ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

De 2008 a 2013, varejo ficou com R$ 8 bi a mais em vendas

POR MARCELO PEREIRA DE CARVALHO

E VALTER GALAN

PANORAMA DE MERCADO

EM 20/01/2015

1 MIN DE LEITURA

3
0
Cálculos inéditos feitos pela equipe econômica do MilkPoint Inteligência indicam que R$ 8,17 bilhões ou o equivalente a 34% do acréscimo em vendas de lácteos entre 2008 e 2013 ficaram com o varejo. Os dados baseiam-se apenas na produção inspecionada de leite, informada pelo IBGE.

Analisando os preços nominais de venda do leite UHT, pasteurizado, pó e queijos prato/muçarela, e multiplicando estes preços por uma estimativa das quantidades produzidas, o segmento de lácteos teria vendido em 2013 cerca de R$ 24 bilhões a mais do que em 2008, fruto do aumento (nominal) dos preços e aumento do volume produzido.

Desse valor, R$ 10,7 bilhões foram transferidos para o elo primário, com a indústria ficando com apenas R$ 5,3 bilhões. Embora o valor utilizado para a compra de matéria-prima chame a atenção, uma análise mais cuidadosa mostrará que a história não é bem essa: o forte aumento dos custos de produção nesse período abocanhou grande parte desses quase R$ 11 bilhões.

Com efeito, considerando planilhas que acompanham o custo de produção ao longo do tempo, tem-se que os custos por litro subiram quase 20 centavos – esse valor, multiplicado pelo aumento da produção no período – sugere que cerca de R$ 7,4 bilhões foram utilizados para pagar custos diretos ou indiretos da atividade de produção: insumos, mão-de-obra e custos de oportunidade da terra subiram consideravelmente de 2008 a 2013.

Chama a atenção, no entanto, que o varejo tenha agregado mais valor do que produção (se subtraídos os custos) e principalmente do que a indústria, a grande “perdedora” no período. Se considerarmos que provavelmente houve aumento de outros custos para a indústria no período, além da matéria-prima, fica evidente as dificuldades crescentes que esse elo verificou, como um todo, no período.

O gráfico abaixo traz os dados comentados acima.

Gráfico: Agregação de valor entre 2008 e 2013, em cada elo, em bilhões de reais







ARTIGO EXCLUSIVO | Este artigo é de uso exclusivo do MilkPoint, não sendo permitida sua cópia e/ou réplica sem prévia autorização do portal e do(s) autor(es) do artigo.

MARCELO PEREIRA DE CARVALHO

Engenheiro Agrônomo (ESALQ/USP), Mestre em Ciência Animal (ESALQ/USP), MBA Executivo Internacional (FIA/USP), diretor executivo da AgriPoint e coordenador do MilkPoint.

VALTER GALAN

MilkPoint Mercado

3

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

ROBSON DE PAULA VALLE

LIMA DUARTE - MINAS GERAIS - INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS

EM 21/01/2015

Concordo Marcelo,

Produtor e indústria estão literalmente nas mãos do varejo, como mostra a reportagem. Nai vejo um horizonte de mudança sobre tal ponto.
FLAVIO SUGUIMOTO

GOIÂNIA - GOIÁS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 20/01/2015

Marcelo,



É interessante o fenomeno em que o varejo nacional se tornou mais forte que os outros elos da cadeia produtiva. Isso acontece com todos os produtos. Veja que quando um grande varejista abre um novo supermercado, os representantes e industrias dão o primeiro estoque para a unidade, chamam de vestir a noiva, isso apenas para manterem a relação com aquela rede. O poder desses varejistas estão além do real valor que eles tem na cadeia...
MÁRCIO JOSÉ DE OLIVEIRA

SANTA VITÓRIA - MINAS GERAIS - INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS

EM 20/01/2015

Muito boas as informações, clareando aos produtores e aos nossos dirigentes onde esta o gargalho da atividade, pois estamos vendendo o leite a preços de 10 anos atrás, não tem como mais ficarmos olhando todo mundo ganhando e nós produtores de leite pagando a conta. É uma questão de dignidade, o que vai mudar em nossas vidas se pararmos de fornecer leite uma semana ou quinze dias á receber o valor pago de R$ 0,70 ou até menos pelo litro entregue. Temos que pararmos de sermos apaixonados pelas nossas vaquinhas e começarmos a agir como administradores, os trabalhadores vão invadir Brasília em Fevereiro para manifestar contra o governo por ter mudado o seguro desemprego e aposentadoria, e nós produtores vamos baixar a cabeça para mais uma baixa de preço, atrasos......  
MilkPoint AgriPoint