ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Uruguai: estabilidade no preço do leite ao produtor

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 05/10/2012

1 MIN DE LEITURA

1
0
No Uruguai, as empresas vêm mantendo os valores que pagavam aos produtores em agosto, como é o caso da Indulacsa e da Gloria (ex-Ecolat) - pagando um valor em torno de 6,20 pesos e 6,50 pesos (US$ 0,28 e US$ 0,30), de acordo com o teor de gordura e proteína. A maioria das empresas de lácteos do Uruguai tem pago valores similares a esse, com exceção da Conaprole.

A Conaprole, que é a maior companhia de lácteos uruguaia, não emitiu o comunicado ainda sobre o pagamento para o leite de setembro, mas a expectativa é de que manterá o mesmo nível de agosto, em torno de 7,15 pesos (US$ 0,33) "livres", para o qual a empresa deverá usar o chamado "fundo de estabilização" evitando, assim, uma baixa maior. O preço de agosto foi de 106,24 pesos (US$ 4,94) por quilo de sólidos, com 3,33% de gordura e 3,71% de proteína.

Com a entrada da primavera, o volume de produção de leite aumenta e isso tem um custo financeiro para as empresas, já que precisam contar com maior capital de giro, disse o presidente da Intergremial de Produtores de Leite e fornecedor da Indulacsa, Martín Lindholm.

O preço médio ao produtor no Uruguai caiu em 10% em agosto, para 7,36 pesos (US$ 0,34), de acordo com dados do Instituto Nacional de Leite (Inale), o valor mais baixo desde janeiro de 2011. Em dólares, a baixa é de 7,7%.

As exportações, embora estejam crescendo - 21% no acumulado anual, em US$ -, caíram quanto aos preços por tonelada. No caso do leite em pó integral, o preço caiu em setembro - segundo dados do dia 30 -, para US$ 3.517/tonelada, uma baixa de 4% com relação aos valores de agosto. O leite em pó desnatado deve ter uma redução maior, de 10%, para uma média de US$ 3.054/tonelada.

No caso do leite em pó integral, o preço segue acima da última referência de licitação do leilão da plataforma gDT- US$ 3.167/tonelada. Não ocorre o mesmo no caso do leite em pó desnatado, que está em 8,5% abaixo da média do gDT, que foi de US$ 3.309/tonelada.



A reportagem é do www.blasina.com.uy, publicado no Lechería Latina.

1

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

ROBERTO LANDINI DIAS

SÃO JOSÉ DO RIO PARDO - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 06/10/2012

É lamentvel que uma empresa importe leite do Uruglai por 0,80 o litro ,sabendo que no Brasil se produz  quantidade relevante.(como produziremos leite  abaixo do custo )


Fica dificil.
MilkPoint AgriPoint