ESQUECI MINHA SENHA CONTINUAR COM O FACEBOOK SOU UM NOVO USUÁRIO
Buscar

Mercado internacional caminha agora ao ritmo da Oceania

GIRO DE NOTÍCIAS

EM 27/10/2003

2 MIN DE LEITURA

0
0
Começou a estação produtiva de leite na Oceania e os fornecedores do mercado internacional agora mudam de papel, enquanto o Japão e a Rússia apresentam aumento da demanda e sustentam os preços. Isto porque, nesta época do ano, com o início da estação produtiva na Austrália e na Nova Zelândia, ocorre um fenômeno bastante particular no mercado mundial de commodities lácteas: a Europa perde importância e a Oceania ganha terreno, transformando-se em formadora de preços.

No início da campanha produtiva da Austrália e da Nova Zelândia de 2003/04, os volumes processados regionalmente não estão muito diferentes daqueles processados no mesmo período da temporada passada. O aumento de 5% na produção de leite na Nova Zelândia foi compensado pela diminuição de 7% na da Austrália, em decorrência da forte seca que acometeu esse país no último ano.

Devido, em parte, a isso, os estoques encontram-se livres de remanescentes da temporada passada, de forma que tonelada produzida significa tonelada vendida. Tanto os preços de leite em pó integral e desnatado, como os de manteiga, estão firmes, com tendência de alta, apesar de, no momento, não existirem mais compradores que os habituais.

A tonelada de manteiga (82% de gordura) está em torno de US$ 1.425-US$ 1.550 (FOB), enquanto os preços do leite em pó variam entre US$ 1.750 e US$ 1.850 a tonelada, tanto para o integral, como para o desnatado.

Na Europa, a situação é totalmente oposta. Os volumes de leite captados pela indústria começam a cair à medida que o outono avança no Hemisfério Norte. Apesar da grave seca que acometeu grande parte do continente europeu durante o verão, a produção total regional não diminuiu tanto quanto esperado. No entanto, por esta mesma razão, tem sido registrada uma escassez de reservas para a alimentação dos animais durante o inverno. Diante deste panorama, muitos produtores de leite estão pensando em descartar animais, o que significaria uma queda ainda maior da produção de leite durante o outono e o inverno.

Atualmente, os preços estão firmes e, em muitos casos, acima da cota mínima. A expectativa é que, nos próximos dias, seja feita uma revisão nessa cota, a partir da forte revalorização do euro frente ao dólar estadunidense.

A demanda, por Japão e Rússia fundamentalmente, é importante para o leite em pó, mas sobretudo para a manteiga, que requereu intervenção subsidiária somente em alguns mercados. Neste contexto, a Argélia informou sobre sua intenção de entrar fortemente no mercado a partir de dezembro.

A tonelada de manteiga (82% de gordura) está em torno de US$ 1.550-US$ 1.700, enquanto os preços do leite em pó variam entre US$ 1.900 e US$ 2.040 para o leite integral, e US$ 1.750 e US$ 1.865 para o desnatado.

Fonte: Infortambo, adaptado por Equipe MilkPoint

0

DEIXE SUA OPINIÃO SOBRE ESSE ARTIGO! SEGUIR COMENTÁRIOS

5000 caracteres restantes
ANEXAR IMAGEM
ANEXAR IMAGEM

Selecione a imagem

INSERIR VÍDEO
INSERIR VÍDEO

Copie o endereço (URL) do vídeo, direto da barra de endereços de seu navegador, e cole-a abaixo:

Todos os comentários são moderados pela equipe MilkPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

SEU COMENTÁRIO FOI ENVIADO COM SUCESSO!

Você pode fazer mais comentários se desejar. Eles serão publicados após a analise da nossa equipe.

MilkPoint AgriPoint