ENTRAR COM FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Raios: sua propriedade está preparada?

Todos os anos somos surpreendidos com notícias de propriedades rurais que perderam lotes de animais devido aos raios provocados pelas chuvas e pela estação. Segundo o Elat (Grupo de Eletricidade Atmosférica do INPE, Instituto de Pesquisas Espaciais), de cada quatro mortes de animais provocadas por raios, três ocorrem na primavera e no verão. No Brasil, a incidência de raios (média de 77,8 milhões de raios por ano) é intensa e muitas fazendas sofrem com seus prejuízos.

Como boa parte dos rebanhos brasileiros é criada em espaços abertos, e passam boa parte do tempo em pastagens, os riscos são ainda mais elevados. De acordo com o Elat, dentre as ocorrências mais comuns, as atividades rurais são as que mais sofrem com os raios, representando 25% dos relatos. Confira no gráfico abaixo:

Raios: sua fazenda está preparada?

Hoje há alguns sistemas contra raios que ajudam na redução dos riscos de acidentes, dentre eles, aterramento, Gaiola de Faraday, para-raios tipo Franklin e outras medidas, como por exemplo, o uso de aço galvanizado em algumas edificações da propriedade.

A demanda pelo seguro de animais cresceu 15% no último ano e um dos motivos é o aumento da perda de animais por acidentes com raios. A proteção de equinos e bovinos ganhou volume principalmente nos animais de elite, como reprodutores de centrais de inseminação e doadoras, animais que participam de pista e campeões nas avaliações genéticas.

“Mesmo com todo o cuidado possível, o rebanho acaba ficando exposto de alguma maneira nas fazendas. Em caso de óbito do animal, além da perda genética há a perda financeira”, afirma Karen Matieli, sócia-proprietária da Denner Seguro de Animais e membro da Comissão de Seguro Rural (Sincor-SP). Segundo ela, o custo do seguro varia de acordo com o risco, ou seja, raça, idade, valor e localidade.

O MilkPoint está propondo este debate para saber quais são as suas estratégias atuais para evitar as perdas por raios na propriedade. Você já teve prejuízos devido a esse desastre natural? Compartilhe conosco!

3

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MARCOS

BRASÍLIA - DISTRITO FEDERAL - PESQUISA/ENSINO

EM 10/10/2017

Boa noite. Tema bastante pertinente, não só pela criação de animais a pasto, mas tambem em regime de confinamento. Neste último caso, a construção de galpões metálicos é bastante comum no Brasil. Tenho um galpão de 1.000m2 e estarei consultando a publicação sugerida pelo colega Helton para saber como proceder. Obrigado pela dica.
HELTON HIPOLITO DE MORAES

SÃO PAULO - SÃO PAULO - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 10/10/2017

Faço sugerir a leitura do manual feito específicamente para o tema em propriedades rurais.



http://www.moretti.agrarias.ufpr.br/eletrificacao_rural/livro_aterramento_cercas.pdf



Boa leitura a todos.
JOSE FIDELIS

SÃO JOÃO EVANGELISTA - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 07/10/2017

Ola boa noite muito interessante a manchete                                                                                                  Mas ficamos no ar sem uma solucao pausive para o problema que e muito serio por favor nos de uma solucao segura e viavel com vidios valores e tipos de protecao obrigado