ENTRAR COM FACEBOOK ESQUECI MINHA SENHA SOU UM NOVO USUÁRIO

Programa Balde Cheio traz lucro para o leite

Um trabalho que está completando dez anos prova que é possível produzir, com lucro, leite em pequenas propriedades, garantindo a fixação do pecuarista no campo. O projeto Balde Cheio, da Embrapa Pecuária Sudeste, que já alcançou 2 mil propriedades rurais em 350 municípios de 10 Estados, já capacitou 50 técnicos e tem mais 500 em capacitação.

De acordo com o coordenador do Balde Cheio, o pesquisador da Embrapa Artur Chinelato de Camargo, "todas as propriedades que continuaram no projeto tiveram sucesso". Conforme Camargo, entre 60% e 70% das propriedades têm no máximo 20 hectares, ou seja, são pequenos produtores. O primeiro foco do Balde Cheio não são os animais, nem a propriedade, mas o produtor. "Nosso objetivo primordial é recuperar a sua auto-estima, reduzir o êxodo rural e, conseqüentemente, aumentar a produtividade."

O pesquisador identificou também o principal motivo da baixa produtividade: a má alimentação do gado. "Muitos produtores desconhecem o que é bom para as vacas. Com o projeto, a maioria já tem até irrigação para aumentar a produção do pasto e a lotação dos animais." Mas ele lembra: "Não há uma receita que sirva para todos os produtores, em todas as regiões".

A missão da Embrapa é capacitar os técnicos de casas de agricultura, sindicatos rurais, empresas de extensão rural ou qualquer entidade interessada. São esses técnicos que dão assistência aos produtores, por meio de cursos, dias de campo e visitas às "salas de aula". "A extensão é o elo entre a pesquisa e o produtor."

A implementação do projeto Balde Cheio dura quatro anos. Depois, é fundamental que a extensão rural assuma o trabalho. Para isso, em São Paulo, a Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (Cati) criou, em 2000, o Cati Leite. "Até o ano passado, o foco era a capacitação dos técnicos. A partir de agora, o objetivo é o desenvolvimento dos produtores, sobretudo dos pequenos, pois a média dos rebanhos é de 12 animais", diz a coordenadora de Planejamento do programa, Marianne de Oliveira Silva.

Das 40 regionais agrícolas da Cati, 32 participam do projeto. "Hoje, o Cati Leite envolve 490 propriedades e 375 técnicos. A meta, para este ano, é atingir 600 propriedades."

Para participar, o produtor deve procurar a casa de agricultura do município, que cadastra o interessado. Depois, é assinado um termo de compromisso, que garante a visita do técnico à propriedade e define os direitos e deveres do produtor. "Faz-se um levantamento planialtimétrico da propriedade, que dá a visão espacial global da área. Isso serve, por exemplo, para saber onde é melhor instalar os piquetes." O próximo passo é fazer análise de solo para saber sua qualidade. Um terceiro passo refere-se à sanidade do gado, com a realização de exames de tuberculose e brucelose.

Marianne diz que a primeira coisa que os produtores querem fazer é trocar os animais, o que é um erro. "Costumo dizer que a genética é o último passo, é o teto da casa. O chão é a comida."

A matéria é de Niza Souza e Fernanda Yoneya, publicada no jornal O Estado de SP, adaptada e resumida pela Equipe MilkPoint.

28

COMENTÁRIOS SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Seu comentário será exibido, assim que aprovado, para todos os usuários que acessarem este material.

Seu comentário não será publicado e apenas os moderadores do portal poderão visualizá-lo.

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

GERSOM PEIXOTO BARBOSA

EM 29/01/2017

Parabéns pelo programa balde cheio,realmente este programa com certeza ajuda e muito o pequeno produtor que é mais massacrado.Todos têm que divulgar o programa e incentivar a participar.
GELSON

ITAÚNA DO SUL - PARANÁ - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 12/12/2016

tenho vontade de receber visita de um tecno do progama balde cheio em itauna do sul parana na minha propiedade de 4.5 alqueiro paulista
ANTONIO CARLOS VIEIRA

PIRANJI - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 18/08/2014

estou situado em Pirangi SP e tenho uma propriedade de 3,5 alqueires e gostaria de inserir o programa balde cheio na minha propriedade gostaria que entra se em contato pois ja faz  um tempo que estou esperando

fone (17) 99621 2935 / (17) 99609 7515

E-MAIL ferroartevieira.pirangi@hotmail.com.

aguardo contato e agradeço
SILVIO ROBERTO RANGEL DA SILVA

CAMPOS DOS GOYTACAZES - RIO DE JANEIRO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 02/08/2014

Estou situado em Campos dos Goytacazes RJ e tenho uma propriedade de 3,5 alqueires e interesso em inserir no programa balde cheio. Segue abaixo meus contatos.



22-988025883

E-MAIL = betorangel2009@hotmail.com

                 betorangel@morumbi.ind.br

aguardo contato de  algum  técnico para darmos o 1º passo



grato e no aguardo de vossa atenção.
JOAQUIMM AGUIAR SOUZA

TEIXEIRA DE FREITAS - BAHIA - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 24/05/2014

Minha familia atua na atividade leiteira a muitos anos, mas sem nenhuma preocupação com a produtividade. Estarei entrando no ramo e preciso de toda experiência, principalmente a tecnológica.
EVERTON SOUZA

QUISSAMÃ - RIO DE JANEIRO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 20/12/2013

parabéns pelas suas pesquisas artur chinelato , que vem ajudando a muitos produtos produção leiteira em pequenas propriedades que antes tinham baixa produção e passou a produzir mais com a chegada do projeto balde cheio ,,



  parabens
FRANCISCO DE ASSIS PERAZZO

JOÃO PESSOA - PARAIBA - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 29/07/2013

Prezado Armando ,



Procure a EMBRAPA SUDESTE - no município de São Carlos / SP - TEL. 011.3411  5600

e mantenha contato com os técnicos responsáveis por tal programação.

Boa sorte .



Abs
ARMANDO AUGUSTO JUCÁ

SÃO LUÍS - MARANHÃO

EM 28/07/2013

Tenho um propriedade em Nina Rodrigues, estado do Maranhão, já tenho várias vacas de leite, capim tifton, elefante e estou plantando cana e sorgo sacarino, a minha intenção é participar do programa Balde Cheio, aliás o meu sonho é participar do Balde Cheio. não sei como participar, se alguém sabe como  me ajudar, ficarei muito grato. Parabéns pelo Programa Balde Cheio.
ROMANCITO SILVERIO

GUARAPUAVA - PARANÁ - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 17/06/2012

moro em Guarapuava pr, e nao temos assistencia tecnica na produçao de leite, gostaria que um tecnico do projeto balde cheio que sabemos que melhorou a produçao de leite nas propriedades de pequenos produtores rurais de varios estados, gostei do resultado.queremos uma assistencia tecnica nesse mesmo projeto, pois  assisti depoimento de produtores muito contente com os resultados. Emprapa e  d+
MANOEL MOREIRA CAMPOS

OLARIA - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 02/05/2012

Senhor Franklin Oliveira Barbosa,  sua indagação é muito importante. Veja bem, o programa Balde Cheio não é um conjunto de teorias que se implanta do mesmo jeitinho em qualquer ponto deste país.

Este programa pode ser implantado em qualquer ponto do Brasil, mas  é necessário que seja feito as devidas adaptações, haja visto que muitas são as diferenças existentes nas diversas regiões deste pais.

O programa é muito bom, desde que, o produtor seja bem orientado por um técnico devidamente treinado pela equipe do Balde Cheio.

O senhor mesmo relata, que a região é "super carente de leite" então fica a pergunta: A região é carente por não ser propicia ou é a tecnologia aplicada que esta ultrapassada? Por isto precisamos de técnicos treinados para atuar em região como esta.

O idealizador deste programa é o Dr. Artur Chinelato que trabalha na EMBRAPA - Pecuária Sudeste, cidade de São Carlos -SP. Acredito que lá,  o senhor poderá encontrar melhores informações a quem procurar no estado do Pará.

Cordiais saudações.

Manoel

FRANKLIN OLIVEIRA BARBOSA

ACARÁ - PARÁ - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 02/05/2012

Gostaria de obter maiores informações sobre o programa, pois estamos em uma região super carente de leite. Portanto pretendo implantar tal programa aqui.

muito abrigado, e aguardo noticias,

ATENCIOSAMENTE
GILSON GOMES DE OLIVEIRA JÚNIOR

AIMORÉS - MINAS GERAIS - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 31/10/2008

Prezados,

Temos o programa Balde Cheio no nosso município, mas vimos com grande preocupação no que tange a parte ambiental, já que os produtores estão usando água na irrigaçaão, sem se preocupar também com a produção dos recursos hídricos.

Portanto, faço um alerta a todos que multiplicam este grande projeto, mas que levam para estes produtores a importância da recuperação e conservação dos recursos naturais. Desta forma podemos dizer que o programa fecha o tripé da sustentabilidade (social - resgatar o auto-estima do produtor, ter lucro na atividade, tornando economicamente viável e por fim, a recuperação ambiental.

Vamos em frente, temos muitas pessoas para conquistar. Um produtor aqui e outro alí.
GERONIMO MIRANDA DE OLIVEIRA

VALENÇA - RIO DE JANEIRO - ESTUDANTE

EM 29/10/2008

Participo do projeto via "projeto fazendeiro". Uma parceria feita através da FAA Valença RJ. Estou sendo capacitado pra trabalhar como técnico do projeto. Minhas expectativas são grandes. As propriedades assistidas pelo projeto nessa região têm seus respectivos proprietários satisfeitos com os resultados.

Muitos estavam insatisfeitos e não conseguiam obter lucro com a atividade, e uma das alternativas, muitas vezes, seria o êxodo rural. Hoje, porém, eles vêem a propriedade com outros olhos, como algo bem mais promissor, onde além da alto estima, eles recuperaram também o gosto de trabalhar com a terra própria sem que tenham que sair à procura de emprego. Aprenderam a trabalhar com a propriedade de forma intensiva, racional e de maneira eficiente.

"Lugar bom pra se viver é aquele onde a gente foi criado, onde a gente mora e trabalha satisfeito ao lado da família e conseguindo lucro." (Carlinhos Furtado, produtor assistido pelo projeto fazendeiro)
EDIVALDO DE SOUZA BRITO JÚNIOR

TEIXEIRA DE FREITAS - BAHIA

EM 22/10/2008

O Balde Cheio veio para revolucionar a vida dos produtores de leite. Não existe tamanho de propriedade mas sim a vontade de trabalhar, produzir e ter uma vida digna no campo ao lado da natureza e dos benefícios que temos que ela nos proporciona. Abençoadas são as vidas do Arthur, Valter, André e todos os outros que estão canalizando essa tecnologia na esperança revitalizar não só a produção leiteira mas a dignidade do homem do campo. Viva o Balde Cheio!
PAULO ENILSON SOARES DE BRITO

NOVA CANAÃ - BAHIA - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 22/10/2008

Estamos situado na região sul da Bahia bem próximo da região sudoeste, temos grande potencial na produção de leite, a nossa cidade tem aproximadamente 10 mil habitantes e temos cerca de seis pequenas industrias de leite (laticinios), mas não temos nenhuma orientação de como melhorar a nossa produtividade em relação ao leite; este programa Balde Cheio se encaixaria perfeitamente em nosso municipio, pena que em nosso municipio não tenha um Sindicato atuante e nem uma secretaria de agricultura, mas gostaria de saber como obter mais informações deste programa.

Parabenizo, ao programa, aos participantes e espero receber informações para melhorar a nossa produtividade.

Grato.
ISMAIL RAMALHO HADDADE

VITÓRIA - ESPÍRITO SANTO - PESQUISA/ENSINO

EM 21/10/2008

Dificil transmitir por meio de palavras a imensa satisfação que é participar e presenciar um projeto como esse. Principalmente quando vivenciamos a real mudança na vida de pessoas que já não encontravam mais esperança na atividade rural. Parabéns a toda equipe idealizadora do projeto.
ELOI ANTONIO FRELING

RIO GRANDE DO SUL - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 21/10/2008

Temos uma pequena propriedade com 27ha situada na cidade gaúcha de Tucunduva, gostaria de receber informações sobre o programa para que possamos também buscar o aprimoramento do nosso manejo.
Percebo que o grande diferencial neste negócio é a forma com que se é trabalhada da porteira pra dentro, mas não encontro profissionais na área técnica que nos instruam de forma adequada na busca destas melhorias contínuas.

Fico no aguardo pela colaboração dos Srs.
Grato pelo espaço!
MANOEL MOREIRA CAMPOS

OLARIA - MINAS GERAIS - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 16/10/2008

Este projeto, em minha opinião, é muito bom, pois leva o produtor a trabalhar com "os pés no chão", isto é, melhorar a qualidade da comida para se obter a renda e posteriormente com a rentabilidade do negócio começar de uma forma bastante consciente e equilibrada, a fazer os investimentos realmente necessários. Utilizando para isto, o máximo de recursos próprio, em detrimento aos empréstimos bancários.

É assim que se cresce de maneira sustentável.

Em Minas Gerais, está de parabéns a FAEMG / SENAR-MG que fez convenio, e já implantou, com a supervisão da EMBRAPA-Sudeste, o projeto Balde Cheio em dezenas de municípios e centenas de propriedades.

Minha propriedade está entre as contempladas.
LUIZ FERNANDO BONIN FREITAS

NOVA FRIBURGO - RIO DE JANEIRO - CONSULTORIA/EXTENSÃO RURAL

EM 07/10/2008

Gostaria de participar deste projeto, divulgando para outros produtores da minha região uma forma de produzir leite de qualidade, com gerenciamento, redução de custos, lucros e satisfação de trabalhar e ajudar outros a vencerem na atividade tão nobre que é a produção de leite. Parabêns aos participantes do projeto balde cheio.
MILTON SHIGUEO SATO

REGENTE FEIJÓ - SÃO PAULO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 07/10/2008

A 4 anos a nossa propriedade é a unidade demonstrativa do projeto no municipio. sem o programa balde cheio, com certeza já teríamos abandonado a atividade leiteira. Além de recuperar a auto estima, aprendemos a gerenciar a atividade como um verdadeiro negócio.Só temos a agradecer o Artur e sua equipe pelo sucesso na atividade.