FAZER LOGIN COM O FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

O Leite da Fronteira

POR MAURÍCIO PALMA NOGUEIRA

PANORAMA DE MERCADO

EM 23/03/2004

3 MIN DE LEITURA

0
0

Até bem pouco tempo atrás, o considerável crescimento da produção leiteira em Rondônia era apresentado apenas em valores porcentuais. Quando se comparava o aumento da produção em volume, Rondônia perdia para outros Estados no aumento da produção leiteira.

No entanto, no último levantamento do IBGE, sobre o ano de 2002, Rondônia apareceu com o segundo maior crescimento em volume de leite no país, em relação à produção de 2001.

A produção de Rondônia aumentou 168,5 milhões de litros, enquanto a de Minas Gerais aumentou 196,1 milhões de litros, ou seja, Rondônia apareceu com 86% do aumento observado em Minas Gerais.

Apenas 6 Estados da união tiveram incremento na produção acima de 100 milhões. Em ordem decrescente foram Minas Gerais, Rondônia, Goiás, Pará, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Observe que dentre os que mais aumentaram, aparece também um outro Estado de fronteira para a pecuária leiteira. O Pará ocupou a quarta posição entre os Estados que mais incrementaram a produção em 2002.

Observe, na tabela 1, a produção de leite nos principais Estados em 2002 e o aumento em volume, quando comparado a 2001 e à produção de 1991. Optou-se por apresentar os 16 Estados na nação, cuja produção ultrapassa 1% do volume total produzido no país. O mercado de todos estas regiões é acompanhado pela Scot Consultoria.

Tabela 1: Produção por Estado em 2002 e variação em volume em relação ao início da década de 90 e ao ano de 2001.
 


Outro fato que chama a atenção, analisando a tabela 1, é que o grande aumento na produção de leite nas regiões de fronteira, segundo o IBGE, parece ter se concentrado nos últimos anos. Em Rondônia, 42% do aumento do volume, observado em 11 anos, ocorreu em 2002. No caso do Pará, 35% do aumento em 11 anos concentrou-se entre os anos de 2001 a 2002.

Nos últimos anos, o maior interesse de diversas indústrias nessas regiões, especialmente em Rondônia, parece ter estimulado a produção leiteira regional.

Regiões fartas de pastagens, aplicando técnicas de fornecimento de concentrados ou mesmo sais proteinados e energéticos, permitem bons desempenhos de animais leiteiros mestiços.

É, teoricamente, um leite barato.

Às indústrias, cabe avaliar a viabilidade de compra do leite destas regiões para abastecer o mercado do sudeste, especificamente.

Observe, na figura 1, os preços do leite na média ponderada do país e nos Estados do Pará e Rondônia. Os valores estão apresentados em reais nominais, ou seja, os valores que realmente foram pagos ao longo do período.

 


Em média, no último ano, os preços pagos em Rondônia ficaram 13% abaixo da média do país, enquanto os preços pagos no Pará ficaram 15,7% abaixo da média. Para o cálculo da média dos preços pagos no Brasil, são incluídos todos os Estados relacionados na tabela 1. Os preços pagos nestes Estados pesam proporcionalmente, é uma média ponderada.

Portanto, os preços que mais pesam no cálculo da média ponderada são os preços dos seis Estados leiteiros que produzem mais de 1 bilhão de litro de leite ao ano: Minas Gerais, Goiás, Rio Grande do Sul, Paraná, São Paulo e Santa Catarina.

Observe, na figura 2, os preços pagos pelo leite ao produtor em fevereiro, nos diversos Estados pesquisados.

 


Para estas regiões, a tendência é que aumentem a sua importância como bacia leiteira no país. Como ocorreu durante anos em Goiás, os preços do leite tenderão a se distanciar mais da média nacional, em períodos de sobra de leite, e aproximar-se da média durante os meses de maior concorrência entre as indústrias: a entressafra.

Visitando a região de Rondônia, ao contrário do que muitas vezes se imagina, já é possível constatar bons projetos sendo desenvolvidos para a produção leiteira. Aos poucos, aquela imagem de "fogo de palha" de uma região bem mal localizada em relação aos centros consumidores, vai sendo substituída pelos bons projetos que se iniciaram e tendem a se desenvolver no Estado.

O aumento da demanda, por parte das indústrias que começam a se interessar e se mover para a região, fortalecerá e desenvolverá a pecuária leiteira em Rondônia.

MAURÍCIO PALMA NOGUEIRA

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint