ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Temer defende a "ordem" na questão fundiária e se mostra preocupado com conflitos agrários

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 28/04/2016

1 MIN DE LEITURA

0
0
Ao apresentar propostas do setor do agronegócio em nome da bancada ruralista do Congresso e entidades de classe, o presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), deputado Marcos Montes (PSD-MG), disse nesta quarta-feira que o vice-presidente Michel Temer se mostrou preocupado e solidário a conflitos agrários que envolvem confrontos entre produtores rurais, indígenas e movimentos sociais, como o MST.

Segundo Montes, Temer disse que o país precisa de “ordem” em questões fundiárias e defendeu harmonia entre movimentos sociais e agricultores. Há um mês, um dirigente sindical representante de trabalhadores rurais incitou invasões a propriedades rurais justamente de parlamentares ruralistas que votassem a favor da abertura do processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff na Câmara. Os deputados da bancada ruralista votaram em grande peso a favor do impedimento de Dilma.

“O vice-presidente Temer se mostrou preocupado com manifestações violentas e conflitos tanto no campo como nas cidades e defendeu que a palavra 'ordem', da bandeira nacional, prevaleça no país”, disse Montes, que se reuniu com Temer nesta tarde, acompanhado de outros deputados e senadores da FPA, além de representantes de entidades do agronegócio.

Ministério

De acordo com o deputado, Temer não cogitou nome algum para ocupar o Ministério da Agricultura caso ele assuma a Presidência da República. No entanto, defendeu que o ministro da área deve representar o agronegócio brasileiro e ter grande interlocução com o governo e o Congresso. 

Ruralistas e integrantes do segmento agropecuário aproveitaram a ocasião para apresentar propostas que desejam ver implementadas num eventual governo Temer: fusão entre os ministérios da Agricultura e do Desenvolvimento Agrário; garantia do direito de propriedade a agricultores; apoio ao projeto de lei que libera a compra e o arrendamento de terras no país por empresas estrangeiras; ampliação da presença de instrumentos de mercado de capitais no financiamento agrícola; manutenção do Código Florestal; e uma nova Lei Agrícola. 

As informações são do Valor Econômico.

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint