ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Estudo aponta bovinocultura como grande responsável por emissões de nitrogênio; setor contesta

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 15/07/2020

2 MIN DE LEITURA

2
0

As cadeias de produção animal são uma importante fonte de emissões de nitrogênio e um grupo de pesquisadores exige uma iniciativa global para combater a poluição, de acordo com um novo estudo.

O artigo, publicado na revista de pesquisa Nature Food, avalia os impactos do setor pecuário nos fluxos e emissões globais de nitrogênio, incluindo o comércio internacional.

A aplicação de fertilizantes e adubos sintéticos de nitrogênio e o transporte de produtos ricos no componente, como alimentos para animais, contribuem para o fluxo global, de acordo com a pesquisa.

O estudo foi realizado por Aimable Uwizeye, oficial de política pecuária da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação e colaboradores. Uwizeye disse que a poluição por nitrogênio emitida pela pecuária global está ameaçando a saúde ambiental e humana, com impactos significativos nas mudanças climáticas e nas perdas de biodiversidade.

Em resposta, o grupo exorta o setor pecuário a implementar uma iniciativa global para combater a poluição por nitrogênio, ao mesmo tempo em que apoia a segurança alimentar. O estudo ajuda a identificar oportunidades para melhorar o gerenciamento sustentável de nitrogênio, aumentando a eficiência dos sistemas de pecuária e reduzindo os impactos ambientais.

O estudo abrange 275 países e territórios agrupados em 10 regiões diferentes e a análise foi baseada no Modelo Global de Avaliação Ambiental da Pecuária (GLEAM) atualizado, desenvolvido pela FAO.

A análise mostra que o setor pecuário emite cerca de 65 teragramas por ano, o que equivale a um terço das atuais emissões de nitrogênio induzidas pelo homem. Desse montante, 66% são alocados para a Ásia.

Os sistemas de ruminantes (bovinos, búfalos, cabras e ovelhas) liberam globalmente 71% das emissões totais de nitrogênio da pecuária, com a produção de ovos e carne de frango e porco contribuindo para os 29% restantes.

O estudo sugere que incentivar os produtores a coletar, transportar e reciclar esterco para as áreas de cultivo disponíveis poderia ajudar a reduzir as emissões, além de projetar um sistema de produção espacialmente menos concentrado.

Matthew Knight, executivo-chefe da RABDF (Associação de Produtores de Leite Britânicos), acredita que muitas das informações atualmente divulgadas na mídia exageram o impacto do gado leiteiro no meio ambiente.

“A pecuária, principalmente a produção de gado, vem enfrentando uma pressão crescente pelo impacto que as vacas têm sobre o meio ambiente. A realidade é que a produção de laticínios é responsável por apenas 3% do total de emissões de gases do efeito estufa (GEE). Embora sempre haja espaço para melhorias no que diz respeito à pegada ambiental da agricultura, muitas das críticas feitas aos produtores de leite e ao setor têm sido incrivelmente injustas."

"Não apenas as estatísticas sobre pegadas de carbono e emissões de gases de efeito estufa podem ser incrivelmente complicadas, mas muitas das informações atualmente divulgadas na mídia exageram o impacto do gado leiteiro no meio ambiente."

As informações são do FoodBev.com, traduzidas pela Equipe MilkPoint.

2

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

JULIO PALHARES

SÃO CARLOS - SÃO PAULO - PESQUISA/ENSINO

EM 20/07/2020

Os comentários do executivo não tem uma relação direta com o estudo apresentado que trata da emissão de nitrogênio pelos animais. O nitrogênio é eliminado pelas fezes e urina dos animais e a quantidade eliminada está diretamente relacionada a eficiência de uso pelos animais, ou seja, com a nutrição. É farta a produção científica que mostra a baixa eficiência de uso de nitrogênio pelos ruminantes. Então se queremos melhorar essa eficiência devemos trabalhar de forma correta, entende-se: boas práticas de produção e nutrição precisa. Muitas vezes o setor tem o péssimo hábito de criticar sem entender o tema que está criticando. Este comportamento não ajuda em nada e só faz que todos percam tempo com coisas que não deveriam, enquanto deveriam estar justos tentando propor, testar e implementar soluções
EDUARDO GOMES S SILVA

VALENÇA - RIO DE JANEIRO - PRODUÇÃO DE LEITE

EM 20/07/2020

O que me causa espanto é que toda a responsabilidade por tudo que afeta o clima seja sempre da produção de alimentos. Acho que o jeito é passarmos fome. Ninguém comenta quanto a raça humana contribui. Uma boa política de controle de expansão da raça humana (controle de natalidade) poderia ajudar bastante: menos pessoas para alimentar, menor necessidade de produção, menor poluição. Tudo resolvido!!!!
MilkPoint AgriPoint