ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Uruguai: Conaprole poderá receber 25% mais leite nos próximos cinco anos; meta é custo menor do que US$ 0,10/litro

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 29/12/2004

2 MIN DE LEITURA

0
0
A Cooperativa Nacional dos Produtores de Leite do Uruguai (Conaprole), maior companhia de lácteos do país, está buscando impulsionar a produção de leite de seus associados que, mesmo nos períodos mais difíceis, mantiveram sua aposta de crescimento da empresa. Para isso, a cooperativa fixou objetivos visando melhorar a qualidade de vida dos sócios, através de obtenção de maior rentabilidade de suas empresas, baseado no aumento de produtividade e manutenção de sistemas sustentáveis de produção.

Segundo o gerente da Área de Produção Leiteira, organizadora da atividade que atraiu centenas de produtores de todo o país a Montevidéu, o engenheiro Pedro Battistotti, tanto os produtores como a cooperativa precisam fazer uma projeção para os próximos anos, e decidir se vão crescer ou não. No caso de crescimento, ver como articularão as áreas de produção, área industrial e comercial.

Durante o evento "Jornada de Informação" aos produtores, quando foram analisados os "Caminhos Tecnológicos para o Crescimento", foi colocado que a meta é de um crescimento anual de 5% a 6%. "Desta forma, em cinco anos, poderemos estar com 25% a 30% mais leite com os mesmos produtores".

Segundo ele, para este crescimento, os caminhos apontam para cinco áreas: produção de pastagens e reservas, manejo nutricional, manejo reprodutivo, gerenciamento de empresas leiteiras e qualidade do leite e meio-ambiente.

Na produção de pastagens e reservas, "o desafio é potencializar as pastagens". "As medições informam que estamos com cerca de 2,9 mil quilos de matéria seca colhida, mas acreditamos que nos próximos cinco anos, temos que passar para mais de 3,5 mil quilos de matéria seca".

Outro ponto em questão é o manejo reprodutivo do rebanho, onde se busca melhorar a porcentagem de partos totais por vaca e por ano, melhorar a porcentagem de prenhez, obter uma porcentagem importante do rebanho com partos no outono e obter o primeiro parto em idade mais precoce. "Temos que reduzir o intervalo entre partos no primeiro serviço, levá-lo a pelo menos 90 dias".

Com relação ao gerenciamento de empresas leiteiras, o objetivo é que os produtores consigam trabalhar com menores custos de produção por litro de leite e ter a cada ano um número importante de empresas permanentemente monitoradas por meio do programa de análises de custos. A meta é chegar a um custo de produção menor do que US$ 0,10 por litro.

Finalmente, com relação à qualidade do leite e meio-ambiente, o objetivo é adequar as contagens bacterianas e células somáticas, assim como a presença de resíduos, aos padrões internacionais.

Para conseguir isso, como a empresa não conta com grandes investimentos, os produtores contam com o Prolesa, através de todos os insumos, e com o Proleco, para abrir linhas tradicionais. Além disso, Battistotti afirmou que a Conaprole está tentando obter outras linhas de crédito voltadas diretamente à produção.

Fonte: El País (por Pablo D. Mestre), adaptado por Equipe MilkPoint



0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint