ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Tecnologia de imagem térmica: como isso pode servir para a indústria de lácteos?

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 06/09/2016

3 MIN DE LEITURA

1
0
A companhia sueca, Agricam, desenvolveu um produto baseado em imagem térmica, AgriCam CaDDI Mastitis, que pode detectar diretamente potenciais sinais de mastite quando a doença está ainda muito no começo.

De acordo com Ellinor Eineren, fundador da Agricam, um produtor de leite europeu médio está perdendo aproximadamente US$ 22.500-US$ 67.000 por ano devido à mastite. A tecnologia de imagem térmica pode detectar os sinais iniciais da doença, permitindo que os produtores a evitem naturalmente ao invés de ter que recorrer aos antibióticos.

imagem térmica - Agricam - mastite

Os equipamentos de imagem térmica (também conhecidos como câmeras de imagem térmica ou câmeras infravermelhas) são dispositivos sensíveis que exibem uma representação visual da energia infravermelha emitida pelos seres vivos e objetos. Essa visão de imagens térmicas pode imediatamente mostrar quaisquer anormalidades ou distribuições irregulares que, dependendo do contexto, podem ter várias implicações.

As pessoas que fazem os diagnósticos podem usar essas câmeras para ajudá-las a lidar com essas questões antes delas piorarem. Clínicas de equinos nos Estados Unidos reportaram que a tecnologia de imagem térmica pode detectar flutuações na circulação de grandes e pequenos animais. A Clark Equine Clinic, de Albion, Idaho, afirma que a doença pode ser confirmada em um estágio anterior ao uso de ultrassons.

O AgriCam CaDDI Mastitis fornece uma representação visual ou “mapa de calor” do corpo do animal e pode mostrar a distribuição em tempo real do calor. O produto da Agricam pode ser usado como ferramenta diagnóstica para identificar quaisquer anormalidades na temperatura geral do animal. É útil para identificar a mastite, porque um dos sintomas da doença pode ser o aumento na temperatura do úbere. Maiores temperaturas nem sempre equivalem à mastite clínica, mas os produtores normalmente têm a experiência para saber a distinção entre inflamação severa e benigna.

Câmeras térmicas não invasivas são colocadas na entrada do curral e capturam a “imagem térmica” quando o animal entra na área. O animal precisa estar entre 0,5 e 5 metros da câmera para o dispositivo capturar uma imagem precisa; não é necessário contato. À medida que a vaca passa pela área da câmera, as imagens são armazenadas em um banco de dados do sistema. As imagens térmicas são coletadas de cada vaca que passa pela câmera, de forma que o computador pode distinguir entre leituras “normais” e quaisquer anormalidades.

Os animais não precisam ser parados e mantidos até serem monitorados. Isso encoraja a produtividade e não atrapalha a rotina diária do rebanho e da produção. As imagens coletadas pelas câmeras são automaticamente analisadas por um software de computador que usa algoritmos para identificar a flutuação de temperatura. Se qualquer doença ou anormalidade for detectada, o software notificará o produtor.

Quando a doença é detectada, a vaca infectada será ordenhada com mais frequência visando manter um mínimo de leite no úbere. Menos leite no úbere significa menos substrato para as bactérias usarem. Isso permite que o sistema natural de defesa dos animais erradique a bactéria antes da doença tornar-se clínica.

Uma importante limitação da capacidade de câmeras de imagem térmica e, mais especificamente, da AgriCam CaDDi Mastitis, é que, com a luz do sol na área onde os animais são mantidos, resultados inconsistentes podem retornar desse sistema. O Journal of Dairy Science notou que diagnosticar e prevenir a mastite precocemente pode reduzir o uso de antibiótico animal em até 85%, o que é mais saudável para o animal.

O diretor da Termisk Systemteknik, sócio da AgriCam, Stefan Sjökvist, disse que vem discutindo planos para expandir a tecnologia para detectar problemas de saúde, como danos nervosos, tecidos esqueléticos e outros sinais de inflamação - em vacas e outros animais de produção. Ele confirmou que a AgriCam e a Termisk Systemteknik trabalham com médicos veterinários do Instituto Nacional Veterinário da Suécia para verificar a acurácia de todos os módulos atuais e futuros da AgriCam.

A Termisk Systemteknik fornece soluções completas baseadas em câmeras térmicas (infravermelhas). A companhia tem uma extensa experiência e conhecimento da cadeia inteira da teoria de transferência de calor à radiometria - tecnologia de sensor e análise de sinais/imagens.

As informações são do Dairy Reporter, traduzidas pela Equipe MilkPoint.

 

1

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

CELSO CARLOS

SÃO GOTARDO - MINAS GERAIS - ESTUDANTE

EM 06/09/2016

Já está disponível no Brasil? Qual é o preço? O sistema precisa de um colar de identificação próprio ou ele se adapta a outros já usados no mercado? A DeLaval tem um similar, mas so disponivel para o VMS.. Esse por acaso se adaptaria a um sistema mais tradicional com contenção "espinha de peixe" por exemplo? Obrigado
MilkPoint AgriPoint