ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

RS: Governo do Estado lança o Programa "Mais Leite de Qualidade"

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 06/03/2013

2 MIN DE LEITURA

2
0
Um dos atos do programa de Interiorização do Governo do Estado, na manhã de segunda-feira (04/03), na Expodireto Cotrijal, no município de Não-Me-Toque, foi o lançamento, pelo governador Tarso Genro, do programa "Mais Leite de Qualidade". Elaborada pela Secretaria da Agricultura, Pecuária e Agronegócio (Seapa), a iniciativa tem como objetivo estimular, através de subvenções e subsídios, a implantação de resfriadores de expansão direta e ordenhadeiras em cerca de 44 mil propriedades que ainda não possuem estes equipamentos ou, se possuem, estão com eles defasados tecnicamente.

A ação é a primeira medida do Programa de Desenvolvimento da Cadeia Produtiva do Leite (Prodeleite), que tem como objetivo dobrar a produção gaúcha nos próximos dez anos e, ainda, melhorar a qualidade do produto. "O nosso foco é diminuir a ociosidade do parque industrial lácteo, que hoje opera, em média, com cerca de 60% de sua capacidade instalada e provocar o aumento da renda do produtor, através da melhoria das condições sanitárias. Isso será possível com a adoção destes equipamentos, o que pode representar um ganho de até 10% no preço do litro entregue à indústria, o que também acaba se refletindo na ampliação da renda pública", explicou o titular da Seapa, Luiz Fernando Mainardi.

O programa foi criado com a contribuição de todos os segmentos da cadeia produtiva representados na Câmara Setorial do Leite, ao longo dos últimos dois anos. De acordo com o secretário da Agricultura, "é resultado da opinião dos setores da produção, da indústria e de órgãos de governo".

Já o presidente do Sindicato das Indústrias de Máquinas e Implementos do Rio Grande do Sul (Simers), Claudio Bier, afirmou que o programa, juntamente com o Mais Água, Mais Renda, que estimula a ampliação dos sistemas de irrigação no Estado, fortalece o setor. "Isso tudo são mais empregos e tranquilidade para o segmento industrial", enfatizou Bier. Mainardi estima que, atingida a meta do "Mais Leite de Qualidade", a indústria de máquinas poderá faturar mais de R$ 400 milhões.

Além do decreto instituindo o Programa, também foram assinados convênios com entidades que serão parceiras desta iniciativa.

Como funciona

O Governo do Estado investirá R$ 78,2 milhões no programa Mais Leite de Qualidade, valor que será custeado pelo incremento da arrecadação, que se espera alcançar a partir do aumento da produção, projetada a partir do efeito psicológico que o novo investimento provocará no produtor e, ainda, pela melhoria do preço. Estima-se que a arrecadação, só com os reflexos deste programa, crescerá R$ 318 milhões.

São duas linhas de atuação. Uma beneficiando aqueles com acesso ao crédito (Pronaf) e a outra, àqueles que não possuem crédito. No primeiro caso, o Estado, ao assumir a última parcela do financiamento, subvenciona cerca de 15% do investimento. No segundo, a bonificação do Estado será de 50%.

O produtor que tenha uma produção diária de 300 litros de leite, por exemplo, com o aumento da renda, estimada entre R$ 0,04 por litro, na média, ao cabo de dez anos terá um acréscimo de R$ 43 mil em sua renda, mais do que suficiente para cobrir o investimento na aquisição do resfriador, estimado em R$ 10 mil.

A matéria é do Governo do RS, adaptada pela equipe MilkPoint
 

2

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

FERNANDO LUIZ RAUBER

SÃO PAULO DAS MISSÕES - RIO GRANDE DO SUL - INDÚSTRIA DE LATICÍNIOS

EM 08/03/2013

De nada vale incentivar e forneçer dinheiro para aquisição de equipamentos ao produtor e dizer que as industrias de lacteos estão trabalhando com 60% de suas capacidades, se na outra ponta os nossos governos aprovam cotas de importação de lacteos dos paises do mercosul, sendo que esses produtor entram no mercado brasileiro com um valor  menor, pois a carga tributaria desses paises é inferior.  Ao invés de liberar recursos para aquisição de equipamentos deveriam liberar recursos para a assistencia técnica, pois são os técnicos de campo que conheçem a realidade e sabem oque precisa ou não ser feito nas propriedades.
PAULO R. F. MÜHLBACH

PORTO ALEGRE - RIO GRANDE DO SUL - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 06/03/2013

Partindo-se da referência do programa à produção/propriedade de 300 litros diários (para a cobertura do investimento no resfriador), a produção total dos 44 mil contemplados poderia alcançar 13,2 milhões de litros/dia.



Pelas estimativas da Emater o RS tem um total de 134 mil fornecedores de leite, ou seja, umas 90 mil propriedades já estariam equipadas com resfriadores (já que o programa quer atender a 44 mil carentes do equipamento).



A considerar-se a venda  de, em média, 80 litros diários/propriedade (dados Emater-RS),  essas 90 mil propriedades já equipadas chegariam aos  7,2 milhões de litros/dia, ou seja, a produção total somaria 20,4 milhões de litros/dia.  Contudo, é provável que a média de produção dos já equipados seja mais alta.



Se o programa for bem sucedido, haja indústria local para processar tanto leite. Poderá o leite captado migrar para SC.
MilkPoint AgriPoint