ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Leite - Vendas não muito comprometidas

PANORAMA DE MERCADO

EM 20/10/2003

2 MIN DE LEITURA

0
0

Tabajara Marcondes1

Nos últimos tempos, as reuniões mensais do Conseleite do Paraná são aguardadas com certa expectativa pelo setor leiteiro paranaense e de outras unidades da federação. Nestas reuniões são definidos preços de referência para a matéria-prima, a partir dos preços de comercialização do leite e derivados.

É muito natural que esta expectativa exista e até esteja sendo intensificada, pois além de ser nestas reuniões do Conseleite onde existe a maior transparência na formação dos preços do leite do País, é sabido que, cada vez mais, o processo de formação de preços do leite não está limitado a um estado.

Especialmente em casos como o do Paraná, que, além de importante produtor e consumidor de leite, está próximo dos principais estados produtores e/ou consumidores de leite do País e que tem uma importante participação na comercialização interestadual de leite e derivados.

Na reunião do Conseleite deste mês de outubro (dia 14), a exemplo do que já aconteceu em meses anteriores, as indústrias apresentaram informações um pouco diferentes das que vinham sendo apontadas em vários estados brasileiros.

Primeiramente, verifica-se que os decréscimos dos preços de alguns produtos (leite UHT, leite pasteurizado, queijo mussarela e o leite cru), que influenciam de forma mais importante os preços aos produtores, são menos significativos do que seria de se esperar. Além disso, verifica-se também que alguns produtos (queijo prato e leite em pó, por exemplo) continuam com preços em elevação (Tabela 1).

 


Isto pode indicar que as vendas de leite e derivados para o varejo estão menos complicadas do que o esperado. O que, por sua vez, não deixa de indicar que o comportamento da produção ainda pode estar muito ajustado ao do consumo de leite.

Com isto, os preços de referência para a matéria-prima, mesmo seguindo a trajetória de decréscimo dos últimos meses, apresentaram reduções menos intensas que o esperado (Tabela 2).

 


Em Santa Catarina, a situação não tem sido muito diferente. Em várias situações continua havendo algumas reduções nos preços recebidos pelos produtores, mas de maneira geral em percentuais não muito expressivos.

O ideal para o setor leiteiro e para os produtores de leite, entretanto, é que a economia brasileira comece rapidamente a se recuperar de forma mais significativa. Isto, certamente, repercutirá positivamente sobre o consumo de leite, o que, num momento de perspectiva de crescimento de oferta de leite, pode evitar a continuidade deste movimento de redução de preços, que, mesmo em percentuais pequenos, começa a prejudicar seriamente muitos produtores.
_________________________________________________
1Instituto Cepa

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint