ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Nestlé negocia duas aquisições no Brasil, diz Zurita

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 01/07/2009

3 MIN DE LEITURA

1
0
O presidente da Nestlé no Brasil, Ivan Zurita, afirmou nesta terça-feira (30) que a empresa negocia pelo menos duas aquisições neste momento no País. "Nós estamos analisando vários projetos, mas eu posso dizer que pelo menos dois estão nos finalmente", disse o executivo, após participar do 1º Fórum RPCA - Responsabilidade produtiva na cadeia alimentícia, promovido pela Associação Brasileira das Indústrias da Alimentação (Abia). "Leva-se tempo, mas eu posso lhe dizer que está bem perto", afirmou Zurita, acrescentando que o prazo para o fim das negociações depende principalmente dos resultados de algumas diligências que são realizadas e da forma encontrada para solucionar problemas fiscais dos possíveis alvos de compra pela Nestlé.

Zurita não revelou a área específica de atuação das empresas que podem ser adquiridas em breve e chegou a sinalizar que elas podem pertencer a segmentos distintos de atuação. No mês passado, ganhou força o rumor de que a Nestlé estaria perto de fechar a compra da unidade da Parmalat no município de Carazinho-RS. Por meio dessa aquisição, a Nestlé fortaleceria a sua atividade em leite longa vida, segmento que vem crescendo a passos largos no País e no qual a empresa começou a atuar recentemente.

Questionado se uma das aquisições seria a fábrica da Parmalat no Sul, Zurita respondeu: "Temos avaliado uma série de negócios, um deles quase fechado, mas não necessariamente a este que você se referiu", afirmou. "Tem muitas empresas mudando de mão. Tem a Nilza, que está no mercado. Tem a Vigor, que o Bertin comprou. A Batávia que a Perdigão comprou... Existem muitos movimentos. O mercado não para."

Outro segmento que vem recebendo atenção especial da Nestlé e que pode receber investimentos adicionais da companhia é o de água mineral. Em dezembro passado, a companhia comprou as fontes da Água Mineral Santa Bárbara e parte de suas instalações industriais. Além da Santa Bárbara, a Nestlé atua no Brasil com quatro marcas de água - Petrópolis, São Lourenço, Aquarel, S.Pellegrino, Acqua Panna e Perrier, sendo as três últimas importadas.

Independente das aquisições da companhia, Zurita afirmou estar satisfeito com os resultados da Nestlé no Brasil. "Fechamos bem o semestre e a companhia continua investindo forte no País. Fiquei muito satisfeito com o desempenho no semestre. Não posso revelar os números, mas posso dizer que teve uma evolução importante frente ao que está acontecendo no mercado em geral e nos mercados internacionais."

Negócios

Outras empresas também devem anunciar novos negócios - que ainda estão em análise - entre elas a Cargill e a Pepsico. De acordo com o presidente da empresa no Brasil, Otto Von Sothen, a Pepsico está analisando aquisições nas duas áreas em que atua, alimentos e bebidas, mas não revela quais são os alvos potenciais. "O Brasil é um dos principais mercado que a Pepsico mira para continuar a crescer acima da média do mercado e isso inclui aquisições", admitiu o executivo.

Um pouco mais distante parece o plano da Cargill de adquirir empresas no mercado brasileiro. Segundo o presidente da multinacional no Brasil, Marcelo Martins, há possibilidade de crescimento no mercado e isso tem levado a empresa a olhar as oportunidades para crescer. Essa posição se dá em função do término dos investimentos que a empresa realizou no último ano fiscal, que terminou em maio. De acordo com Martins, apesar da instabilidade dos preços das commodities e do câmbio, a empresa registrou um ano positivo e que atendeu as metas da companhia.

Para a Pepsico, que não revela o valor dos investimentos, a empresa mira o mercado centro-oeste e nordeste em decorrência do aumento da renda na região. De acordo com Sothen, já há conversas com o governo do Distrito Federal (DF) para a construção de uma nova fábrica naquela região e já está construindo uma nova unidade na Bahia (BA). Ambas destinadas à produção de alimentos. "A primeira (no DF) ainda está em fase inicial de negociação e a segunda (na BA) deverá iniciar a operação no final de 2010", completou o executivo.

As informações são do Estado Online e do Diário do Comércio e Indústria/SP, adaptadas e resumidas pela Equipe MilkPoint.

1

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

VICENTE ROMULO CARVALHO

LAVRAS - MINAS GERAIS - TRADER

EM 08/07/2009

Pela conversa do executivo da Nestlé, salvo melhor juízo, a aquisição é da Nilza. Pois, como esta empresa se acha em recuperação judicial, certamente esta é a causa da demora. O futuro nos dirá.
MilkPoint AgriPoint