em torno de R$1,35/litro no atacado. Lembre-se que o longa vida, pelas suas características, ainda é o produto cujos preços balizam o mercado.

Preços naqueles patamares são viáveis, mas há necessidade de um esforço em conjunto para aquecer o consumo.

Por mais que o leite tenha sido apontado como causa no aumento do custo de vida em 2003, pele menos no atacado, os preços nem acompanharam a inflação.

MAURÍCIO PALMA NOGUEIRA

1

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

SAVIO SANTIAGO

OUTRO - RIO DE JANEIRO - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 25/10/2003

Deve-se levar em consideração a pressão das grandes redes mercadistas com o auxílio da massa consumidora em manter o movimento de baixa no leite, principalmente o longa vida que já está sendo vendido no atacado a até R$ 1,01 nas praças de Rio e São Paulo.

Chega-se facilmente a conclusão que se o longa vida atinge esses patamares a média dos produtores deveria girar em torno de R$0,35 a R$ 0,38, no entanto os preços pagos ainda giram de R$ 0,44 a R$ 0,50. Sabemos das dificuldades dos produtores em relação ao custo de produção e por isso achamos que chegou a hora da classe produtora e indústria se unir em torno de um movimento para viabilizar o mercado neutralizando a pressão das redes mercadistas.

Se as coisas continuarem dessa forma a indústria só vai se achatar cada vez mais e os produtores vão acabar tendo que ajudar a pagar essa conta de uma equivocada política para o leite em nosso país.

Sávio Santiago - Gerente de Política Leiteira IVP/Resende RJ - Leite Bom Cheff
MilkPoint AgriPoint